A Gruta do Lou

Vontade de Sentido

“They kill themselves, they kill each other ante they take dope” É claro que estão doidos. Matam a si próprios, matam uns aos outros e tomam drogas. Aqui temos caracterizados pelo senso comum, os três sintomas básicos da neurose coletiva atual: depressão, agressão e adicção (dependência de drogas). Comecei aquela palestra com as palavras de um taxista.

Na falta de uma resposta para sua vontade de sentido, o ser humano refugia-se na vontade de prazer.

Viktor E. Frankl

Não faz sentido um cristianismo alheio ao sofrimento, à culpa e à morte. Muito menos uma vida cristã vivida na alienação, ignorando as pessoas tragadas pela depressão, pela violência e pelas drogas, ou desinteressada quanto à devastação do planeta pela cobiçosa ambição dos desprezíveis senhores do capital.

Todos nós da igreja gostamos de cantar. Vivenciamos os Vencedores por Cristo, a partir deles passando por Djanires, Pimenta, Jairinho, Asafe e tantos bons músicos cristãos, chegamos aos nossos dias onde a música da igreja sucumbiu à mesma inconsciência e inconsistência da pregação, da missão e do ensino.

Nossos referenciais deixaram de ser Martin Luther King e sua luta contra a segregação e o preconceito racial nos Estados Unidos, Madre Tereza de Calcutá e suas batalhas heroicas contra a miséria e o abandono de milhares de pessoas tragicamente enganadas por conceitos religiosos fundamentalistas e degradantes na Índia e em todos os lugares esquecidos desse mundo e George Muller e sua defesa insana dos órfãos ingleses gerados pela tragédia da promiscuidade praticada pelos habitantes da zona portuária de Londres, tempos atrás.

Tampouco, nos demos conta do sofrimento de Nelson Mandela e do bispo Desmond Tutu pela igualdade racial na África do Sul ou quase não ouvimos falar de Albert Schweitzer ao entregar sua vida nos braços das vítimas africanas das doenças tropicais em Lambarene, na África Equatorial.

Deixamos de crer que “A igreja precisa de homens que respondam simplesmente ao aceno do Mestre com as palavras: Senhor, ponho-me a caminho!” Tornamo-nos adeptos da valoração do homem por aquilo que ele lê. Não importa que ele nunca tenha amassado o barro africano ou o pó nordestino. Muito menos interessa-nos se ele jamais tenha subido um morro carioca cercado de barracos e desviando-se das balas perdidas ou que nunca tenha colocado suas próprias mãos para abraçar uma jovem que tenha tombado no colo das drogas.

Se ele puder citar Sartre, Hegel, Kierkgaard e Chesterton entremeados a versículos bíblicos mal traduzidos ou mal interpretados por algum desses comentários medíocres da Vida Nova, então nós os seguiremos incondicionalmente. Seria covardia citar os tais “pastores da TV”, como diria Paulo: Falsos mestres que sobre o que não sabem ou não entendem, fazem ousadas asseverações.

Imagino meu mestre Jesus de Nazaré caminhando comigo pelas ruas de São Paulo ladeados por meu desconhecido amigo Daniel Fresnot, um judeu francês e cidadão brasileiro que tira as roupas do corpo para dá-las a meninos de rua, que vive há anos torrando os lucros de sua fábrica de embalagens no sustento das Casas Taiguara, um abrigo simples para crianças e adolescentes cansadas de perambular errantes nessa selva de pedra. Então o Senhor olharia nos olhos de meu amigo e veríamos as lágrimas correndo em seus próprios, sem ser preciso dizer uma única palavra.

Uma de nossas companheiras da blogosfera me perguntou, ontem, por que não estou em uma igreja. Espero que estas palavras façam algum sentido e sirvam como uma resposta respeitosa a ela e digna da minha indignação. Careço de sentido em uma igreja engajada na missão, com a mão estendida aos deprimidos, às vítimas da violência e aos adictos. Se possível, divorciada dos predadores do nosso planeta.

lousign

6 thoughts on “Vontade de Sentido

  1. Você não precisa estar em uma igreja, amigo.

    Nós, já somos.

    Sem paredes, e sem os predadores, digo, pastores.

  2. Raphael

    Não precisa ser perfeita. Basta que me cative. Para isso, só precisa ser mais do que meras palavras e não ser um mercado.
    Defeitos e falhas existirão onde quer que estejamos, particularmente, onde eu estiver.

  3. Oi Lou
    Uma missionária brasileira em viagem na Suécia, visitou uma viúva aposentada mantenedora de um trabalho social no Rio. Numa conversa muito agradável, essa senhora revelou que tinha desistido de uma excursão para a Grécia com o pessoal da terceira idade de sua igreja, por causa do compromisso com as crianças brasileiras.
    Será que a gente chega lá?
    Um abração

  4. muito bom este texto, já o li duas vezes e ainda acho que devo lê-lo mais algumas para mastigá-lo. obrigado!
    espero que não encontremos abrigo no refúgio da vontade do prazer.

  5. Lou,para mim,um dos melhores textos que você escreveu.Deus,não sei por que,abriu em minha vida,cérebro e coração.Subi morro,desci favela,entrei em mocó,abriguei crianças,criei muitas,socorri moradores de rua,tive em meu colo o choro de muitos meninos drogados com suas histórias de vida,alguns ajudei,outros não consegui.Coordenei um núcleo do antigo projeto “Sorocaba Cem Analfabetos”,amei e não me arrependi. Conto isso para que, se alguém passando por aqui, lendo o que escrevi,saiba que é possível ver essa gente tendo a oportunidade de uma vida digna.Agora, quanto à igreja,pra se fazer algo,infelizmente tem que acontecer à revelia dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *