A Gruta do Lou

Vendedor de idéias

Em nossos dias, há muitos escritores palestrantes vivendo suas vidas totalmente dedicadas a convencer as pessoas a povoarem suas mentes com otimismo, pensamentos positivos, grandezas, riquezas, etc., tais como o pessoal do Segredo, a Mente Milionária, o Pai Rico, Falando com Deus e tantos outros. No Brasil, Lair Ribeiro alcançou grande sucesso sugestionando o povo a vencer e o Paulo Coelho não deixa de ser um deles, embora procure dar um tom mais místico em seu trabalho. Atualmente, Augusto Cury tem obtido bons resultados, se bem que seja fraco nas palestras. O século passado conheceu alguns grandes motivadores, ou pensadores de possibilidades, outras formas de chamar essa turma, muito famosos, como Napoleon Hill, Norman Vincent Peale, Joseph Murph, Robert Schuller, Louise Hay e Emmet Fox, por exemplo, fora as centenas de discípulos que fizeram, por aí.

Essa prática começou ou teve um novo começo durante a grande depressão norte-americana quando os pastores buscando argumentos para ajudar as pessoas a se re-erguerem, depois de perderem quase tudo o que tinham, descobriram que a bíblia era portadora de muitas idéias otimistas. passaram a propagá-las com grande ênfase e alcançaram grande êxito, salvando muitas vidas de cometerem suicídio, embora antes disso, centenas de desesperados atentaram contra a própria vida, infelizmente.

De certa forma, Jesus não fez mais do que levantar a moral das pessoas com muito otimismo. Diria até que ele foi, talvez, o maior vendedor de idéias que já pisou nosso planeta, e idéias muito positivas. Só para exemplificar, ele eliminou o sentimento geral de pecaminosidade com a idéia da salvação total e irrestrita para todos, o medo da morte com a possibilidade da vida eterna, o ódio e o rancor com a magna proposta do amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo e a angustia da escassez com a provisão compulsória como consequência da busca ao Reino de Deus.

Creio que não há ninguém em sã consciência dizendo por aí que o Mestre era um charlatão ou um grande espertalhão que viveu do produto da venda dos infinitos livros que sua pregação positiva gerou, fora o total arrecadado pela igreja e suas subsidiárias. Claro que os vendedores contemporâneos de idéias não servem para desatar as sandálias do pescador de homens e não chegam nem perto da grandeza do Galileu e seu sofisticado sistema de levantamento de fundos, cujo principio é: “fiz-me pobre para enriquecer a muitos”.

Entretanto, gosto da presença dessa gente no mundo em que vivo. Começando pelas palavras otimistas de Jesus presentes nos evangelhos, leio os motivadores do século passado tanto quanto os atuais, dos quais possuo livros em minha biblioteca. Com tendências pessimistas, característica conhecida por aqui, as palavras desses professores da vitória me fazem muito bem, equilibrando-me, principalmente, nos momentos de depressão em que parece não haver onde me segurar. Nessas horas, a vã filosofia de pastores e psicólogos críticos do pensamento positivo não ajudam em nada.

Muitos incomodam-se com as riquezas que os vendedores modernos de idéias conseguem vendendo livros e fazendo palestras em auditórios ou distribuindo-as em DVDs. Compreendo essa atitude deles sem maiores problemas, pois imagino que uma pessoa com essa profissão precisa praticar o que prega compulsivamente e não pode deixar, em momento algum, suas mentes acalentarem pensamentos ruins, além do bem que fazem à humanidade. Seguramente, são muito mais bem vindos do que os arautos do derrotismo, muitas vezes camuflados ou travestidos em defensores da ortodoxia, da nova moralidade ou da imoralidade.

De qualquer forma, Jesus Cristo gastou sua vida pregando idéias muito positivas, de salvação, cura e redenção. Não sei se há outra alternativa para os pregadores, embora insistam em não imitar o Mestre.

Por mim, os grutenses podem ler esses livros e assistir essas palestras à vontade. Absolvo todos de serem condenados por isso, desde que não deixem a leitura da Gruta de lado e, se eu fizer alguma palestra por perto, você não deixe de assistir, custe o que custar, nem que seja para dar um beijo na careca do velhinho aqui.

4 thoughts on “Vendedor de idéias

  1. Lou, você tem razão. Já ouvi o Segredo, Quem somos, Pense e fique rico; li O Poder do subconciente, As grandes verdades da bíblia a Gruta e muitos outros. Eu sabia que você ia liberar, por isso me antecipei.

    1. Djalmir
      Usei o poder que me foi concedido pela unção de nosso Abade P. Brabo, para absolver o pessoal. Se não ser certo, você deverá reclamar com ele. 🙂

  2. Tio, a religiao fabrica a cada instante “tipos” dominantes, segundo Weber, pelo carisma. O conteudo da palestra atrai, claro, mas o q importa mesmo é o tipo.

    um beijo na careca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *