A Gruta do Lou

Um tolo cristão errante e pensador

O Volney tem relatado sobre a inciativa de cristãos norte-americanos elaborando um manifesto evangélico com participação de alguns expoentes contemporâneos da fé evangélica como Os Guiness, Dallas Willard, David Neff, Rich Mouw, etc. Por aqui, Gondim, Caio, Ed e Cristianismo Hoje já se manifestaram, claro que nossa voz não faz diferença, entre essas vacas sagradas de passado duvidoso, mesmo porque, nosso passado não é melhor. Ao mesmo tempo, assim como está acontecendo em terras do norte, por aqui o pessoal identificado com a direita, especialmente a turma do Mackenzie, com folha corrida significativa de serviços prestados à ditadura militar, nada invejável, começa a eriçar os pelos, sob a máxima da rotulação das pessoas e idéias discordantes como coisa de esquerdistas e liberais. Entretanto, estou disposto a colocar minha assinatura nesse manifesto ou em algo do tipo.

Tentei chamar a atenção para a importância da leitura bíblica e da discussão responsável sobre o papel da WEB no futuro da igreja evangélica séria. Um discurso meio de direita e conservador, reconheço. Mas não estou preocupado com esses rótulos, agora. Meu passado também tem aspectos dos quais posso me orgulhar e um deles foi a minha militância contrária à ditadura, se bem que não o fizesse sob o manto evangélico. Aliás, naquela época, só encontrei evangélico atrás das linhas inimigas.

Mas não quero enganar e espero que ninguém se engane. Mais de mil textos atestam minha mais completa opção anarquista e libertaria. Não quero o Papa e a turma dele, mas fujo de outros jugos como o diabo foge da cruz. Quando alguém me diz: Prazer em conhecê-lo, sou o pastor fulano de tal… respondo: Foi uma prazer conhecê-lo durante esses longos segundos. Me bastam os que conheço e não tenho como apagá-los de minha memória. Nosso computador interno não dispõe de uma tecla delete, em sua imperfeição.

O vídeo que postei do Ruben Alves e sua parábola antropofágica foi uma escolha consciente e dei às palavras dele minha mais completa aprovação e admiração. Talvez por ter estado com os Yanomamis por duas vezes e ter me encantado ao descobrir a cultura mais antiga deles e mais rica do que a minha, onde há imbecilidades feito carnaval, futebol e cerveja, aquelas dancinhas folclóricas que ajudam a compor nossa vasta riqueza cultural e só me envergonham e me enchem da vontade de nunca ter nascido sob a bandeira verde e amarela, as cores das famílias nobres e feudais que dominavam nossas terras brasilis, quando ela foi criada. Ou tenho algum tipo de distúrbio maníaco depressivo capaz de me fazer ouvir e ver coisas impossíveis à grande maioria, como a beleza da poesia, o encanto com o vôo das andorinhas, o canto do sabiá, a vastidão e segredo dos nossos mares, o deslumbramento com o céu anil do meu Brasil varonil e essas tolices doentias todas, incluindo a cultura tosca e primitiva, mas surpreendentemente rica dos Yanomamis. Tudo bem, já conseguimos liquidar com quase todos eles. Terminar o serviço é só uma questão de tempo. Ser genocida é muito mais chique do que antropófago e consubistancialista.

Acrescento meu prazer individualista em comungar diariamente minha fé cristã exótica e liberal-conservadora com meus conhecidos da WEB. Gente cuja a cultura não tem nada a ver com a minha, alguns são inclusive remanescentes da era paleolítica, pelo menos parecem, mas que me dão enorme prazer e me fazem sentir amado por Deus, seja ele reformado ou não, afinal nem todo mundo tem o nível espiritual necessário para aderir aos pressupostos da reforma. Pelo menos por aqui, isso é privilégio de uma parte quase remota dos chamados evangélicos, e nem Deus chegou nesse ponto ainda. Qualquer dia encontrarão o túmulo de Jesus de tanto que ele se remexe dentro dele com essas bobagens caretas e reformadas. Nem Lutero viu nada igual. Mas ousei sonhar que essa interação diária com gente louca por conhecer a “verdade” possa ser a verdadeira igreja de Cristo e é assim que tenho freqüentado a rede.

Ah! Continuarei a ler os autores citados, também. Gosto disso. Sinto-me tentado a cair no pecado de exaltar-me através dessa interação bibliográfica. Mas nisso sou iniciante perto de certos pecadores muito mais adultos que eu. Sabe, não sou contra o saber. Bem ao contrário. Me incomoda quando vejo os que se dizem sábios tratando os ignorantes (como eu) com desprezo e preconceito por nossa burrice. Em minha estultície, considero sábio alguém que venceu o ego, o orgulho e a vaidade. Gente assim tem minha admiração total e irrestrita.

No mais, continuarei por aqui. Quem quiser aparecer para um café imaginário, um post despretensioso e meu sincero carinho, terá minha completa hospitalidade.

Um beijo a todos.

לּהּמּ

12 thoughts on “Um tolo cristão errante e pensador

  1. Aceito o café (imaginário)

    Realmente o reconhecimento é algo misterioso, pois não sabemos o motivo de muitos o terem.

    Ah! e também me envergonho, às vezes, da nossa pobre cultura.

    E a verdadeira igreja, inditosamente, saberemos quem é ou não é, em algum dia ou algum lugar…

    Abraço

  2. Wander

    Seu lugar à nossa mesa tornou-se cativo, para o café ou o que seja.

    Quanto à verdadeira igreja, faremos parte dela onde quer que ela se manifeste, enquanto nosso propósito for sincero. Quem vai julgar se é ou não, costuma ser justo, mesmo que não entendamos a justiça Dele.

  3. Lou,

    o que eu acho mesmo importante e necessário, é que cada dia nos possamos parecer mais com o nosso Cristo, vivendo e agindo de acordo com os seus sábios ensinos.

    Quanto a tudo o resto, eu deixo com Ele.

    um abraço

    viviana

  4. Lou,
    Reitero minha intenção de manter vitaliciamente uma cadeira privativa para meu uso naquele canto, à esquerda da Gruta.
    “Não concordo com nada que dizes, mas defenderei até a morte o direito de dize-las.”
    O tolo não se reconhece como tal, e o sábio se recusa a admitir sê-lo.
    Eu, sei lá… minha esperança é algum dia ver que não foi tudo em vão…

  5. Desculpe chegar assim, eu, um desconhecido numa rede de relacionamentos já há muito formada, pretensamente cheio de opniões e reclamando o direito de sentar-se à janelinha.
    Sim, sim, mesmo por isso, ou por causa disso também ficarei por aqui, no fundo da sala, observando e anotando, observando e aprendendo…
    E se for possível, aceitarei, sim, a hospitalidade de todos.

    http://kurielaison.blogspot.com/

  6. Amigo Lou,

    trago para esse café pães de queijo que o “exilo” me ensinou a preparar.
    Aqui no meu cantinho, tentando esconder a refrescante cerveja alemã que você abomina, vou também ouvindo e dando os meus pitacos.
    Quem sabe Platão estava mesmo certo, e no céu (ou na nova terra) todas essas idéias ilusórias serão bem palpáveis. E ali nos encontraremos todos na verdadeira Gruta que te inspirou com a presença dEle a todos nós inspira. Imagine se João tivesse vislumbrado essa Gruta? Nem me fale as pedras preciosas que relataria estarem encravadas pelas paredes e chão dela!!

    Abraço saudoso,

    Roger

  7. Roger

    Tudo que condeno na cerveja é o culto a ela. Nada contra bebe-la, com moderação. Gostei muito de seu comentário. Vocês estão desenvolvendo a Gruta junto comigo e isso me faz muito feliz. Deus ocultou a Gruta de João para deixar algo significativo para nós. Gostei, pode mandar mais. Abraços e cuide bem das leoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *