A Gruta do Lou

Um Pobre, mas quem é pobre?

pere-joseph

Frei José de Paris

Por um instante, pensei ter recuperado meu bom humor, apesar dos pesares. Então veio a minha mente, durante o banho da manhã, o utilíssimo pensamento sobre a facilidade de identificar um pobre, hoje em dia.

Sou de um tempo em que isso era muito mais difícil. Pela roupa, nem pensar. Todo mundo se vestia bem. Rapazes com calça de veludo cotelê ou liso, camisa La Coste e blazer. Moças, calça New Man, blusa canelada e sobretudo preto. Não dava para identificar. Agora é fácil, basta perguntar: Cê tem Bolsa Família? Se tiver, é pobre.

Mesmo quem não tem propriedades, dinheiro no banco e trabalho, não chega a ser pobre, necessariamente. Alias, corre sério risco de ser considerado um membro das elites privilegiadas. O que vai determinar é: Formação universitária se for de alguma escola das elites (tipo USP, PUC, GV) pior ainda, o cara correrá sério risco de ser considerado um neoliberal. No meu tempo, esses eram os conservadores. Uma coisa é certa, pobre é que não será.

Jesus teria sérias dificuldades em andar por aqui, nesse nosso tempo. Já imaginou ele declarando solenemente: “Eu vim para os possuidores do Bolsa Família.”

Outro dia eu estava na Casa dos Conselhos. Não, não estava na China. Foi aqui mesmo, em Sorocaba e lá tem o balcão onde as pessoas fazem o cadastro para o desejado cartão amarelo. De repente uma atendente ficou sem ter a quem atender e eu me coloquei na frente dela. Pois não, senhor. Ela me disse. Falei: Que é preciso fazer para ter um cartão desses? Ela respondeu na lata e com um sorrizinho sarcástico no canto da boca: Em primeiro lugar: ser mulher, depois ter filhos em idade escolar e…. Agradeci e sai da fila.

Por muito tempo pensei ser pobre e agora, em adiantado estado de vivência, descubro que nunca fui pobre.

Sou mesmo um desgraçado. Estudei na PUC e na GV, sou homem e não estou mais na idade de ter filhos em idade escolar. Se Jesus optou mesmo pelos pobres, então estou fora, definitivamente. Miserável homem que sou.

lousign

8 thoughts on “Um Pobre, mas quem é pobre?

  1. Sei o que é isso. Estou mooooooorta de cansada, louca de vontade de me aposentar, mas…tenho “só” 49 aninhos. Trabalha peão!!!

  2. Nem me diga.
    Veja você que em vários momentos eu tive a oportunidade de me deparar com pessoas que insistem que estou mentindo quando digo que moro na favela. Um deles, de um grupo chamado F.U.R.T.O, teve a petulância de me dizer que eu não me vestia como moradora de favela ou morro( e eu usava calça jeans e camiseta). Será que ele pensa que na favela ninguém se veste ou que usam toga. Sinceramente, eu não entendi o moço.

  3. Houve um tempo, não muito longe, em que a definição de pobre, aqui no interior, era dada pelo sobrenome. Dependendo do sobrenome vc não era pobre, era “de família”. mesmo sem um tostão…

  4. Novos tempos!! Se bem que algumas dessas coisas que vc citou, não é bem da mina época. rs…
    Adorei, essa foi a frase da semana pra mim:
    “Jesus teria sérias dificuldades em andar por aqui, nesse nosso tempo. Já imaginou ele declarando solenemente: “Eu vim para os possuidores do Bolsa Família.”
    Excelente humor.

    1. A mulher de ferro da Inglaterra, Margareth Tatcher diria a você: “Não me venha com essa conversa de esquerda dizendo que os ricos empobrecem os pobres. Ao contrário são os ricos que acabam com a pobreza gerando riquezas”. As maiores e piores misérias desse mundo estão onde não há ricos.

  5. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *