A Gruta do Lou

Um curador ferido

111309_1306_umcuradorfe1

“Não existe nenhum remédio mais eficiente, descobri, do que aquilo que Henri Nouwen chama “um curador ferido”. Bem aventurados são os que choram, pois serão consolados.”

Philip Yancey em O Jesus que eu nunca conheci

Pergunta-se muito por aí sobre a razão de tanto sofrimento e dor. A maior parte deve-se às causas conhecidas, como o pecado, tão desprezado hoje em dia, e suas conseqüências. Entretanto, Deus em sua proverbial sapiência elegeu alguns (para delírio calvinista) sofredores para o ofício sacrossanto de curador ferido. Sabe aquela história que o apóstolo Paulo descreveu como: consolando com as mesmas consolações com que fostes consolados. Deus é um judeu em potencial e, como tal, não costuma dar ponto sem nó. Cada consolação custa o preço de consolar outros em aperto, quando esses aparecerem em nosso caminho, provavelmente.

Creio poder afirmar que nunca recebi consolo consciente de alguém cuja experiência não incluísse cicatrizes na alma e no corpo. Alguns imaginam que uma temporada em algum seminário de luxo ou não pode dar alguma capacidade ministerial. Ledo engano. Aliás, quando o baiano busca experiência nesses centros, pode não ser um bom sinal. Melhor confiar naqueles que diariamente enfrentam a lide no Farol da Barra ou nas plantações de cacau. Gente capaz de lhe ajudar, de fato, tem marcas nas mãos e não milongas na língua.

A cada novo consolo, temo o que poderá atravessar meu caminho, logo ali à frente. Uma pessoa doente, alguém acaba de perder um ente querido, para a morte ou para outrem, uma falência aqui e uma injustiça danada acolá. Então me lembro de minhas próprias dores e de como fui consolado, nem que tenha sido através do silêncio do tempo ou da mais completa sensação de abandono presencial de Deus, como aconteceu a Jesus de Nazaré quando se viu pendurado naquela cruz infame dos não menos infames romanos, devidamente aprovados pelos sacerdotes judaicos.

Provavelmente, era a isso que o Mestre se referia quando disse para tomarmos nossa cruz e seguir a dele. Nada contra o saber, em muitos casos ou na maioria, extremamente necessário, mas um bom pescador se faz no mar.

lousign

6 thoughts on “Um curador ferido

  1. Pingback: Ariovaldo Jr
  2. Consolar com o que fomos consolados, significa repassar o que recebemos, pois nós, por nós mesmos, não temos nenhuma condição para consolar ninguém, talvez só enganar, isso sim, mas consolar mesmo, só repassando.

  3. Pingback: LUCIOCARDOSO
  4. “Um bom pescador se faz no mar”
    Meu sogro,Dr.Yoshito sabia bem o significado dessa frase, e fazia questão de demostrar isso, na quantidade de robalos que trazia pra casa e repartia com todos.

    Repartir é um dos ensinamentos do mar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *