A Gruta do Lou

Trópico de Capricórnio

capricornio

 Capricórnio

Não sei se foi alguma dessas “coincidências” do destino, para quem gosta de uma boa predestinação ou se foi mesmo uma ação divina onde o Criador nos teria trazido ao mundo na falaciosa data do nascimento de Jesus para realmente dar ao mundo algo santo. 

Se, de fato, nascesse em 25 de dezembro e viesse com a missão de salvar o que ainda não se perdeu nos antros escuros dos lugares que se auto denominam “Igreja” ou pelas mãos nojentas do capitalismo selvagem ou ainda, via marxistas maquiavélicos ensandecidos.

Atualmente, o slogan da Gruta é: “Arquivo de ideias capazes de condenar à eterna mendicância” . Diferentemente de blogs menos famosos e mais alinhados com o Status Quo, aqui os slogans são mutantes, geralmente nascem colando ideias alheias e, antes de tornarem-se bordões, desaparecem dando lugar a algo novo.

Outra coincidência: esse é, pelo menos por hora, o post de número 1.300. Acontece que a parte  invisível do blog está uma bagunça só. Há posts antigos espalhados pelo chão, sob caixas, escondidos pela montanha de poeira e ainda aguardando um lugar ao sol, digo, no blog.

Quando e se eles forem elevados ao status de posts publicados a numeração mudará e só Deus sabe qual virá a ser a designação numérica deste.

Nós só começamos a utilizar medidores de postagens, comentários e essas modernidades na pós modernidade e muita coisa ainda não entrou para as estatísticas históricas da Gruta.

Segundo o Motigo (que nem existe mais), que iniciou seus trabalhos por aqui em 13 de maio de 2006, a Gruta recebeu um total de 284.470 visitas, de lá para cá. Já o controle analítico do WordPress informa que, além das 1.300 postagens, foram mais 7.479 comentários, 17 páginas de informações alternativas e os posts estão divididos me 197 categorias.

Esse negócio das categorias é uma tortura para mim. Tenho ideia de dar uma de God e colocar ordem nesse caos, mas me comporto como ele e procrastino na esperança do rio encontrar o caminho para o mar sozinho. Pelo menos, ficaria mais zen.

Para os cristãos amantes do horóscopo e que sentem certo prazer em viver nas imediações do Trópico de Capricórnio, de forma enrustida, e sem coragem de sair do armário, digo, do mapa astral, a Gruta é tão zodíaca quanto a Bíblia e capricorniana quanto Jesus e o autor do blog e todos com ascendente em capricórnio, também.

Ou seja, por aqui, é chifre para todos os lados, mas nós sempre chegamos lá, embora devagar, que é mais gostoso.

É isso, você poderá deixar seus cumprimentos verbais via comentário ou, se preferir, fazer algo mais corajoso, como um cumprimento em espécie, fique à vontade.

Grande beijo em todas as carecas e perucas presentes e ausentes. Amo vocês todos de montão.


Lou Mello

Capricornio PB

4 thoughts on “Trópico de Capricórnio

  1. Parabéns a Gruta e a todos os grutenses! 5 anos de vitórias e derrotas. Afinal, nem na Gruta a vida é fácil – principalmente.

    Pois é, a Gruta foi concebida nas mesmas perspectivas que tiveram Davi, quando perseguido refugiou-se em uma gruta (Caverna de Adulão), ou Elias desanimado com as tantas injustiças de um rei psicopata e sua mãe louca também buscou refúgio em uma Gruta e o principal, Jesus nasceu em uma gruta e seu corpo foi depositado em outra. Parece que as Grutas sempre estiveram bem no centro dos caminhos divinos, em favor dos necessitados, né não?

  2. eu só espero que o administrador da Gruta não tente mudar a minha pedra favorita de lugar(aquela, onde fico sentada horas,pensando)

    Não resta nenhuma dúvida que qualquer mudança só acontecerá no âmbito do blog. A Gruta será sempre o recanto ideal para os cristãos cansados, perseguidos, fragilizados e maltrapilhos. Sem falar que dela poderá se levantar um exército capaz de colocar o reino das trevas abaixo do chão.

  3. 5 anos “andando na fina linha entre pagãos e cristãos” ?! – For The Love Of God/Steve Vai

    Puxa gostei! Vocês estão definindo o blog cada vez melhor. Essa participação não poderia ser música melhor para os meus velhos ouvidos. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *