A Gruta do Lou

Solução sim, problema não.

Entre tantas coisas a solucionar, chegou a hora (desde 8 de janeiro) de renovar minha carteira de motorista. No atual momento, essa operação se reveste de maior importância, pois para fazer os translados relacionados ao tratamento do Thomas, a melhor opção tem sido a locação de automóveis e eles não alugam para pessoas que estão com suas carteiras vencidas.

Ontem eu fui até a casa do meu amigo, que nas horas úteis também é pastor e nas fúteis, meu cliente. Como tem certa liberdade comigo, conversamos um pouco sobre minhas necessidades atuais. Depois, pediu licença e saiu, enquanto eu dava continuidade à configuração do roteador Wireless dele (faltava colocar uma senha). Quando voltou, informou que havia ligado para uma moça que trabalha como despachante e é esposa de um parente dele, e havia conseguido encurtar o caminho para a renovação de minha carteira. Em seguida me convidou a ir até um local onde se faz o exame médico necessário e pagou a taxa do próprio bolso. Agora só falta aguardar a despachante enviar a papelada restante e ir ao Poupa Tempo (um local do governo onde se obtém a maioria dos documentos) para obter a carteira renovada, o que deve acontecer no início da semana que vem.

Fiquei pensando na atitude de meu amigo. Apesar de ser um pastor, ele não veio a mim como um amigo de Jó. Não trouxe julgamento nem aquelas sugestões esdrúxulas que os pastores e intrometidos costumam trazer, como o Pastor Jonathan que me sugeriu iniciar um comércio, por exemplo. Costumo responder a essas sugestões com a tradicional pergunta: Mas como eu nunca havia pensado nisso? Ao contrário, meu amigo trouxe uma solução, dentro das possibilidades dele e altamente indulgente. Ele não sabe, mas me deu um momento de esperança, também.

As pessoas iam ao Mestre (e continuam indo até hoje) com seus problemas e Ele respondia-lhes com soluções, sempre. Não julgava, não condenava e não lhes atirava sugestões mesquinhas na cara (aqui a palavra no original é outra).

Se tiver soluções, venha a mim e eu me aliviarei.

5 thoughts on “Solução sim, problema não.

  1. Os outros sempre pensam coisas que a gente ainda não tinha pensado (como diz o Vítor) e isso pode ser para o bem ou para desgraça.

    Dar um bom caminho (que muitas vezes é a própria solução) é dever de todo cristão. Andar a milha extra para ter certeza de que a solução será alcançada é característica do bom cristão!

    P.S. – adorei a décima descoberta via Brabo – revela descompromissadamente muito de voce: suas realizações pessoais são grandes!

  2. Pingback: Lou Mello
  3. É vero. Eu muitas vezes me portei como os amigos de Jó. Toda vez que isso acontece, vem alguém pra me fazer acordar. Inda bem!
    Nosso papel diante de Deus é acudir as pessoas em suas necessidades, sem esperar nada em troca. Como seres humanos temos a tendência de querer arranjar a vida do sujeito, para termos garantia de que não precisará outra vez. “Afinal, nunca foi entre você e os homens, mas entre você e Deus” (Madre Thereza). Seja sempre mais do que solidário.

    Isso mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *