A Gruta do Lou

Sexo não é pecado e ser rico também não

Sexo não é pecado
Sexo não é pecado


“O dinheiro não é ensinado nas escolas. As escolas se concentram nas

habilidades acadêmicas e profissionais mas não nas habilidades

financeiras.”

Robert Kiyosaki

Quando moramos nos EUA, minha filha teve algum ensinamento sobre dinheiro, na escola primária. Coisas básicas sobre o valor das notas e moedas e conceitos simples sobre o uso do dinheiro na troca por mercadorias. Não foram muito além disso. Entretanto, ela teve um ganho enorme se compararmos com os alunos das escolas brasileiras, que não recebem qualquer orientação nesse sentido, salvo exceções raríssimas em escolas particulares da classe média.

Se calcularmos o tempo mínimo que uma pessoa está obrigada a passar na escola ( no Brasil é obrigatório cumprir o ensino fundamental) teremos oito anos de ensino fundamental, três anos de ensino médio e quatro anos de faculdade no mínimo, concluiremos que as pessoas devem passar quinze anos na escola, pelo menos. Considerando que nossos filhos, mesmo os mais pobres, começam a frequentar a escola muito cedo, então teríamos mais quatro anos de pré – escola, levando a conta para dezenove anos. A isso poderíamos somar mais dois anos de mestrado e quatro anos de doutorado, formação mínima exigida em nossos dias pelo mercado de trabalho. Nesse caso, uma pessoa gastará vinte e cinco anos sentado nas desconfortáveis cadeiras escolares.

Creio poder afirmar que até o fim do ensino médio, o cara não aprende nada sobre dinheiro ou finanças, exceção aos espertinhos que trocam o curso médio por um curso técnico em contabilidade, embora esses caras o farão para serem treinados ao trabalho como empregados em contabilidades. Entre outras coisas, manter os jovens confinados em escolas é uma estratégia excelente para preparar mão de obra para a indústria, o comércio e os bancos e mantê-los fora da luta por dinheiro. Claro que eles não são informados que não haverá emprego para todos e de cada cinco, quatro entrarão para o que o capitalismo chama de “reserva de mão de obra”. Duro é sair dessa reserva

Uma vez, li um pequeno livro de bolso, daqueles que o Dr. Dale Kietzman comprava para ler no avião em suas vindas ao Brasil, chamado “So you want to be a leader” (Então você quer ser um líder! t.l.) onde o autor (Kenneth O. Gangel) dizia que: “se você quer ser um professor, trate de estudar, fazer mestrado, doutorado e pós doutorado, mas se pretende ganhar dinheiro, largue a escola assim que aprender assinar seu nome, for capaz de somar e multiplicar e vá atrás de seu objetivo”. Pena que não dei bola para esse gringo, na época, mas ainda bem que não vendi o livro junto com os outros, em troca de dinheiro para comprar comida, e ainda está em minha estante. Acho que ele vale por essa frase, ao menos.

Durante anos, acreditei que se você enriquece, isso custará a pobreza de muitas pessoas. Comecei a mudar essa crença quando pensei que poderia enriquecer na boa se enriquecesse todos à minha volta, também. Mas agora evoluí essa crença mais ainda, pois descobri que o dinheiro é fabricado a qualquer hora pelos governos do mundo, sem qualquer valor em contrapartida, seja em ouro ou qualquer outro equivalente. Em nossos dias, vale o quanto uma país consegue acumular em moeda considerada forte, que não deixa de ser um dinheiro fabricado expontaneamente por algum país considerado rico. Há outros fatores envolvidos, mas não quero gastar tempo com isso em um simples post. Em geral seria isso. O mais importante aqui é que eu me deixei levar por uma enorme falsa crença durante anos. Agora tenho mais duas crenças fortes: Sexo não é pecado e ser rico também não. Claro que muitos se enrolam nas duas coisas, provavelmente porque esquecem ou desconhecem outros princípios fundamentais.

Se você tem dúvida sobre o valor de pessoas ricas e com bons princípios, pergunte a opinião do seu pastor sobre essas pessoas. As igrejas mais importantes do país, bem como suas atividades missionárias e sociais, só são possíveis graças à presença de gente desse tipo. O problema é que nesse nosso mundinho não há possibilidade de escolhas intermediárias, ou você é rico ou ficará na outra única fila, a dos pobres. Não se iluda, essa fila, a dos pobres, é formada pela imensa massa trabalhadora desse e dos demais países. Os tais filhos do Lula, embora os filhos biológicos dele tenham trocado de fila, nos últimos oito anos.

Os meus seminários de Finanças Ok estão indo muito bem e tudo isso e muito mais é tratado lá com muito amor, bom humor e sobretudo, muita sinceridade. Alguns participantes já estão mudando suas vidas financeiras significativamente. Assim que possível, participe de um deles. Gosto de afirmar que é trocar um dia por uma vida e o investimento em $ é muito pequeno. Alguns gastam muito mais em um mês de jogos lotéricos, sem ganho algum. No Finanças OK você ganha sempre.

morcego-12

4 thoughts on “Sexo não é pecado e ser rico também não

  1. Ser rico traz privilégios inimagináveis, e responsabilidades também.

    Por amor a riqueza, dificilmente entrarão no Reino dos Céus, arriscou um Mestre de pescadores, meretrizes e pecadores.

    Amar ao dinheiro é o grande problema, sem dúvida.

  2. Há uma grande diferença entre ser rico e produzir riqueza. Creio, sinceramente, que ser rico é antiético. Gandhi cria ser imoral comer mais de duas refeições por dia enquanto houvesse indianos que não tinham nem uma. Acho que ser rico só será aceitável quando todos no mundo o forem – o que é muito improvável.
    Já, produzir riqueza é outra coisa. O problema é que em nosso mundo o cara é obrigado a ser injusto se quiser produzir riqueza, porque é assim que o sistema funciona. Olhei este assunto de todos os pontos e ainda não vi uma forma de produzir “riqueza cristã”.
    Então só resta o “uso cristão” da riqueza, o que já não é pouco, mas não é a mesma coisa, nem o ideal.
    O cara doou 99% da sua riqueza (44 bi de dólares); ainda assim ficou com mais do que minha família – e a tua – vai ganhar a vida inteira!!! Cadê a moralidade disso???

    Também penso assim. Escrever sobre a moral e o dinheiro ou a ética do dinheiro dá e sobra pano. Creio que não há nada errado, muito menos seria pecado, em ganhar dinheiro com inteligência e honestidade e usá-lo bem, depois. Mas o principal, a meu ver, é refletir sobre as falsas crenças e elas atiram sempre em favor de levar as pessoas a acreditarem que é errado ou pecado ganhar dinheiro e que o melhor seria permanecer no trabalho escravo ou como mão de obra dos proprietários de indústrias, comércio, bancos, etc. Ideal seria se nosso sistema fosse outro, cuja base não fosse o dinheiro, sem empregados, patrões, ricos e pobres. Algum tipo de igualdade. Talvez o que pensava Jesus: “Buscai primeiro o Reino de Deus e todas as coisas vos serão acrescentadas”. Quem consegue crer nisso?

  3. Você me salva com essa de sexo não ser pecado. De ser rico já desisti.

    Quem te salva, nesse caso, é o próprio inventor de tudo isso, que não imaginou o sexo para o pecado. Nós o contaminamos com nosso jeitinho promíscuo. Nossa atitude em relação à criação é toda infeliz. Meu propósito é trabalhar a falta de informação da maioria das pessoas em relação às finanças, principalmente em relação a toda a manipulação do sistema no intuito de manipulá-las. E Belo Horizonte está na minha agenda. Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *