A Gruta do Lou

Revelações do Wikilouks

Wikylouks
Wikylouks

Nos últimos dias, talvez semanas, nossa grutinha passou por maus pedaços e, provavelmente, você não chegou a notar em muitas coisas. No máximo, é provável que tenha percebido algumas mudanças frenéticas de Tema, componentes e até alguns períodos de ausência do blog.

Na verdade, houve uma tentativa frustrada de troca de servidor. Fomos para um servidor que faria o mesmo pela metade do preço. Certa madrugada, copiamos os arquivos para o novo servidor, trocamos todos os DNS no Registro Br, aguardamos a publicação e iniciamos a ativação dos blogs. Até aí tudo bem. No primeiro dia estive tão mergulhado nessas tarefas que nem percebi o dia passando. Foi então que os problemas começaram.

Um cliente ligou reclamando que não estava recebendo os E-mails dele. Com a consciência pesada, logo imaginei que era consequência da mudança de provedor e fui logo reclamando dos caras que, por sinal, me atenderam muito bem, em duas de três tentativas. Mas não adiantou nada, pois o problema persistiu. Dois dias depois, lutando com esse problema e nada de solução, resolvi voltar para o antigo provedor. Paguei a mensalidade cara e reinstalei todos os arquivos, blogs, Registro Br, etc.

Acontece que, nesse meio tempo, fui chamado à casa do meu cliente, aquele que reclamou do problema com os E-mails, para fazer outro serviço, relacionado à rede Wireless dele. Meu notebook anda esquentando, uma ventoinha cansada pedindo substituição, isso me faz buscar medidas paliativas, como repousar o aparelho sobre algo que o mantenha levantado e deixe mais espaço à ventilação. Então encontrei uma caixa do tamanho certo, em uma mesa e a coloquei sob o notebook, não sem reparar que se tratava do estojo de uma mídia de Office 2010, recém adquirida.

Em meio a roteadores, antenas e configurações, meu cliente, que por acaso é um amigo, também, me comunicou que havia adquirido um Office 2010 com três licenças e só havia utilizado duas, portanto, se eu quisesse eu poderia instalar o programa com a terceira licença. Agarrei os números, fui para casa. Noventa e dois quilômetros depois, encontrava-me baixando o software da internet e realizando a instalação com os números de licença cedidos pelo cliente – amigo.

Após a instalação, fácil e muito dinâmica, tratei de fazer as atualizações devidas e lá fui eu para o Outlook novo. Pimba! Na mosca, os E-mails não chegavam mais de forma límpida. Começaram a claudicar ou até não chegar. Novas contas não queriam instalar e as velhas pareciam novas. Tudo que meu cliente reclamara naquele dia fatídico.

O pecado não compensa mesmo, nem tanto por ele, mas pelo efeito que é capaz de causar. Nossa mente entra em pânico, pops e imaps depois estamos completamente desnorteados e prontos para um bom exorcista.

morcego-12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *