A Gruta do Lou

Ressaca Carnavalesca

Escola de Samba Unidos da Tijuca

Planejei migrar todos meus sites e blogs para minha revenda (Louweb) durante o Carnaval. Foi um plano rasteiro, pois contei com a não presença dos grutenses, visitantes e leitores, evidentemente, muito mais interessados nas marchinhas, desfiles das escolas de samba e em aumentar a audiência da Globo. Muitos aproveitaram esses dias mais secos para voltar à praia e descontar o tempo perdido nas férias, se bem que o calor era o mesmo. Não sei qual foi a última vez que estive em uma praia, deve fazer uns quinze anos ou mais, embora tenha passado por cidades litorâneas, uma ou outra vez.

Se alguém perguntasse agora se conseguirei implementar meu plano, não saberia responder. Não sei nem se preciso de ajuda, embora desconfie que sim. No meio do Carnaval estava fácil conseguir ajuda do pessoal do servidor, agora deve ter voltado ao normal, ou seja, com fila de atendimento. Talvez faça uma tentativa, acordei mareado mas agora estou me sendindo melhor, deve ter sido o bolo da festa.

Durante as férias, que para mim funcionam ao contrário, ou seja, o pessoal sai de férias e eu não tenho outra alternativa a não ser ficar em casa lambendo os dedos, icluí três livros em minhas leituras: “A Bacia das Almas” do Paulo Brabo, “Conceito de Angústia” de Soren Kierkegaard e “Pense e Enriqueça ” de Napoleon Hill.

Quanto ao livro do Brabo, trata-se do melhor livro escrito por autores com viés cristão brasileiros que já li. Não desconfie, eu li muitos, seguramente todos os mais conhecidos e nada se compara a “Bacia das Almas”. Em certos momentos da leitura, você esquece que está lendo um autor nacional. O nível de pesquisa para os textos, a linguagem e o nível de aprofundamento nos temas é sem igual, nessas paragens. Se você não adquiriu seu exemplar, ainda, pare tudo agora e clique para adquiri-lo. Fique tranqüilo, não receberei nenhuma comissão, nesse caso.

Sobre o Conceito de Angústia, você só poderá entender minha diferença com os psicólogos depois de ler esse livro. Lembro que ele foi escrito no século XIX e o autor não tinha trinta anos, ainda. É um arraso, com a psicologia e grande parte das estruturas teológicas vigentes, em nossos dias. A psicologia só existe como alternativa à teologia e depende profundamente do pecado original, assim como nós, metidos a teologar. Kierkegaard desfaz o alicerce da psicologia e, conseqüentemente…

Como não tenho pretensões a ser cult ou exercitar o estilo, leio e recomendo livros de auto-ajuda. Dentre os meus prediletos, dois são do Hill, esse “Pense e Enriqueça” e “A Lei do Triunfo”, os melhores a meu ver, junto com o “Poder do Pensamento Positivo” de Norman Vincent Peale e “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas” de Dale Carnegie. Esse pessoal do Segredo leu esses caras a valer, mas não chegam a lamber-lhes a sola da bota. Livros de Auto-Ajuda desse naipe são essenciais para pessoas como eu, com tendências a viver em grutas.

Segundo o Hill, a persistência é uma característica indispensável a aqueles que enriquecem, então persistirei em implementar minha revenda de hospedagem de sites, blogs e afins.

4 thoughts on “Ressaca Carnavalesca

  1. Pingback: alzira sterque
  2. Perseverando, até o fim.

    Nessa semana de feriados, fiquei assistindo as Olimpíadas de Inverno, em Vancouver – Canadá (na tv aberta, claro).

    Abraço.

    Taí um programa legal. Parabéns!

  3. o livro do Brabo é mesmo muito bom,
    beijos,
    alê
    🙂

    Bom ver seu comentário por aqui e, pelo visto, bem acompanhada de boas leituras.

  4. Gostei muito do livro Bacia das Almas,me impressionei com a primeira metade do livro,onde o Brabo demostra ser um teólogo fascinante,contemporâneo e bastante capaz de estabelecer relações com outros espectros do conhecimento,ao terminar a primeira parte estava mais apaixonado ainda por Jesus.
    Quanto aos trechos do livro nos quais ele expoe sua veia literária ficcionista fiquei com a impressão de que ela não consegue acompanhar os outros momentos do livro,nem de longe seu estilo mágico-realista,alcança a concisão,beleza e criativade de sua prosa teológico-política.De qualquer forma foi maravilhoso ler o livro e conhecer uma pessoa fascinante que mesmo desejando se ocultar se mostra de forma clara inequívoca,como só os puros de coração conseguem ser.

    Nem eu conseguiria fazer um comentário tão preciso de Bacia das Almas. Felicitações! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *