A Gruta do Lou

Principais da Sinagoga

“Estando ele ainda falando, chegou um dos principais da sinagoga, e disse: A tua filha está morta, não incomodes o Mestre. Jesus, porém, ouvindo isto, respondeu-lhe: Não temas, crê somente e ela será salva.” Lucas 8:49 – 50

Se há alguém nesse mundo que não quero encontrar, são os tais “principais da sinagoga”. Esses caras são terríveis. Portadores de más notícias, geralmente falsas, pessimistas, soberbos, arrogantes e, acima de tudo, brochantes. Eles têm esse dom de acabar com qualquer esperança. Adoram dar a notícia de morte.

Não se deixe enganar. Se você está imaginando que essa gente aparece vestida de rabino, padre ou pastor, apenas, está muito enganado. Eles usam todos os tipos de disfarces. Podem aparecer vestidos de médicos (esse é um disfarce que eles adoram), de parente próximo, de advogado, psicólogo, amigo, policial e assim vai.

Quando nosso filho Thomas nasceu e deu sinais de problemas cardio-respiratórios, foi levado para o exame de eco-cardiograma. Enquanto aguardávamos a vez, o médico aproximou-se de mim e disse: esses sintomas, às vezes, são relacionados a líquido engolido pelo bebê, durante o parto. Entretanto, se for problema cardíaco, certamente, é um problema muito grave. Disse isso com a aquela cara de: dificilmente ele passa de hoje. Após o exame, e constatada a cardiopatia complexa, uma médica veio e disse: Ele precisa ser operado, imediatamente, caso contrário, não sobreviverá. Eram os “principais da sinagoga” e eu não me dava conta disso.

Meu mundo estruturado na mais sólida doutrina cristã reformada, devidamente enquadrado no mais puro fundamentalismo e regido pela “inteligente” interpretação literal da bíblia, estava ruindo. Caraca! Eu era missionário, professor de quatro seminários fundamentalistas, atendia a uma congregação de beira de barranco, não mentia, não roubava, comia o pão amassado pelo diabo e dava graças a Deus por ele e essa era a recompensa? Cadê as bênçãos, perguntava eu silenciosamente. Como isso estava acontecendo, logo comigo. Nenhum dos meus conhecidos e devassos amigos havia sido vítima de tal destino. Mas o idiota aqui ficara com o mico na mão, de novo, exatamente como sempre acontecia antes de tanto Deus na minha vida.

Os médicos entraram em uma sala para discutir o caso e eu fiquei do lado de fora, sozinho, sentado em um desconfortável banco de espera. Dizem que bancos de espera não são confortáveis para convencer os incautos a desistirem da espera. Persistente, olhei para minha mão e lá estava ela, a Bíblia, junto com o livro da hora. Fiz um movimento inédito. Abri as escrituras em qualquer lugar e comecei a ler o primeiro texto que me saltou às vistas. Era esse aí, no topo desse post.

Mais de dezenove anos se passaram. Estamos às voltas com os “principais da sinagoga” de novo. Eles continuam vestidos de médicos, mas têm aparecido nos comentários do blog, em telefonemas e como vendedores de planos de saúde, também.

Percebi que a frase de Jesus continua contendo verbos gregos que são lineares, diferente dos nossos, que costumam ser pontuais. Continuo a crer e a dizer para o medo cair fora, pois o mestre não me autorizou a fazer parceria com ele. Não é fácil. Minha tendência humana está mais para a covardia. Ainda bem que a vontade do Nazareno não depende de nada que eu possa oferecer. Felizmente, criei anticorpos contra esses seres abomináveis, os “principais da sinagoga”. Eles não conseguem me enganar mais.

OPS: Se sentir o toque de Deus para apoiar nossa causa, clique no link Coração Valente e em como participar, no topo da página. Antes de fazer qualquer coisa, ore e pergunte ao Senhor o que você deve fazer. Muito obrigado.

8 thoughts on “Principais da Sinagoga

  1. … .. minha vida tb está cheia deles…pra onde me viro vejo mais um chegando, um saco.

  2. Adorei esta frase: “Ainda bem que a vontade do Nazareno não depende de nada que eu possa oferecer. ”

    É isso. Lixem-se os principais da sinagoga. É Àquele que diz “não temas, crê somente” que vc deve ouvir.

    Ahhh… eu me sinto mal de não poder ajudar “de maneira prática e palpável”… mas oração tá valendo, né?

  3. Eu não creio que tenhas medo. A bíblia diz que quem ama não teme, porque o amor lança fora o medo. e tu amas demais o teu filho. Não queres é sofrer nem ver sofrer e isso é amor, mais uma vez.
    God bless you.
    T.

  4. ps: uau, consegui comentar, hehehe. gostei na nova cor – verdinho…

  5. Os principais da sinagoga se disfarçam de tudo em todos, geralmente estão a serviço do maioral deles, que gosta de roubar, matar e destruir.

  6. Lou

    Eu acredito que a Bíblia é a melhor explicação da própria Bíblia, e lá está escrito :

    Conheço a tua tribulação e a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia dos que dizem ser judeus, e não o são, porém são sinagoga de Satanás. (Ap 2:9)

  7. Oi Lou

    Meu nome é Mauricio, sou pastor batista nacional na Vila Paulicéia (S.B.do Campo), terceira geração de pastores na família (benção ou maldição hereditária, não sei), professor em dois seminários teológicos.
    Estou escrevendo para dizer que sou solidário ao seu sofrimento.Tenho uma mãe linda, um exemplo de pessoa para a igreja e família, que sofre há quase nove anos lutando contra um cancer no nariz. Há quatro anos atrás, depois de radioterapias e um longo tratamento foi diagnósticada a cura. Testemunhos, alegria e festa na família e igreja. Um prato cheio para um cristianismo cartesiano ou pentecostal.Porém, um ano e meio atrás surgiu uma pequena ferida que foi traduzida como efeito da radioterapia, infelizmente não era, para perplexidade dos próprios médicos o câncer reincidiu.De volta para o hospital das clínicas,recomeçando a peregrinação inglória de consultas e exames,contemplando toda sorte de gente sofrida deformada pelas patologias mais horríveis, lá fomos nós para os intermináveis bancos de espera. Finalmente o diagnóstico foi fechado e a solução seria a cirurgia, a remoção da área infectada considerando também uma margem de segurança. Em outras palavras seria necessário remover o nariz, nervos, e pedaços dos ossos faciais com a possibildade de remoção do globo ocular (que felizmente não foi afetado).
    No dia da cirugia, quando esperamos por sete horas seu retorno para a enfermaria, parecia que tinha voltado de um acidente automobilístico. Recem acordada sem respirar direito a única frase que ela balbuciou foi para que eu orasse por ela. Fiz uma oração sem jeito, sem fé, sem nada. Quando sai do quarto abraçado com meu pai que pela primeira vez começou a chorar convulsivamente, meu desejo foi de nunca mais orar a Deus pela cura de ninguém.
    Faz um mês que a cirurgia foi feita, dos médicos das clínicas, não tenho nenhuma reclamação por que ela foi muito bem tratada. Minha mãe já está em casa, ontem fizemos a primeira prova da prótese que ela terá de usar. Desde a cirurgia minha mãe tem demonstrado força e alegria. Nenhuma vez ficou deprimida, contrariando até mesmo o que achávamos. Ela ficou feliz em ver o molde em gesso do seu novo “nariz”.
    Eu passei por picos de ansiedade, medo, incredulidade com nunca havia passado antes. Envelheci e me renovei, teológicamente já tinha posicionamentos sóbrios sobre a questão do sofrimento, mas quando estamos no olho do furacão não há como manter inalterada nossa crença.
    Recentemente aconselhei um casal que está esperando um filho com profundas anomalias genéticas. A criança não sobreviverá segundo os médicos. Conversando com eles percebi que mudei.

    Senti a dor deles, como também posso dizer que sinto um pouco da sua.

    Lou, estamos vivendo o mundo real. Antes eu achava que a vida é boa, hoje acho que a vida é preciosa. É no sofrimento que a gente consegue ver o outro.

    Um beijo no seu coração e do seu filho.

    PS.: Passei na MamaNunes e peguei seu banner, já está no meu blog: http://praxiscrista.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *