A Gruta do Lou

Pescadores de Homens

procissao

Na última semana, os convites para pregar voltaram a inundar minha caixa postal. Entre tantos, pastores na Hungria, Índia e Estados Unidos sondaram a possibilidade de me levar às suas igrejas para séries de conferências. Mas o convite que mais me sensibilizou foi de um pastor da Paraíba. Respondi a ele que não sou um pregador, apenas um simples escritor de blog. Mas ele replicou: Não! Eu vi o senhor na televisão, e atrás de si, estava Jesus. Na verdade, ele me viu no Youtube e atrás de mim devia estar o espírito do Manning, pois eu estava recitando o texto dele em português, apenas. Mas isso me emocionou e, se João Pessoa fosse mais perto, estaria lá nesta manhã, certamente, narrando a passagem de Jesus e sua escolha dos discípulos. Peque sua Bíblia, tire o pó e abra em Mateus, capítulo 4: 18 – 22. Leia, se puder.

Evangelho segundo Khalil

Naquela tarde, andávamos a beira do mar da Galiléia. Descalços, sandálias na mão, deixávamos as pequenas ondas molhar nossos pés. Jesus falava sobre seus pais e sua vida doméstica, seu aprendizado na sinagoga e até rimos a valer com o relato bem humorado que ele fez da vez em que se perdeu no templo em Jerusalém, para desespero de seus pais.

Quando chegamos ao lugar onde os irmãos André e Simão estavam limpando seu barco da pescaria daquele dia, aliás, todas as tardes nas últimas duas semanas nós havíamos caminhado até aquele ponto, Jesus parou e saudou os trabalhadores. Também eu cumprimentei os homens. Nas tardes anteriores, o Mestre perguntara-lhes sobre a pesca do dia e conversara com eles sobre assuntos triviais, mas dessa vez ele disse-lhes algo surpreendente:

– “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”.

Ficamos todos perplexos, sem saber o que dizer. Muito mais do que eu, os pescadores conheciam a Jesus, desde menino e o admiravam. Fariam por ele qualquer coisa. Não foram poucas às vezes em que se envolveram em brigas para defendê-lo dos outros meninos que não compreendiam sua espiritualidade, sensibilidade e inteligência. A pesca era uma atividade de sustento, para eles e suas famílias, o barco fora do pai deles e havia todo um esquema de produção envolvido.

Naquele instante, reparei em André, ele permaneceu segurando uma das pontas da rede por longos minutos, com olhar perdido. Enquanto isso Simão moveu-se rápido, empurrando tudo porão abaixo sem o cuidado habitual, até que André se uniu a ele na arrumação das coisas. Enquanto isso, Jesus dirigiu-se a mim, lentamente. Ele tinha uma estrela do mar na mão e estendeu-a a mim. Senti que aquilo significava um sinal. Tomei a estrela e guardei na minha mochila de pele de camelo. A seguir ele repetiu olhando para mim:

– “Pescadores de homens”!

Com a companhia de Simão e André, continuamos a caminhada pela orla do mar, quando o filho do carpinteiro José viu Thiago, filho de Zebedeu e João seu irmão. Eles estavam no barco com o pai, cuidando das redes e Jesus os chamou, fazendo-lhes a mesma proposta:

_ “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”.

Eles largaram as redes e o barco, no mesmo instante, com um leve aceno para o pai e seguiram ao mestre. Nesse ato, eles estavam deixando para trás toda uma vida. Seu sustento, o lugar no negócio do pai, um dos pescadores mais respeitados da região, todo conforto e segurança que isso lhes proporcionava. Agora seguiam sem saber seu destino ao certo, mas confiantes naquele que tinha a palavra da verdade. Senti que havia orgulho em seus semblantes por terem sido escolhidos por Jesus.

Pude, ainda, reparar no olhar paterno e amoroso de Zebedeu vendo seus filhos partirem para o inevitável, mas ele nem sequer esboçou qualquer palavra ou tentativa em demovê-los. Sabia que essa era a coisa certa a fazer. Então acenou de volta, dando a sua benção aos filhos.

Leia mais em O Evangelho Segundo Khalil:

  • A Testemunha Trans-secular
  • O meu grande amor
  • Uma Grande Luz
  • Pescadores de Homens
  • Levou sobre si as nossas dores
  • A felicidade maltrapilha
  • Lágrimas Valorosas
  • Herdeiros Miseráveis/a>
  • Os Famintos
  • Os Misericordiosos
  • Corações Purificados
  • Os Pacificadores/a>
  • Os Perseguidos/a>
  • Os Recompensados/a>
  • 8 thoughts on “Pescadores de Homens

    1. Lou,

      Muito obrigada por me oferecer a poossibilidade ler e sentir, este esplêndido texto.

      Um bom dia para si

      Um abraço

      viviana

    2. Viviana

      Esse deveria ser o texto do domingo, claro. Mas só postei depois das 13 horas (hora local) e você só leu hoje. Perdeu o culto, que foi maravilhoso, porque Jesus derramou do Seu poder… la,la, ri,la, la…

    3. Roger

      Não se engane, Paulo era tão ou mais tolo do que nós. Ele trabalhava por ele e pelos outros missionários, para não incomodar as vítimas.

    4. Dizem que quanto mais estudo, humildemente, mais abaixo a cabeça. Mas é que não desenvolvi um método, ainda, de ler com o livro na nuca. Na gruta leio olhando para o futuro.

      Abraço

    5. Junior

      Aprendi com Davi (aquele da Bíblia) a ler na cama, deitado. Experimente, pode ajudar nesse problema. 🙂
      Não sei não, mas acho que você criou um slogan para a Gruta: “Onde você lê olhando para o futuro”. Taí, gostei. Obrigado.

    6. Legal o gancho – e pode ser também:

      A Gruta do Lou – Só lê quem humilde está, pois é no escuro que vemos o futuro.

      Taí o ‘velho homem’ se manifestando … hi hi …

    7. Volney

      O fato é que o atual é uma provocação, obvio, afinal não custa nada manter a chama acesa.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *