A Gruta do Lou

Perseguições, o segredo dos salvos e dos pobres

“De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” II Tim. 3:12

Nos meus tempos de Open Doors, ouvi muito esse versículo. O Irmão André, personagem criado pela Missão e vivido na pele por um cristão Holandês, usou-o muito, principalmente para consolar os irmãos da Igreja Sofredora (como ele costumava chamar a igreja Cristã sob regimes sem liberdade religiosa). De certa forma, ele conseguiu levar as pessoas a acreditar que ser perseguido tinha lá suas vantagens, especialmente quando lemos o outro texto, dessa vez nas palavras do próprio Cristo: “Bem aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o reino dos céus” (Mateus 5:10). Nesse sentido, o brother Andrew captou mesmo a boa intenção de Jesus e do outro brother, o apóstolo Paulo, para consolar a turma que perdia o pescoço se cresse em Jesus e fosse seguidor da igreja criada após a morte dele. Naqueles tempos, ouvi muitas pessoas dizerem que nós precisávamos de uma boa perseguição por aqui, também, para aprender a viver o verdadeiro cristianismo, ou seja, vivendo segundo a interpretação literal da bíblia. Talvez alguém se escandalize com o que vai ler a seguir, mas eu não acredito em nada disso. Jesus dizia essas coisas para manter seus seguidores, um bando de gente pobre e doente, quieta e no devido lugar delas, ou seja, sem arrumar problemas para os ricos e as classes dominantes da época. Se eu estiver errado, quanto a esse ponto, será bom que lhes confesse o fato de não viver piedosamente em Cristo Jesus. Passo perseguições em nome dele sem querer. As pessoas (amigos, familiares e inimigos, que às vezes é tudo a mesma coisa) secretamente, pensam que sofro essas coisas ruins por causa de minha opção religiosa ao lado do Filho Único de Deus. Bom, pelo menos assim é melhor do que pensar em nossas desventuras como conseqüências do pecado, como fez nosso pastor batista da época em que sofremos um grande revés. Entretanto, nem uma coisa e nem a outra estão corretas. Essas palavras neotestamentárias servem mesmo para consolar a boiada e fazê-la acreditar que vale a pena suportar perseguições, enquanto espera a chegada do Reino dos Céus, seja lá o que isso for. Houve um tempo em que acreditei nisso, é verdade. Sai por esse mundo arriscando a vida a fim de propagar essas bobagens bíblicas e evangélicas. Deve ser uma espécie de herança judaica, outro povo que foi convencido a sofrer calado em troca de paz celestial. Os caras sofreram tanto que chegaram a esconder dos filhos sua natureza judaica. Acabaram concluindo que não era bem assim e se tornaram um povo combatente, assumindo o controle financeiro do mundo. Resultado, gastei os melhores anos de minha vida atrás dessas bobagens e estou aqui, sentado, escrevendo bobagens, sem lenço e sem documento, especialmente daqueles que se deposita na conta bancária. Poderia pensar: o que não tem remédio, remediado está e vestir a carapuça de cristão sofredor a espera do Reino, mas ainda tenho pessoas que dependem de mim e não posso me dar a esse luxo. Continuarei a minha vida anti bíblica e contrária a essas idéias pietistas de Jesus, Paulo e do Irmão André. Insistirei em sair por ai atrás do pão nosso de cada dia, já que há tempos ele não cai do céu, ou se cai, cai em gotas tão raras que posso contá-las com os dedos de uma de minhas mãos. Se deu certo com os irmãos norte americanos, há de dar comigo, também.

lousign

1 thought on “Perseguições, o segredo dos salvos e dos pobres

  1. O bom da Bíblia é isso ela tem versículos para toda e qualquer situação, basta saber escolher bem os contextos.

    Nesse caso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *