A Gruta do Lou

Pense e enriqueça


“Por trás dessa demanda por coisas novas e melhores, há um elemento indispensável ao sucesso: a Determinação de Propósitos, a certeza do que se quer e um Desejo Ardente de realização”.

Napoleon Hill em “Quem Pensa Enriquece” (Think and Grow Rich)

Estranho, sempre achei que esse negócio de “propósitos” era coisa do Rick. Brincadeira.

Fiz minha primeira incursão no mundo do Sucesso há milênios. Minha avó materna legou-me três livros com sua morte, em 1966: 1. Bíblia Sagrada produzida por: Sociedades Bíblicas Unidas – Rio de Janeiro, tradução brazileira dos originaes hebraico e grego, doada à velhinha por um tal Sebastião Rocha em 16/05/1951, ano do meu nascimento. A dedicatória diz: “À Dona Ana, minha boa colega, tenho o prazer de oferecer o “Livro dos Livros”, para que tenhas o pleno conhecimento de Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo”. 2. Bíblia tipo brochura da Sociedade Bíblica do Brasil, versão revista e atualizada. 3. O Poder do Pensamento Positivo de Norman Vincet Peale. Na página 07, no alto à esquerda está escrito à mão: Este livro pertence a Anna G. D’Alessandro, minha avó..

No início dos anos setenta, o Lineu, um amigo da juventude, me convidou para conhecer a versão brasileira do Success Motivation Institute lá na Rua 13 de maio. O SMI foi criado pelo lendário Paul J. Meyer, muito amigo e incentivador de John E Haggai, do Instituto Haggai. Assim, adquiri meu programa de Sucesso e Motivação do SMI (Um conjunto de áudio e manuais com lições sobre os temas propostos) e me tornei parte da equipe distribuidora desses programas. Ainda guardo uma parte desse material. Anos mais tarde, conheci o Zenon e a primeira receita dele para mim foi a leitura de “O Poder do Pensamento Positivo” do Peale.

Nossa, isso parece uma grande bagunça. Parece, mas não é. Todos esses senhores têm em comum, além de seu interesse pelo desenvolvimento pessoal rumo ao sucesso ou levar as pessoas a atingir o máximo de seu potencial, o fato de serem todos cristãos e dos bons. Hill, Peale, Mayer, Haggai e Zenon, todos eles começaram suas atividades sob grande influência do texto bíblico e foram muito seletivos em relação a tudo que foi agregado depois. Alguns deles são ou foram pastores, inclusive.

Claro, foram muito criticados pelo clero, sobretudo pelos mais “ortodoxos”. Além disso, grande parte do material utilizado pelos mentores da teologia da prosperidade foi chupado do acervo desses senhores, como você já deve ter notado só pela citação inicial, escrita em 1907. Se você ler o livro todo, ficará rosa chiclete. Eles não são os únicos, há muito mais.

Fiz-me fraco com os fracos, ensinou sabiamente o apóstolo fariseu. Eu, menos arrogante, aproveitei o fato de estar desprevenido para me aliar aos outros no mesmo estado e deu na Gruta. Enfim, é tudo a mesma coisa. Deus, eu suspeito, nos quer a pleno vapor e, desde a nossa concepção, nos capacitou para atingir a plenitude e viver nela. O dom básico, a fé e a ferramenta fundamental, nossa capacidade única de pensar.

Evidentemente, como bem esclareceu Jesus, o maligno tratou de plantar a ervinha daninha dele junto ao trigo. Falsas escolas que não permitem o livre pensar, não ensinam o que realmente importa para a vida e servem ao capital, produzindo empregados escravos para as linhas de produção de fábricas e bancos; famílias dilaceradas por todo tipo de intrigas e interesses de consumo; igreja fragilizada por imbecis da ortodoxia ou da liberalidade imoral, sob a conivência de uma liderança desinteressada, e a apropriação indébita do material dessa gente do bem pelos teólogos da prosperidade, e do neo pentecostalismo, gente muito má.

Enquanto eles ensinam as pessoas a ganhar e serem bem sucedidas, esses lobos devoradores aparelham suas igrejas para tirar o máximo das pessoas, sem se importar com as conseqüências para elas.

Desejo ver a Gruta como um elemento agregador e facilitador para nossos freqüentadores alcançarem e viver em plenitude (espiritual, emocional e material).



7 thoughts on “Pense e enriqueça

  1. Meu amigo Néviton gostava de perguntar “você é esperto?”
    O fulano respondia que sim e ele arrematava: “então porque tu é pobre?”


    Pô! Mas sou esperto!

  2. Sucesso mesmo é ter a alma iluminada por aquela Luz que não morre e faz a gente festejar a vida, mesmo quando a conta bancária anda roxa de aperto…

  3. Filosofia judaico cristã meu caro Brabo! Pura verdade…verdadeirissima.

  4. Hi! Agora embolou o meio de campo…
    Não sei continuo com a suspeita que não sou rica…
    Me convenço que não preciso de nada e me torno rica…
    Ou continuo filosofando sobre…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *