A Gruta do Lou

Pensamento Positivo, o Galileu e o Ego

Norman Vincent Peale

Jesus era mesmo muito prepotente. Seu ego era imenso. Dizia-se o Filho de Deus, a luz do mundo, a verdade, o pão a vida, a vida, o caminho, etc. Disse que veio para termos vida e vida abundante. Disse que era o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e muito mais.

Boa parte da psicologia e da teologia moderna baseia-se na mudança comportamental. De um tempo para cá, as duas quase se fundiram em uma única proposta: “Diga o que quer ser e serás.” Profetize sobre os ossos.

Aqui na Gruta, tenho experimentado uma outra via terapêutica. Baseia-se na confissão e na auto-aceitação. Não ter medo de dizer quem sou.

Interessante notar a preocupação dos amigos e leitores em suas tentativas de me levar de volta ao método antigo. Leio o Norman Vincent Peale há muitos anos. Ele só conseguiu mudar a forma de pensar da América (do norte). Além dele, li Joseph Murphy, Dale Carnegie, Robert Schüller, Don Gossett, Zig Ziglar e quase todos os arautos o pensar positivo cristão. Claro que li vários não cristãos, também. Pode dar certo. Se nenhum acontecimento fortuito lhe pegar em alguma esquina ou algum acidente causado por eventos naturais atingir-lhe, tudo bem, você vai seguindo seu caminho positivo.

Eu quero mudar a América (do sul)

Se com o passar do tempo, as coisas não melhorarem, pode vir um certo sentimento de idiotice, além de natural frustração. Você vai começar a lembrar das vezes em que aconselhou seus amigos a falar e pensar positivamente e andar pela fé. Como se fé fosse pensar positivamente. Para não falar das piadinhas sobre seu otimismo. E ai não deu certo? Cadê todo aquele entusiasmo? Não ia ganhar no primeiro turno?

Pior do que os pensadores positivos de última hora, são os incapazes de pensar. Não há dúvida.

Quando confesso o que sou, de fato, esvazio meu ego. Eis o vilão. O Jampousky não cansa de dizer isso. Freud foi cruel. Informou a existência do ego e, ainda por cima, de um superego, sem falar no Id. Jesus sabia disso e propôs ocupar esse lugar em nossas vidas.

Sou mau. Um grandessíssimo paria. Para com isso. Arreda-te ego, digo satanás!

Não dá para conversar com o Ego ou acreditar nele. Sinto-me falando com o capeta em pessoa. Preciso socar-lhe, agredi-lo, esvaziá-lo, enfim, livrar-me dele. A não ser que meu Ego tenha dado lugar ao subversivo da Galiléia. Aquele sim tinha um ego positivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *