A Gruta do Lou

Pastores de Jerusalém

Pastores de Jerusalém
Pastores de Jerusalém


“E, CHAMANDO os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal.”

Mateus 10:1

Discute-se, em nossos dias, o papel do pastor sob diretrizes éticas e bíblicas, segundo expectativas unicamente mercadológicas ou pelas expectativas dos experimentados teólogos militantes do Ministério Público.

Parece estar sacramentado que a agenda de um pastor moderno inclui um grande auditório lotado para o qual ele destilará suas imprecações, um super carro para suas viagens aos seminários para pastores, uma moto (preferencialmente uma Harley Davdison) para os passeios sabatinos, uma casa em condomínio de luxo e uma segunda esposa jovem.

Os pentecostais (neo ou veo) ainda se atreverão a tocar as vítimas que ousarem atender apelos para conversão ou curas, durante os cultos. Os pastores mais ortodoxos, maçônicos ou as duas coisas juntas não tocarão ninguém, hora alguma, a fim de não se contaminarem.

Longe deles todos, estará a determinação primária dada por Jesus de Nazaré aos seus discípulos, na primeira unção pastoral da história da igreja cristã, conforme texto acima. Muito pior será se eu cometer o desatino de julgar a missão pastoral segundo as atribuições dadas aos levitas no Antigo Testamento.

Entretanto, meu objetivo aqui é um tanto insano, pois pretendo resgatar o caráter sacerdotal da missão pastoral, nem que seja para um exercício unicamente de caverna. Antes de mais nada, é bom que se diga, cabe ao ministro pastor executar tarefas e ações exclusivas de um sacerdote. Não estou desconsiderando aqui uma ou outra exceção em que uma pessoa leiga exercerá um ou outro papel sacerdotal.

A implicação disso é óbvia, se os pastores não as realizarem, as pessoas, cuja necessidade dependia disso, ficarão a ver navios ou balas perdidas, dependendo da localização do ministério, Santos ou Rio de Janeiro.

Estou pra lá de consciente a respeito do fato de que o tratamento dessas tolices relacionadas, a saber, os feitos dos espíritos imundos na vida das pessoas e as enfermidades do corpo e da alma (ou mente), terem sido atribuídas a profissionais médicos, clínicos ou psiquiatras, devidamente amparados por psicólogos e psicoterapeutas, pelo Senado, homologado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), posteriormente.

A sutileza envolvida aí, está na palavra cura, já que nenhum de nós, habitantes do planeta terra, no século vinte e um, admitimos a possibilidade de curas para as artes e ofícios do capeta que não sejam exclusivamente médicas, com ou sem hipocrisia.

Assim a tarefa sacerdotal dos pastores passou a resumir-se ao culto, que por razões de marketing, tornou-se algo mais próximo do espetáculo, distanciando-se do serviço religioso, completamente.

Enquanto isso, endemoniados, oprimidos espirituais, doentes e vitimas do mal continuam por aí sem alguém capaz de prestar-lhes socorro competente, como era realizado pelos pastores primários, embora aprendizes ainda, quando discípulos de Jesus, que após o evento catastrófico no monte da crucificação, saíram promovidos a Pastores de Jerusalém.

morcego-12

5 thoughts on “Pastores de Jerusalém

  1. Pingback: Lou Mello
  2. O Filho era mesmo rebelde, (como diz o Lou) entrou em Jerusalém montado num jumento; disse para os discípulos que deveriam andar liso (sem dinheiro). Não levar bouça nem alforge. Nada. A raposa tem seus covis; as aves do céu tem ninhos, mas o filho do homem não tem onde recostar a cabeça. Os pastores de Jerusalém eram pobres. O Excomungado do Paulo passou seus ultimos dias morando numa casa alugada, (At 28.30-31). “Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, aos anjos, e aos homens.” (1 Coríntios 4:9)

    Quando Bartimeu (Mc 10:46-52) veio a ter com Jesus, clamando o seu nome, obteve resposta de seu clamor; naquele momento ele poderia pedir tudo o que quisesse: ouro, prata, comida, roupas, um grande auditório lotado, um super carro, uma casa em condomínio de luxo ou enxergar. O Bartimeu preferiu ver Jesus.

    Pessoal deve ter outra bíblia ou anda arrancando páginas de suas bíblias para outros fins e fica impossibilitado de ler esses textos, ou algo assim. Quanto ao Bartimeu, sou fã dele. Grande cara!

  3. Lou, pelo complexo de complicação – defeito produzido na faculdade – nunca acho fácil fazer paralelos entre a atuação de Jesus e seus amigos na sua época, com aquilo que a nós nos é exigido hoje, em nossa época. Tipo, depois de ler o relato dos evangelhos bíblicos qual a boa notícia que devo dar hoje? O que deve ser curado, quem precisa ser curado, quais as feridas e quem são os feridos do nosso tempo?

    Seria bem vindo se pudesse nos responder essas questões. Que tal?

  4. gostei do texto.
    isso nao é novidade…
    (gostar dos textos!!!)
    beijos,
    alê

    Mesmo assim, prefiro ver seus comentários por aqui.

  5. Harley Davdison para passeios sabatinos … vc esta enganado, agora eles veem pregar nas igrejas de Harley Davdison .. eu fiz até foto de uma esses dias que o pregador chegou na igreja que congrego pilotando uma. Com direito a GPS instalado e tudo.

    Não falei?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *