A Gruta do Lou

Panquecas, Lou e El Cid

Sexta-feira é dia para uma boa citação ou propício a postar um bom vídeo, enfim alguma coisa pronta que não dê muito trabalho. Estou em dúvida entre Fernando Pessoa e Dostoievski. Não, melhor ver se o Brabo escreveu alguma coisa boa e replicar aqui. Uma coisa é certa, Gordim aqui, jamé. Por outro lado, me sinto um traidor. Afinal, temos uma proposta bem definida e não precisamos de subterfúgios. Pensei em divulgar a receita da famosa panqueca da Dedé, mas não deu. Sempre que peço, ela desconversa e não abre o bico.

Pelo jeito, não há como escapar de escrever alguma bobagem, seja teológica, psicológica ou pedagógica. Poderia falar mal de alguém, sempre dá bom resultado, também. Infelizmente, estou proibido de citar as minhas feridas. Bom, isso não fica bem a um cavaleiro andante, mesmo que pelo ferimento se lhes saiam as entranhas, como tive a oportunidade de citar antes, várias vezes. Mas preciso me controlar para não fofocar sobre os Hernandes, coitados. Deus os abençoe. Cada saia justa que damos a Deus, nossa! Só faltava pedir para Deus abençoar o Bush.

Jesus deve ter tido muitos problemas com aquele poder todo. Ah seu eu pudesse mandar raios em certas cabecinhas… Sem dúvida, começaria pelo Roberto Jacob. O Douglas Mônaco também não me escaparia, a bispaiada viria bem depois. Xiiiiii, estou falando mal dos caras, outra vez. Alguém irá dizer que sou rancoroso, que não sei perdoar, enfim,  exporiam as minhas mais absolutas verdades.

Legal é estar aqui, na tanga, enquanto esses caras estão no bem bom, graças a ingenuidade do papai aqui e dos outros tais. Tudo bem, não falarei mal deles, coitados. Deus os abençoe. Hi, hi… Por que não expor mais alguma das burradas ortodoxas? Sabiam que o protestantismo saiu de encomenda para o capitalismo? É sim. Não fume, não beba, não ria, não faça sexo, vá à igreja, leia muito a bíblia, obedeça ao seu patrão sem questioná-lo, e mais ainda às autoridades (sic), e trabalhe muito, ganhando pouco, claro, pois os empresários não dispõem de tanto dinheiro assim para dividir conosco. Para eles, nossa parte não pode passar de 5%.

Entretanto, qual seria a opção? O socialismo Bolivariano do Chaves? Ridículo. Nem o socialismo neoliberal do Lula estamos agüentando. Estou de olho no cristianismo emergente. Meu medo é a dupla de paspalhos aderir. Nesse caso, estou fora, sem nunca haver entrado. Cristianismo Emergente que se preze não terá portas, nem templos e o melhor, não terá pastores. Vós sois reis! Lembram do Rodrigo Diaz de Bivar, o El Cid? Precisam aprender a pensar como reis. Só Deus pode governar reis.

Ah! Antes que me esqueça, os protetores do Graal, são protegidos dele. Coisa mais Dan Brown. Já sei, to indo. Hora de servir à chefia.

7 thoughts on “Panquecas, Lou e El Cid

  1. Por falar em reis…o que voce acha daquela passagem que Jesus fundamenta aos fariseus com uma citação do antigo testamento de que somos deuses..

    O que acha disso!?

    p.s. ta no evangelho de João, salvo engano.

    Era, precisamente, isso que eu tinha em mente. Você deve estar se referindo a João 10:34. Creio que Deus nos trata como deuses e que esse é o tratamento mínimo a ser dispensado ao próximo.

  2. Post com múltipla escolha é interessante…mas,meu lado glutona hoje
    está pedindo uma receita de panqueca.

  3. Uai, receita de panqueca não existe não Lou, a gente bota a farinha numa cumbuca, os ovos, um tanto de leite, um tiquinho de sal, o ponto é uma mistura mais pra líquida, frita numa frigideira dessas pequenas de fritar ovos, vai colocando óleo aos poucos, aqui em casa a gente vira a panqueca com as mãos, precisa habilidade senão queima a mão. Recheia-se com as sobras da geladeira.

    Agora, tem um método chiquetoso de fazer “crèpes”, mas aí já é com o Fábio Adiron.

  4. Bete

    Aí vai um para você :

    Ingrédients (pour 4 personnes) :
    4 crêpes au Sarrasin
    20 belles langoustines
    1 petit poireau, 2 échalotes, 1 carotte, 1 oignon
    20 cl d’huile d’olive
    20 g de beurre, 25 cl de crème
    20 cl de vin blanc
    safran, thym, laurier
    Préparation :
    Laver et tailler en petits cubes tous les légumes sauf le blanc du poireau
    Décortiquer 16 langoustines, garder les carcasses.
    Conserver les 4 autres langoustines au frais
    Faire revenir dans l’huile d’olive les queues de langoustines.
    Les assaisonner de sel poivre et les réserver
    Faire revenir les légumes dans la même casserole, ajouter les carcasses, mouiller au vin blanc et laisser réduire.
    Ajouter 30 cl d’eau, le thym, le laurier et laisser cuire 20 mn à petite ébullition : fumet de crustacés
    Passer le fumet de langoustine au mixer puis au chinois.
    Remettre à réduire à nouveau.
    Ajouter la crème et laisser chauffer
    Tailler finement le blanc de poireaux, le faire étuver au beurre
    Monter les papilottes avec les queues de langoustine, la julienne de poireaux et un peu de jus de cuisson
    Monter au beurre le fumet crémé
    Dresser et déguster

    Meu amigo Daniel Fresnot ficou encantado, agradece-lhe muito e parece estar experimentando sua receita, nesse exato momento… em Paris. 🙂

  5. Xiiiiii,Lou,hoje estou muito cansada e pelo visto você também.OLha,cá entre nós,pede pra Dedé te fazer umas panquecas pra aquietar o estômago e esfriar a cabeça.Vê se num bebe nada pra parar de misturar as coisas,tá?

  6. Eu não disse? sublime!

    Agora todos já sabem qual a diferença entre a casa de uma viúva pobre e a casa de um renomado Consultor.

    Putz! Ainda bem que a Dedé não liberou a receita dela. Está em francês e não parece quase nada com a sua. O detalhe é que nossa casa é pobre, talvez mais que a sua, afinal, somos meros inquilinos. Agora as panquecas, são dez. Prepare-se, quando vier nos visitar, vamos querer ver você virando panquecas com as mãos. 🙂

  7. Lou, nunca se esquecendo de que eu sou personagem também quando comento em blogues. Aliás acho que até já me perdi aqui dentro, o personagem assumiu.

    Ressalvada a possibilidade de erro.

    (só pra não falar salvo engano e ficar pagando pau pro moço de curitiba)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *