A Gruta do Lou

Os famintos

Na última semana, o pessoal deu uma certa trégua e minha caixa postal funcionou quase normalmente, exceto na sexta-feira, com a volta da banda larga entrei forte nelas com dois brownsers de E-mails e os caras do provedor bloquearam meu IP e me deram um trabalhinho extra para convencê-los a desbloquear. Tinha mensagens de maio não respondidas, graças à Telefonica. Bom, pelo menos eles foram sensatos em admitir que eu não sou fácil e optaram pelo caminho mais óbvio. Mas vamos ao que interessa, você sabe onde sua bíblia está? Ótimo, então tire o pó dela, coloque os óculos e acompanhe o Khalil em Mateus 5:6

“Bem aventurados os que tem fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos”

Aprendi com nosso Rabi Galileu a ler o pensamento das pessoas. Não se trata de telepatia ou algo místico. Ele nos mostrou como o pensamento estava sempre estampado na cara das pessoas, tudo que precisávamos fazer (ou precisamos fazer) é aprender a ler essa mensagem.

Nessa ocasião, estávamos sendo acompanhados por milhares de pessoas. Incrível como um monte pode abrigar tanta gente. Para todos os lados que olhávamos, nossos olhos não conseguiam ver onde terminava aquele multidão. Com a ajuda dos ventos, o som da voz mansa e firme de Jesus chegava clara a todos os ouvidos. Ele havia lido naqueles rostos sedentos o clamor por justiça.

Claro que todos nós ficamos cheios de interrogações. Afinal ele usou as palavras fome e sede antes de justiça. Para aquela gente faminta e sedenta, talvez fosse melhor dar pão e água. De fato ele fez isso, em uma das maiores e mais espetaculares situações vividas por seus discípulos junto a esses milhares de mendigos. Mas nesse momento, ele estava fazendo uma revelação grandiosa, muito mais importante do que eliminar a fome com qualquer programinha tipo Fome Zero ou PAC, ele estava declarando o poder do sofrimento advindo da ânsia por justiça.

Você sente que o chão está querendo sair debaixo dos seus pés? Acorda todo dia com medo de viver? É a fome de justiça meu amigo ou minha amiga. Você será satisfeito e não precisará pagar nem um centavo a mais de imposto.

Depois disso, tive oportunidade de perguntar-lhe sobre o significado de justiça e ele me respondeu: Khalil, lave os pés daqueles que lhe seguem e você ama, deixe que eles sirvam-se antes de você, no jantar, faça a eles tudo que você gostaria que eles lhe fizessem e eles serão satisfeitos. Fiquei imaginando que ele estava profetizando alguma atividade política em meu futuro, afinal os políticos são os maiores ladrões de justiça do povo.

Por outro lado, a promessa de satisfação de justiça é eterna. Sua fome é libertadora e os famintos os protagonistas dessa história.

Leia mais em O Evangelho Segundo Khalil:

  • A Testemunha Trans-secular
  • O meu grande amor
  • Uma Grande Luz
  • Pescadores de Homens
  • Levou sobre si as nossas dores
  • A felicidade maltrapilha
  • Lágrimas Valorosas
  • Herdeiros Miseráveis/a>
  • Os Famintos
  • Os Misericordiosos
  • Corações Purificados
  • Os Pacificadores/a>
  • Os Perseguidos/a>
  • Os Recompensados/a>
  • לּהּמּ

    Powered by ScribeFire.

    11 thoughts on “Os famintos

    1. Eu costumo por piada dizer que o mundo é redondo.
      e não é que é mesmo?
      Até nisso Deus é Justo.
      tudo o que fazemos retorna.
      Tudo mesmo.
      Por isso não vale a pena andarmos a perder tempo a discutir quem é mais justo. Mas procurar que a justiça seja nosso modo de vida, essa sede e essa fome na nossa própria vida.
      God bless you,
      T.

    2. Tinoca

      Sem dúvida. Há anos me pergunto por que os políticos insistem em considerar a economia mais importante que a justiça. Deve ser por isso que a salvação não deve vir por aí. Nossa esperança está naquele que disse: serão satisfeitos!

    3. OI Lou, passei aqui só pra te desejar um lindo e doce domingo em Cristo… que apesar de melosa a frase, é o meu desejo pra vc e sua família.

    4. que bom que fostes liberto da lan house e da internet ligada!
      A melhor interpretação das bem aventuranças que já li se encontra na carta perdida de Paulo ao Laodiceianos. O único elo doutrinário destes dois Rabis Judeus que fizeram a molecagem de levar sua! religião para os gentios e deixar que o tempo a roubasse dos israelis.
      Brincadeiras a parte, como há fome de justiça nesse mundo. Um tio meu passando por uma favela de BH exclamou: se não existir inferno, tem muita gente levando ferro!
      Ele deveria pensar no céu e não no inferno, que estas pessoas ainda desfrutarão. Mas de fato o juízo ainda virá, pois não é só pelo acaso da natureza que existe miséria nesse mundo.
      Justiça venha!

    5. Roger

      Pô pensei que essa fosse a melhor interpretação das bem aventuranças que você já leu. 🙂

      Vejo a justiça no tempo presente. Ela se faz quando sinto falta de alguma coisa, que não tenho por causa da injustiça e isso, precisamente, produz justiça. Talvez não veja, não entenda mas ela está aí, ou aqui. Se você não entendeu fique tranquilo, você não está só. Além de mim, tem muito mais gente perplexa.

    6. Pingback: Lou Mello

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *