Manual do sofredor

George Clooney

Várias vezes, fui designado como chorão, pessimista e derrotista, ao longo dessa caminhada blogosférica. Embora não ligue a mínima, confesso pensar no assunto constantemente. Na verdade, quando resolvi transformar a Gruta em um blog dedicado ao sofrimento, assumi a identidade de sofredor, maltrapilho e desesperado definitivamente, embora o pessoal não canse de me lembrar a importância das afirmações positivas.

Mas é bom que se esclareça: Não fui nada original. A bem da sinceridade, tirei essa ideia da Bíblia. Isso mesmo, desse livro complexo e paradoxal onde estão relatadas as mais importantes atividades sofredoras da humanidade, por toda a sua existência. Em outras palavras, ela é um manual completo do sofrimento.

No Antigo Testamento, os capítulos são mais genéricos, embora o livro de Jó venha a ser um libelo de dor e mendicância. Ao mesmo tempo, o Novo Testamento concebe um tratamento específico à dor e faz melhor, projeta o sofrimento ao prevê-lo detalhadamente para todo o tempo vindouro, em três capítulos sublimes dos três melhores evangelistas (Matheus 24, Marcos 13 e Lucas 21) do livro sagrado do caminho, sob a expressão máxima de seu personagem principal: “No mundo tereis aflições (dor e sofrimento)” no evangelho de João 16:33.

Essa característica do livro supremo dos cristãos ofereceu aos oportunistas da prosperidade ou neo pentecostais a possibilidade de realizar uma leitura “sui generis” dele, olhando-o como um receituário para os tempos difíceis. Imagine você que o sofredor mor de Nazaré, depois da afirmação acima, completou-a dizendo: “Mas não temam, pois eu venci o mundo”.

Para frustração dos vencedores por cristo (uma ONG criada imediatamente depois da primeira afirmação do filho predileto de Maria), logo depois desse consolo precipitado, ele  foi sacrificado por motivos fúteis com uma morte horrenda em uma cruz tosca, não sem antes, passar por indescritíveis seções de torturas, vilipêndios e humilhações dignas de transformar as peripécias de Hitler e sua gente, contra os judeus e seus opositores, coisa de amadores.

Até hoje, seus executores (os de Jesus) estão impunes. Não entendo porque o delegado federal Protógenes não teve a ideia mais feliz de caçá-los, ao invés de exercer seu viés fascista contra gente quase inocente que apenas desviou algum dinheiro do erário público. Também, com esse nome não é de admirar.

Sofrer é viver

Depois desse exemplo clássico de sofrimento, talvez o maior de todos ou o maior, definitivamente, galgou o posto um cara chamado Paulo. Sempre dei muito azar com esse nome. Para você ter uma ideia, a primeira traição que sofri na vida, segundo dizem por aí, teve como um dos principais protagonistas um cara com esse mesmo nome. Foi ele quem comeu minha namorada, logo no primeiro encontro furtivo. O idiota aqui se gabava de respeitar a virgindade da manceba, sem me dar conta das reais intenções dela.

Então você pode imaginar minha dificuldade quando era obrigado a mencionar esse nome. Ainda bem que Deus teve misericórdia e me deu alguns bons amigos chamados Paulo, sem falar nas mulheres sérias com quem me relacionei depois dessa vagabunda.

Hoje o trauma não existe mais, se bem que, inconscientemente pode haver algum comprometimento a nível emocional e agindo como causa de minhas muitas doenças psicológicas, segundo as psicólogas de plantão.

Então esse infeliz, com esse nome de excomungado, assumiu a vaga deixada por Jesus Galileu e, a exemplo de seu antecessor, avisou: “Quem quer viver piedosamente em Cristo Jesus, padecerá perseguições (dor e sofrimento)”. II Tim 3:12

Claro que os apóstolos da prosperidade, devidamente instruídos por algum cara, provavelmente todo vestido de vermelho, encontraram nas cartas de Paulo um monte de afirmações contraditórias a esse segredo revelado ao tolo do Timóteo. Delas, possivelmente, a maior seja: “Todas as coisas contribuem para o bem dos que amam a Deus”.

Logo depois de fazer tal afirmação, mesmo já estando preso sob correntes há vários anos, foi devidamente decapitado, um fim que espero com todo o meu respeito, o Paulo da minha história pessoal acima tenha tido.

Apesar de todos os subterfúgios utilizados por amanuenses e tradutores do texto sagrado, a previsão de nosso Senhor Jesus Cristo quanto ao sofrimento se completou plenamente. Pior, ele não considerou ninguém, seja qual for a religião do desventurado, fora dela.

Todos sofrerão

Todo mundo está ferrado, crendo ou não. Viver tornou-se a arte de evitar sofrimento, se bem que, não há ninguém que tenha conseguido suprimir essa atividade, totalmente, exceto a Sandy (cantora que afirmou ter tudo na vida e não sentir falta de nada), claro.

O que se depreende do texto bíblico é que não há, a rigor, nenhuma escapatória, a não ser uma promessa meio utópica sobre uma outra vida, onde não haverá mais a companhia desses acontecimentos e momentos desconfortáveis, pois nele, mortes, dores, aflições, inimizades, ciúmes, ganância e todas essa legião de tormentos a que estamos sujeitos , sem direito a qualquer direito de troca ou reclamação, não existirão. Palavra do chefe. Claro que todos nós agarramo-nos a isso com unhas e dentes, na falta de algo melhor.

Assim concebi a Gruta blog, uma vez que o modelo está e sempre esteve na Bílbia. Lá, os caras em aflição corriam para suas grutas e ali conspiravam contra Deus, o rei, a “fata” Morgana e toda a hoste de perseguidores. Alguns, como Davi, sairam da gruta para matar algum rei por aí e tomar o lugar dele, um plano secreto que abrigo em meu coração, também.

Ops: A foto desse post, não tem nada a ver com o tema, mas é o atendimento de um apelo feito por nossas leitoras, que contou com o apoio da rainha Dedé. Espero que esse infeliz não roube a cena e embace meu texto excelente.