A Gruta do Lou

O grande pecado

A Gruta é o lugar preparado por Deus para as pessoas sem lugar. Interessante como os sem religião vivem e se organizam de forma completamente religiosa. Desde sempre o ingrediente mais importante na construção e manutenção de qualquer proposta religiosa é a culpa. Até os cristãos acabaram cedendo e incorporando a culpa na liderança de seus dogmas sinistros.

Quando uma pessoa se vê culpada o estrago está feito. Podemos tirar-lhe a roupa do corpo, destituir-lhe os bens, surrupiar-lhe a cidadania e o que mais nos der na telha. Culpados são vítimas fáceis do capeta. Uma das formas modernas para fazer com que as pessoas se sintam culpadas é colocá-las na situação de devedoras. Não basta estar devendo, os endividados vestem o manto da culpa ao mesmo tempo em que entram para o cadinho. Dissimuladamente, o pecado da dívida entrou para a lista dos pecados e nem precisou que o Papa o decretasse.

Se você for assassino, ou estuprador, ou ladrão de bancos, ou corrupto, seu nome não estará em nenhuma lista capaz de impedir seu crédito. Nesses casos, só um processo legal, daqueles que se dão em tribunais e demoram anos a ser resolvidos, poderá tirar sua liberdade de ir e vir, mas seu crédito continuará intocável. Para perder o crédito é preciso cometer o hediondo crime de não pagar uma conta devida a uma dessas organizações pactuadas com o inferno, tais como a Telefonica e todas as suas co-irmãs. Nesses casos, o julgamento é sumário. Não se iluda. Ninguém precisará esperar o Armagedon e o julgamento final. Em menos de vinte e quatro horas seu nome estará figurando em alguma lista de consulta rápida como excomungado do sistema financeiro e, consequentemente, da vida. Hoje em dia, os empregadores consultam essas listas antes de admitir um novo escravo, digo empregado, hospitais antes internar um doente e as escolas antes de admitir um novo aluno. Parece que alguns diretores de prisões também começaram a consultar as listas de devedores antes de admitir o cara entre seus presos.

Ninguém luta contra esse fato porque convencionou-se aceitar a prática de não pagar contas como um pecado. Olha lá! Lá vai aquele mau pagador safado! O nome nas listas dos devedores é, apenas, a constatação do fato. Sou pecador, se tiver dúvidas, verifique a lista e você encontrará meu nome nela. Não há salvação para mim, pois nem mesmo pagando o débito estarei livre dessa pecha. Essas informações são cunhadas com tinta indelével, ou seja, não se apagam jamais.

No mundo informatizado de hoje ficou diabolicamente fácil manter essas listas. Em qualquer lugar do país é possível saber que você não pagou a conta de luz no último mês e nos últimos dez anos, quantas vezes você mijou fora do pinico financeiro. Pronto, você é um pecador, ou como costumam dizer, um ser com restrições, algo pelo qual Jesus de Nazaré, imprudentemente, não deu sua vida.

Daí, só resta vir para a Gruta, onde não fazemos pesquisa em nenhuma dessas listas mantidas nos computadores do reino satânico. Mesmo que quiséssemos, não nos dariam a senha de acesso. Então você pode andar por aí, entre as estalactites e estalagmites como qualquer um e, pior, sentindo-se igual a todos. Além disso, para nós, as coisas se resolvem mais com perdão e odiamos a culpa, pelo menos em tese. Sabe aquelas bobagens apregoadas por Cristo?

לּהּמּ

Ops: Descobri por que a Telefonica não quer nos liberar a Banda Larga: Ainda estamos dentro do prazo que nos dá o direito de ter esse serviço sem ter que aderir à fidelidade de dezoito meses (um artíficio que a empresa utiliza para obrigá-lo a ficar com esse trem por, no mínimo, um ano e meio, faça chuva ou faça sol). Eles não dão a mímima para os três anos que pagamos pelo serviço, anteriormente.

4 thoughts on “O grande pecado

  1. Tinoca

    Não sei como é em Portugal, mas por aqui, quando uma pessoa atrasa seus pagamentos ou deixa de pagar suas contas, tem seu nome acrescentado em listas mantidas por associações ligadas ao comércio, indústria e bancos, sem qualquer tipo de julgamento, prévio. Quando isso acontece, ela não consegue comprar a crédito ou obter empréstimos em lugar nenhum, até que seu nome seja retirado dessas listas. Até aí, parece tudo muito justo, embora não seja bem assim, o pior é considerar um devedor como o pior pecador em um mundo onde há pecados bem piores. Mas a coisa é velha, o exército de Davi foi formado por endividados (excluídos), lá na Caverna de Adulão, lembra?

  2. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *