A Gruta do Lou

O caminho

Estava em meio a uma floresta, sem rumo e sem meu inseparável GPS. De repente, passa por mim um homem com cara de desesperado.

-Ei você! Aonde vai com essa pressa?

-Não sei estou perdido.

Estranho ele me ver e não me perguntar se eu sabia algum caminho para sairmos dali. Curioso, pergunto:

-Por que você não me perguntou se eu sabia o caminho?

– Porque você não sabe o caminho. Tudo que não quero agora é falar com outro perdido.

Engraçado, nunca havia me dado conta desse detalhe. Pessoas sem o conhecer o caminho não deviam andar por aí mostrando caminhos.

Por outro lado, as pessoas não gostam de gente ignorante quanto ao caminho. Sabendo disso, a maioria vive e age como se soubesse…

Tremo quando ouço alguém me dizer:

-Olha, por que você não faz o seguinte?

“O seguinte”, invariavelmente, será composto de um monte de idiotices e bobagens.

Os sábios não costumam indicar caminhos. Conheci um que disse: Eu sou o caminho, tome a sua cruz e siga a minha.

Creio que a melhor resposta que eu poderia dar ao perdido seria: Não sei. Uma coisa é certa, eu não sou.

Ops: Não deixe de ir ao nosso encontro sobre Fundraising. Veja aqui.

6 thoughts on “O caminho

  1. A Alice ouviu mais ou menos isso aí do gato, quando ela disse que estava perdida, e perguntou qual era o caminho. O gato perguntou: onde você quer ir? Ela respondeu: pra qualquer lugar. O gato disse: pra qualquer lugar qualquer caminho serve.

    Mas eu ando me sentindo perdida pra caramba, e se encontrar um gato sábio nesta minha floresta eu tasco uma pergunta dessas aí.

    Essa é fácil, Paulo Brabo nos ensinou que o Gato é um animal não bíblico, ou seja, é do mal. Não dê ouvidos ao gato.

  2. Lou, andei perdido… meu bloglines não mostrava teus posts!!! Agora, me atualizei. Li sobre o debate, sobre o iceberg, sobre as diferenças, e agora, sobre o caminho. Aliás, tem aquela frase: “caminante no hay camino…” Dá o que pensar, não?
    Tô fazendo um fundraising pra ir ao encontro…

    Fiquei com vontade de oferecer o combustível + pedágio, resolveria? Aí o fundrasing seria minha responsabilidade. 🙂

  3. Lou,

    sua pressa no caminhar, que pode não necessariamente sugerir desespero me fez lembrar uma frase muito sábia de Luiz Fernando Veríssimo.

    Algo mais ou menos assim:

    “se em meio ao corre corre desesperado de pessoas em fuga perceberes alguém sereno e calmo, das duas uma: ou encontrastes um sábio ou encontrastes um idiota que não tem noção alguma do perigo.”

    Forte abraço,

    Roger
    PS:ao passar por Sampa (Guarulhos) me lembrei de você. Como estão os planos de mudança?

    Bela frase! Estamos firmes no propósito de voltar a São Paulo. Ainda não encontrei Deus. Assim que conseguir, solicitarei a moradia e a mudança. Daí, estará feito.

  4. Os que sabem usar a própria bússula dificilmente se perdem,
    nem precisam de GPS.
    Podem ficar indecisos momentaneamente, mas logo acabam achando
    uma saída.

    Repito, onde aprendo isso?

  5. Não se trata de onde se aprende isso, mas como se aprende.
    “Carpe Diem”

  6. Tentei localizar a latitude e a longitude aqui de casa para te orientar, mas o Google Earth não entrou…

    Por isso fique perdido, estava contando com sua ajuda. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *