A Gruta do Lou

O abóbora

Abóbora Abóbora

Todos gritavam: Fora! Escroque! Oportunista! Aproveitador! Vagabundo! Vai trabalhar, picareta! Então chegou o limite entre o suportável e o insuportável e ergui meu violão e gritei: Vocês venceram! Quebrei o instrumento na beira do palco e atirei-o contra a multidão. Ato seguinte, abandonei o palco, puxado pelos meus inimigos maiores.

Agora me encontro como sempre, engrutado. Aliás mais do que nunca. O teólogo, às vezes pastor, pensador, consultor, professor e coisa e tal voltou a ser abóbora, ou se preferir, corretor de imóveis.

Só há uma classe de pessoas mais odiada e segregada do que a dos gays, a dos consultores. Só os consultores discordarão nesse ponto, ou os gays, talvez, mas experimente responder, a quem lhe pergunta sua profissão ou atividade, com um sonoro consultor. As caras variam do nojo ao desprezo, do menosprezo à rejeição.

Então me desculpo e me trato com a indulgência peculiar a todo perdedor dizendo: se pagar as contas, dane-se o resto. Nada melhor para viver do que uma perspectiva assim.

Alguém virá e me dirá: Pelo menos é melhor do que virar cortador de cana em uma usina qualquer lá em Piracicaba. Cortador de cana não é mole, também. Mas consultor é pior. Consultor não sabe se e quando ganhará alguma recompensa. Pior, às vezes ela nunca chega. Mas isso não é o pior, certamente, a desvalorização humana é a dor maior.

Mas vocês venceram, outra vez, como sempre fazem. Continuarei como o abóbora entre abóboras, nessa Gruta, refúgio de párias, consultores e amigos de Davi.

morcego-12

2 thoughts on “O abóbora

  1. Tende bom ânimo, Ele venceu o mundo por nós! 
    Bom dia de trabalho (o castigo de Deus para nos desenvolver) e parabéns! 

  2. Ah, continuo animado, essas situações paradoxais não têm mais o poder de roubar meu ânimo (reparou que estamos falando da alma?), só queria lembrar, ou não perder de vista, o fato de que fazemos essas coisas por absoluto constrangimento. Por outro lado, nossa experiência de fé, à moda de Jesus, é ínfima e não sou capaz de romper com os ditames desse mundo, como Ele pretendeu nos ensinar. Coisa de cristão meia tigela, mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *