A Gruta do Lou

Mulheres nossas de cada dia

08 Março 2007

Não estou com vontade de escrever nada hoje.

Mesmo sendo dia internacional da mulher, quando eu deveria homenageá-las por serem a metade melhor da existência humana, não vai dar.

Uma série de fatores me colocou no olho do furacão, de novo. Não entrarei em detalhes. Estou proibido de fazê-lo.

A chegada do Bush a São Paulo me incomoda, um pouco. Não gosto desse cara. Se Deus existisse, ele não permitiria a existência de nós dois. Não acredito que o maioral do céu faria a maldade de me deixar viver só para conhecer uma figura tão nociva quanto essa. Pior ainda, viver como um paria à margem dessas aberrações.

Não, hoje não vou escrever nada. Acho que essa será minha melhor homenagem às mulheres. Minha relação com elas foi muito intensa e conturbada. Meu pior inimigo é uma mulher e a pessoa que eu mais amo e prezo é uma mulher. Ambigüidade insuportável. Elas me traem e me amam, me alegram e me fazem sofrer. Bah!

Jesus, que não era cristão, deu um basta logo de saída na tentativa de intromissão e manipulação de sua mãe. Eu não fiz isso, por ser cristão. Ah! A minha mãezinha. E tome. Mulher que tenho eu contigo?

Sempre trabalhei com mulheres. As escolas tinham mais pessoas do sexo feminino. Nas creches, eram quarenta e dois funcionários e só quatro eram homens. Na PUC, em uma classe de quarenta alunos, éramos três homens. No mestrado, ano retrasado, em nove alunos eu era o único homem. Claro que eu achava isso bom. Sentia-me como uma espécie de sultão, se bem que nunca tirei proveito pessoal dessas desigualdades. Sempre respeitei as mulheres muito além da conta. Até mesmo as que me traíram e ofenderam, eu respeitei até o fim. Sou adepto explícito da fidelidade conjugal.

Não. Não quero falar nada hoje. Estou muito enrolado e chocado. Para falar das mulheres é preciso estar feliz e de bem com a vida. Grana no banco, comida na geladeira e contas pagas. Elas são as estrelas. Deus fez o mundo para elas. Nossa missão é manter as coisas assim, em benefício delas. Dan Brown acerta quando elege a maternidade como o cálice a ser preservado. Sem elas não estaríamos aqui, ainda que tenhamos sido paridos por uma vagabunda qualquer.

Não falarei delas hoje. Tomara que os blogs, os jornais e todos, enfim, façam lindas menções a elas. Elas merecem. Peço desculpas por não estar em condições de fazer-lhes uma justa cortesia, em seu dia.

Fiquem em paz.

postCount(‘6341537359838461827’);Comentários (6) | postCountTB(‘6341537359838461827’);Trackback Links para esta postagem

11 thoughts on “Mulheres nossas de cada dia

  1. Poxa, Lou, furacão de novo? Espero que passe logo, e não arrase muito não…
    bete p.silva | 08.03.07 – 1:10 pm | #

  2. sem querer, você o fez..
    Apesar de não fazer diferenciação entre dias, eu creio que as mulheres são tudo isso que você disse, e mais um pouco…
    Wander Morínigo Teixeira | Homepage | 08.03.07 – 2:10 pm | #

  3. Contrariando o Lou, não escrevi nada no blog, tive um dia cheio de atividades e preocupações.
    Mas o Lou escreveu. Estamos salvos.
    Valeu.
    rubens osorio | Homepage | 09.03.07 – 9:42 am | #

  4. Pingback: tracked back
  5. Pingback: Lou Mello
  6. Ninguém deveria perder o seu tempo escrevendo algo para homenagear a mulher nessa triste invenção “Dia Internacional da
    mulher”. Honestamente, é mais ou menos como acreditar no coelhinho
    da páscoa.
    Parece que “um dia” para homenagear a mulher vem como uma espécie
    de trégua, para minimizar as desigualdades, uma espécie de compensação…

    Melhor seria que houvesse mais igualdade, mais respeito, menos
    preconceito todos os dias.

    Todos os dias devem ser especiais, tanto para homens ou mulheres.

    Às vezes, comentários são posts disfarçados. A Gruta serviu de treino para alguns dos atuais blogueiros e deve continuar assim. Pense sério na possibilidade de iniciar o seu blog, desde que esteja disposta a cumprir seu contrato com a Gruta até o fim, lógico. 🙂

  7. Desculpe-me! Acho que a Gruta é a minha casa, fico muito à vontade, nem escorrego mais naquelas pedras…

    Espero que você nunca perca essa convicção.

  8. É dia Internacional da Mulher, do Idoso, da Criança, da Consciência Negra,enfim,das minorias… Pra que isso? A mulher deve ser tratada com igualdade como os outros que citei. Esses são os marginalizados de nossa sociedade, cada um a seu modo. NÓS AS MULHERES ESTAMOS FELIZES ASSIM: sem nenhum dia especial,sabendo que para nós (os dias) todos eles são especiais… inclusive para os homens nossos de cada dia.
    Ah! Furacão sempre passa,em 2007,2008,2009.
    Bênçãos a você e aos seus.

    É só capitalismo em marcha, nada mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *