A Gruta do Lou

Medo, insegurança e adoração

050409-0105-medoinsegur1

Lá vamos nós. Medo, insegurança e adoração estão na ordem do dia, por aqui.

Hoje começa mais uma semana, a primeira do mês de maio de 2009.

O que mudou até agora? Nada ou quase nada. Deus responde orações? Sim. Se você aceitar o silêncio como uma resposta.

No meu caso, tudo bem. Afinal, pior não sei se pode ficar. Sempre dá para piorar, mas a margem é pequena. Cara, preciso de uns milagres, ou melhor, aprender a fazê-los, quando necessário. Vai lavar-te no poço agora. Já pensou? Não tenho humildade suficiente para tanto. Confesso. Ia me achar o máximo.

Quando se é bem jovem, com a droga da vida pela frente, parece que tudo dará certo. Às vezes até dá. Veja o Bill Gates e não olhe para os lados. Agora, quando não há muito mais tempo, e a droga da vida passou, resolver certas coisinhas parece algo impossível. Bom, preciso mesmo é da mão divina. Queria chegar diante do divino feito o Mack, de A cabana e dizer:

– Oh, do trono, veja bem. Não quero nada. Agradeço tudo que você me deu esses anos todos, até a morte desgraçada da minha filhinha querida. Tudo bem, sei que não era dá sua vontade e de quem eram as duas pegadas atrás de mim, naquele dia, etc. Pelo menos não sou nenhum pé rapado feito aquele brasileiro que não tem para onde ir hoje e está morrendo de medo de falhar com você, com a esposa, com os filhos e os leitores do blog dele. Façamos o seguinte. Abençoe-o. Tá? Ajude ele a resolver aquele negócio dele, nesses dias. Se precisar tirar alguma coisa minha, tudo bem, desde que não seja mais nenhum filho, claro. Além do mais, já tive aqueles dias com você (s) naquela cabana maldita, agora bendita. Amém.

Você não precisa me dizer que estou com ideia fixa no livro do cara. Não estou. Apenas acho ótimo o Deus dos norte-americanos. Tão diferente do nosso. O deles aparece para eles um fim de semana inteiro e ainda vem em três formatos, de uma só vez. Caraca! Para mim, cinco minutos com um deles estaria de bom tamanho. Imagine.

Nem sei o que dizer, talvez confessar minhas preocupações nos moldes do Paul Tournier. Putz! Estou gelado. Tenho medo até de fazer as perguntas para mim mesmo. Sabe aquelas: E se a resposta não for a esperada? Que fazer daí? Não faço a menor ideia.

Bom, vamos lá. Fazer o que? Mesmo que os rios transbordem e a vida se vá, escorrendo entre os meus dedos, mesmo assim confiarei e adorarei. BZZZZZZZZZ.

Capricornio PB

11 thoughts on “Medo, insegurança e adoração

  1. Acorda,Lou!Se me permitem,com toda humildade, gostaria de deixar umas plavrinhas pro começo da semana do Lou e de todos os grutenses:

    “ELE SEMPRE ESTARÁ PRESENTE”

    “Ainda que as figueiras não
    produzam frutas,
    e as parreiras não dêem uvas;
    ainda que não haja azeitonas para
    apanhar
    nem trigo para colher;
    ainda que não haja mais ovelhas nos
    campos
    nem gados nos currais,
    mesmo assim eu darei graças ao
    Deus Eterno
    e louvarei a Deus,o meu Salvador.
    O Senhor,o Deus Eterno,é a minha
    força.
    Ele torna o meu andar firme
    como o de uma corça selvagem
    e me leva para as montanhas,
    onde estarei seguro.”
    Hq.3-17,18,19

    Tudo bem, a bíblia traz muitas palavras produzidas por uma pá de gente aflita, angustiada e mesmo assim esperançosa. Mas depois desse tempo todo, não consigo mais evitar a verdade e chegar diante dele com sinceridade dizendo: Senhor tô com medo. Acredito que Ele aprecia isso, não nossa fraqueza, mas a nossa verdade.

  2. Nem tudo está perdido!!! Milagres existem! Até teu time foi campeão invicto!!!
    Então, pelo menos hj, tu tá melhor que os palmeirenses, são paulinos e, principalmente, santistas como eu!

    Eu não estou tão mal, os mesmos velhos probleminhas de sempre e só, mas meu post é genérico, abrange muitas pessoas em situação muito difícil. Gente com câncer em estado terminal, desempregados, endividados, despejados sem ter para onde ir e vai por aí.
    Agora, meu Corinthians só me dá alegria ultimamente, apesar daquele Mano Menezes. Ano que vem vocês levam o paulistinha. 🙂

  3. Quando eu soltar a minha voz por favor, entenda
    Que palavras por palavras eis aqui uma pessoa se entregando
    Coração na boca, peito aberto, vou sangrando
    São as lutas dessa nossa vida que eu estou cantando
    Quando eu abrir a minha garganta, essa força tanta
    Tudo que você ouvir, esteja certa que eu estarei vivendo
    Veja o brilho dos meus olhos e o tremor das minhas mãos
    E o meu corpo tão suado, transbordando toda raça e emoção
    E se eu chorar e o sal molhar o meu sorriso
    Não se espante, cante que o teu canto é minha força pra cantar
    Quando eu soltar a minha voz por favor entenda
    Que é apenas o meu jeito de viver
    O que é amar…

    Essa letra de Gonzaguinha aí é pra nossa segunda feira, de segundonas ameaçadoras eu acho que já entendo um pouco. E vamos pro Brasileirão.

    Boa! Nas duas alternativas.

  4. Em lugar de “Acorda,Lou!”leia-se,Bom dia,Lou!Foi o que quis dizer;ficou parecendo outra coisa…
    Tentei passar à você e aos grutenses uma palavra de ânimo pra ajudar nas tempestades da semana.
    Agora,”tô com mêdo”,digo todo dia,mas não me resta senão a esperança…

    Ah!errei na abreviatura de Habacuque,porém isso não tem tanta importância.

  5. Lou, os americanos não acreditam inteiramente na pessoa que Jesus se diz ser(Se não crerdes que EU SOU, morrereis em vossos pecados); por isso o deus deles é um delirio. Esse fim de semana visitei varios links da gruta, em um deles encontrei um texto maravilhoso e gostaria de compartilhar com os grutenses… O texto é o seguinte:

    Quando o amor maior se revelou na busca de todos os homens. E o seu nome é Jesus. Seu sobrenome é Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
    Eu o chamo intimamente de “Meu Amigo”.

    Duas boas decisões: 1) Ler os links da Gruta 2) Chamar Jesus de “Meu Amigo”.

  6. 1. Você está com idéia fixa no livro do cara.

    2. Devemos resistir até o sangue, na Gruta nossa de cada dia.

    Abraço

    Não, bobagem. Foi só devido a eu ter visto que a Imprensa da Fé imprimiu a edição. Me deu uma raiva…

    🙂

  7. O que a teologia não faz com a nossa cabeça né Lou?
    Fazer o que, como já disse o velho Pedrão, não tem para onde ir! Não tem cabana, nem Deus brasileiro, ou americano…somente nossa fé inexplicável e herética, que só pode ser conhecida depois de alguns pregos e cruzes.
    Keep the good fight my friend!

    Mas não precisava exagerar nos pregos, cruzes, etc. Certo? Um aqui outro ali, vá lá, mas a coisa parece crônica. E não falo só por mim. Veja essas senhoras, viúvas, os endividados, os doentes, os presos, nossa, a lista é muito grande. 🙂

  8. Hoje eu sinto tanta dor…se eu conseguisse chegar até
    aquela rede branquinha, acho que estaria mais confortável…e lá HÁ UMA LUZ ACESA, eu não sentiria medo.

    É, estamos todos querendo chegar lá. Mas espero que, pelo menos, você consiga.

  9. Lou, também concordo que Deus aprecia nossa verdade. Ele não aceitou as folhas de figueira de Adão e Eva. Ele mesmo os cobriu com pele de animal (é que naquela época não tinha defensores dos animais). Mas brincadeira a parte é preferível estar nu diante Dele, do que coberto com performances e mentira. Admitir a fragilidade e humanidade é que mais vemos nos Salmos e no livro de Lamentações.

    Abraço.

    E como o pessoal reage a isso… certa vez, em uma convenção de jovens, da Igreja Batista da Borda do Campo, São Bernardo – SP, comecei exaltando todas as minhas falhas, quase fui apedrejado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *