A Gruta do Lou

Magnificat


“Eu pecava, porque em vez de procurar em Deus os prazeres, as grandezas e as verdades, procurava-os nas suas criaturas, em mim e nos outros. Por isso, precipitava-me na dor, na confusão e no erro…
Assim me haveis de conservar. Também aumentareis e aperfeiçoareis os Vossos dons e eu estarei convosco, pois se existo, Vós me destes a existência.”
Sto. Agostinho em suas Confissões Livro I: 20 Magnificat

Volta e meia, retorno aos mesmos pecados, como o cão que volta ao vômito. Nada a fazer, então. Levantar e seguir em frente. As respostas, o reino, os acertos estão acima de nós, no plano do Reino de Deus. Sempre há a tentação de ser deus de nós mesmos. Se Tiago estava certo, vontade mais tentação é igual ao pecado.

Melhor deixar por conta Dele. Mesmo quando parece que Ele não está nem ai.

3 thoughts on “Magnificat

  1. Ele só não está quando não O deixamos ser Deus nas nossas vidas…!
    Mas reconhcer tudo isso é ponto de partida para recomeçar… é sempre bom recomeçar! 😀

  2. Vilma

    Não sei se estou recomeçando. Na vida espiritual continua tudo igual e no resto, tudo na mesma. Gostaria muito de recomeçar ou começar algo cá e lá. Mas, sei (Isso faz uns 15 anos) que havia construido uma teologia equivocada e que não suportou a grande tempestade. Agora sou isso, um exemplo a não ser seguido, disposto a receber outros como eu, por ser capaz de compreendê-los. Como disse o Paulo Brabo, nem que seja para ficar ao lado deles sem dizer nada. Creio que Jesus é grande, o maioral. Mas, preciso descobri-lo mais, como ele realmente é. Finalmente, livrar-me da mania de ver o Deus Pai como um ser humano, submetendo o meu entendimento via crenças humanas. O tal deus antropomórfico. Duro é achar as saídas bem na hora do incêndio.

  3. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *