A Gruta do Lou

Livro mutante

Acho que estou obcecado pela ideia de escrever um manual sobre finanças pessoais. Talvez tenha sido mordido pela mesma mosca que mordeu Jesus, o Galileu. Se ele estivesse em nossos tempos, era o que faria. Como ensina o Brabo em seu fantástico livro “Em seis passos o que faria Jesus“, Ele falava em dinheiro o tempo todo. E o pessoal reclama comigo por falar em dinheiro em mais de 50% dos meus posts. Jesus, Gandhi, Madre Tereza, Luther King, Nietsche, Schweitzer, Malafaia, Warren, Gondim, Edir, Ed, Brabo, enfim os deuses falavam e falam muito mais do que eu sobre grana. Nossa vida é feita de notas, moedas, contas e cartões, de débito ou crédito, acredite.

Problema é que não somos educados para esse tipo de vida. Nossa leitura da bíblia é canhestra, pois damos muito mais atenção às instruções sobre como orar; o louvor que liberta; o pastor de ovelhas; segredos espirituais do homem, da mulher, dos gays, dos cachorrinhos e papagaios; os propósitos para igrejas e pessoas, há poder em nossas palavras; ortodoxias calhordas ou generosas; Jesus e o sofrimento humano; etc., e tratamos as questões financeiras contidas no grande livro sagrado como algum desvio de conduta de Deus.

Nada mais equivocado, o Criador sabe muito bem o que aconteceu depois que tomamos a pílula, leia e entenda como as consequências do pecado Adâmico, cometido primeiro por Eva. Aliás, vale lembrar que aquela conversa fatídica da mulher que tu me destes, deu-se no salão do cabeleireiro do Paraíso e o demo era o cara que cuidava das madeixas dela, com trejeitos de bicha (existem gays sem trejeitos, também, claro e no céu). Desde então, Deus está com a agenda constantemente cheia de compromissos destinados a resolver problemas financeiros, das nações e das pessoas. Problema é que a classe política e os reis da terra pensam que Deus deveria se ocupar mais com as economias das nações e menos com as pessoais, e nós pensamos o contrário. Isso deixa Deus dividido e, na dúvida, ele se ausenta saindo, constantemente, para pescar em alto mar ou em rios longínquos. Mas o Barba Branca constrangeu um monte de escritores Bíblicos a priorizar as causas financeiras, de Moisés a João. Aliás, o Evangelho de Moisés, livro que só eu tenho, aqui no Brasil, é um grande espetáculo, um privilégio que só é concedido a homens verdadeiramente santos. Lembrando que a santificação é um processo de depuração à base de sais de sofrimento com aromas de espancamentos realizados através de constrangimentos financeiros.

O livro já se encontra à disposição, conforme anúncio ao lado, mas quero lembrar que trata-se de um livro mutante, por enquanto. Será preciso lê-lo várias vezes, sob o risco de descobrir mudanças radicais de uma leitura para outra. Por exemplo, acabo de escrever uma introdução novinha para ele (a ser publicada em breve). Para quem foi ousado e imprudente o suficiente para ler esse punhado de bobagens, sob o título ridículo de “Finanças Ok, um manual cristão“, será necessário ser ainda muito mais ousado para ler outras tantas vezes, pois essa afronta à literatura de mau gosto ainda vai mudar pra caramba. No momento, parece uma mistura de livro de Auto-Ajuda + teologia da prosperidade + manual dos escoteiros norte americanos + gibi do Tio Patinhas, sem nenhuma criatividade e a menor capacidade de emocionar. Para o meu gosto, um livro que se preze, se não for capaz de fazer a vítima chorar à pampa, obrigatoriamente deverá fazê-la se escangalhar de tanto rir e minha obra prima sobre finanças está a milhares de quilômetros dessa segunda hipótese. De um jeito ou de outro, chegarei lá, nem que seja obrigado a expor os dez passos para finanças pessoais do meu amigo Pr. Wagnor de Azaré.

Talvez eu esteja escrevendo para mim mesmo, como fazem os grandes escritores. Gostaria de consertar minhas finanças pessoais por essa via. Não através da venda do livro, evidente. Segundo um editor que conheço, seria necessário ter vários livros editados e vendendo acima dos cem mil exemplares para chegar a ser  como um Paulo Coelho ou um Dan Brown e viver no sul da França com a renda deles. Minhas expectativas são bem mais modestas e egoístas. Tudo que desejo é chegar à inimaginável vida cristã tranquila, com as contas em dia, sob um teto próprio em São Paulo, meus filhos como frutos da oliveira encaminhados na vida, os netos correndo para lá e para cá e minha esposa feliz pelos cantos da casa. No mais, só a paz em Israel.

1 thought on “Livro mutante

  1. A mutação não só é bem vinda, como necessária. Infelizmente, parece que o sofrimento também…
    Quanto aos aspectos financeiros, que é o assunto em pauta, a colocação do teu cpf facilitaria aqueles que desejarem fazer um pequeno “doc” pra ti, ou mesmo um grande “ted” – sei que este último não te desagradaria.
    Voltarei para a re-leitura do teu best seller…

    Ok, o CPF já está aí ao lado, junto das informações para “DOAR”. Aliás, a contribuição ou como diria o Albert Schweitzer, “a esmola” não desagrada, só as humilhações desnecessárias. Já presenciei cada cena… Valeu cara!

Deixe uma resposta para rubens osorio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *