A Gruta do Lou

Síndrome de irmão do Filho Pródigo

Nair Belo

Eis me aqui.

Odeio meu irmão pródigo. Minha vontade é matá-lo, igual Caim fez com Abel.

Sou um baita cara. Sempre fiz tudo certo (tirando uns poucos deslizes, afinal ninguém é de ferro). Fui bom filho, um bom trabalhador, nunca saí de casa para viver dissolutamente, nunca traí ninguém, sou bom marido e um grande pai.

Apesar disso tudo, o Pai resolve dar o cetro, o manto e o anel, fora o jantar, com direito a novilho e tudo para esse infeliz que saiu com a grana do velho no bolso, um dia. Não só gastou tudo, como o fez em orgias com as mais lindas mulheres, em jogatinas (chamavam o cretino de o Rei de Las Vegas), viagens pelo mundo todo (esteve até no Tibet com o Dalai-Lama), uso de drogas, bebedeiras e até umas experiências antropológicas pouco recomendáveis, estilo Gilberto Freire.

Vocês não viram nada, quando o desgraçado voltou, meu pai pulou no pescoço dele e o cobriu de beijos e abraços. Eu bem que notava o velho olhando lá na linha do horizonte todos os dias, esperando o chifrudo voltar. Maledeto desnaturado. Quando fui reclamar, tomei a maior bronca, ainda por cima. Ele me disse que eu estava aqui o tempo todo e tinha direito a tudo. Só que ele nunca me disse isso antes. Agora tenho que aturar essa baboseira em torno desse pecador sem vergonha.

Ah! Se fosse eu. Filho meu que fizesse isso, não voltava nunca mais. Caso se atrevesse, ia sair com dois quentes e dois fervendo para cima do excomungado. Onde já se viu absurdo igual.

Sou assim sempre. Afinal tenho personalidade. Na Igreja, nunca aceitei esses caras que andaram igual meu irmão, por esse mundão. Pau que nasce torto continua torto para sempre. Por isso sou adepto da reforma. Só nós os eleitos é que devíamos estar na Igreja. Detesto conviver com essa gentalha ímpia. Também, não tenho paciência com pentecostais e, muito menos, com neo-pentecostais. São uns triunfalistas insuportaveis.

Eu sou o exemplo a ser seguido.

Ass: Tonico Irmão do Filho Pródigo

10 thoughts on “Síndrome de irmão do Filho Pródigo

  1. Lou bárbaro o texto. Foi isso que eu pensei durante muito tempo sobre este texto. kkkkkkkkkkkk

    Até que um dia compreendi a profundidade da coisa. Eu estava sendo o próprio filho pródigo.

    A história é sublime só entende quem já a viveu. Pena que os que estao na família como o caso do irmao, nunca soube se apossar da bêncao da heranca que estava ali o tempo todo. Nao seria o nosso caso também? Desconhecer o que nos pertence? Ficamos com medo de tocar naquilo que por direito é nosso?

    Tem algo para você lá na Saia Justa.

    Boa semana, texto muito bom, amei!

  2. Texto genuíno.
    Tantos de nós agimos assim.. tal e qual!
    E ainda pensamos que estamos certos!
    Bom abanão esse Lou!

  3. (colocando lenha na fogueira):
    quem errou mais?
    o que saiu de casa e voltou
    o que ficou em casa e não sabia estar lá?
    beijos,
    alê

  4. ah, como gostaria de ser o carrasco! Lembrei do meu mano. Na época, minha mãe ordenava: Dê uma olhada no seu irmão. ah! como gostava disso. Enchia o peito, armava as (ombreiras) tipo espátulas, pegava o moleque davas uns tapas e botava pra dentro. Detalhe: conheci-o de perto, sabia das safadezas dele. Até arriscava onde poderia encontra-lo. Imagine! Nos campos de futebol, o moleque era fascinado por futebol… Largava tudo, estudos, afazeres domésticos e etc. E sobrava pra quem? Pois é, pro bom moço aqui… Era hora da desforra… Calma gente! não sou tão mau assim…

  5. Ai que inveja de meu irmão que pega aquelas mulheres endiabradas, aquelas capeitudas… hmmm, digo, misericórida…

    Preciso dar uma olhada sobre o que o Tonico anda escrevendo. Já imagino. Daqui não consigo ver que o acesso é bloqueado….

  6. E podem avisar para o Tonico que o irmão levou a parte da herança e gastou tudo, voltou e só ganhou presentes e agora aliançado novamente vai fazer parte da herança quando da partilha. Disgramado!!!

  7. não entendo gente que fica pegando no pé, será porque sempre fui o filho pródigo? paciência…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *