Igreja, uma utopia?

“E da multidão dos que creram, um só era o sentimento e a maneira de pensar. Ninguém considerava exclusivamente seu os bens que possuía, mas todos compartilhavam tudo entre si. Com grande poder os apóstolos continuavam a pregar, testemunhando da ressurreição do Senhor, e maravilhosa graça estava sobre todos eles.”

Atos 4: 32 e 33

“Esta comunhão, entre pobres e ricos, e entre os diferentes grupos étnicos, foi justamente para a época da invasão dos povos bárbaros, um sinal de que o reino de Deus havia chegado.”

De “O Céu Começa em Você” – Anselm Grun

Discute-se muito, nesses dias, se devemos fazer parte de alguma igreja ou grupo religioso ou não. Devido ao andamento que os próprios têm dado a seus cultos e ritos, de um lado e toda uma intensa pregação em favor do ateísmo, de outro, talvez por causa da própria necessidade do mercado em expandir seus horizontes, esse tema tornou-se mais relevante e até mais polêmico do que o normal.

Para mim, que vivi boa parte da vida sem a necessidade de discutir a relação espiritual, pois ela era absolutamente um ponto pacífico, é estranho quando ouço as pessoas discutindo, negando e até julgando a validade da igreja. Alguns chegam ao extremo de nomear a igreja como a principal causa dos problemas atuais da raça humana. Com o perdão antecipado pela afirmação, mas parece que o diabo venceu, finalmente ou está quase lá.

Minha vida foi, em grade parte, vivida dentro de igrejas templos, católicas e protestantes, depois. Finalmente, me afastei, sem nunca ter me desligado totalmente, mas sem conexões oficiais, então.

Para vivenciar a igreja, caso a pessoa queira uma experiência real e bíblica, como relatou Lucas no texto acima, o interessado precisará pagar um preço bastante salgado, tais como ter um mesmo sentimento junto com os outros, bem como a mesma maneira de pensar, sem ter qualquer preconceito, sobretudo em relação aos pobres ou aos ricos, afinal pobres também são preconceituosos em relação aos ricos, tanto quanto os ricos em relação aos pobres.

Interessante notar ainda, nesse texto do evangelista Lucas, um médico, segundo consta, que tal alinhamento da Igreja trazia, em seu bojo, grande poder do Alto incluso na pregação dos apóstolos, enquanto testemunhavam a ressurreição de Cristo e maravilhosa graça pairava sobre todos os participantes. Além disso, como muito bem colocou e profetizou o monge Anselm Grun, a igreja experimentando tal comunhão deu-se justamente para a época da invasão dos povos bárbaros, sinalizando que o Reino de Deus chegara.

Em outras palavras, nós os religiosos dentro da igreja podemos unificar nosso sentimento, controlar nossos pensamentos para que seja único, evitar preconceitos, mas tal alinhamento dependerá da vontade maior do Criador, com a finalidade de estarmos prontos para tempos difíceis como quando povos bárbaros resolvem invadir-nos.

lousign