A Gruta do Lou

Há poder em suas palavras?

Palavra com poder

 

Bom para você. Nas minhas além de não haver, elas costumam me meter em grandes encrencas. Talvez o Don Gossett, autor de um livro famoso com esse título seja uma benção para você, mas para mim o negócio está mais para Thiago, aquele da carta bíblica, com sua retórica sábia em favor do silêncio. Sem falar no velho provérbio, muito citado em minhas falações, “até um tolo se faz passar por sábio quando fica quieto”.

Em geral fico quieto, especialmente em ambientes desconhecidos. Viro mineiro nessas horas e me encho de desconfiança. Mas em casa ou com grandes amigos mais velhos, tipo Volney, ou ainda com grandes amigos mais novos como o Wander, falo bastante. Entretanto, minhas expressões passam longe do otimismo em gotas ou tempestades. Teve um cara, canadense acho, lá nos Estados Unidos, cujo sobrenome é Seligman, que realizou uma importante pesquisa onde constatou o maior sucesso dos otimistas em relação aos pessimistas e depois escreveu um livro chamado “O poder do otimismo”, descrevendo sua pesquisa. Esse livro estava em minha biblioteca até o dia em que virou comida em nossa mesa.

Em geral, essas afirmações fazem parte dessas bobagens neurolinguísticas armadas para enganar os trouxas como eu. Passamos a vida fazendo afirmações positivas enquanto os mineiros e baianos se regalam com suas conquistas silenciosas. Deus prefere sua descrição contida nas páginas do Antigo Testamento e nas traduções católicas, onde ele aparece como um Deus forte, manda-chuva e preferivelmente autoritário. Esse negócio mais democrático e contemplativo fica melhor em seu filho fracote com aquela conversa de amor Agape e devoção cega. “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e as outras coisas vos serão acrescentadas”, teria dito o menino bondoso e perdedor. Afinal, acabar em uma cruz ao lado de dois marginais não é o epitáfio preferido da dupla Gossett e Seligman, muito menos do Lair Ribeiro e do Kenett Hagin com seu filho fiel. Para eles, o Deus de verdade está no Antigo Testamento. “Vai lá, passa seus inimigos ao fio da espada e eu serei contigo”. Esse negócio de ficar buscando o Reino de Deus e a sua justiça vai levá-lo ao mesmo lugar onde o autor da frase foi. A cadeia está cheia de crentes em há poder em suas palavras. Eles passam a vida lá dizendo: Eu sairei daqui, eu sairei daqui. A maioria sai, mas em caixões de defuntos.

Nós, mais esclarecidos, nos safamos da cadeia pois ela segrega gente esclarecida. Entretanto vivemos feito zumbis fazendo nossas afirmações positivas ao invés de pegar o touro a unha ou passar nossos inimigos ao fio da espada, com a benção de Deus. Até agora a pouco eu não acreditava em Bin Laden. Para mim, que sou um crente das afirmações positivas, ele era uma figura de ficção inventada por George W. Bush. Mas diante do estrago que o Laden acabou fazendo com o Bush, das duas uma, ou o feitiço virou contra o feiticeiro ou o Laden fez a vontade de Deus, aquele do AT, e passou os inimigos norte americanos no fio da espada, digo dos aviões.

Não seria melhor irmos à luta com Deus ao nosso lado? Não sei onde começar. Nem sei direito quem são meus inimigos, mas eles devem ser muitos, considerando a situação em que me encontro presentemente. Sei que os pastores, talvez não todos, fazem parte dos povos filisteus, assírios e essa gente má. Uma boa parte dos meus verdugos eram pastores. Falo sempre mal deles aqui, mas eles não me querem bem, igualmente. Talvez por eu não engolir suas falácias sem reagir antes. Não sei.

Olha, ouçam esse experiente e derrotado homem de Deus. Caiam fora rapidinho dessas idiotices verbais. Façam como Eude Martins ensinou: “Vamos à luta” e o presidente Lula acrescentou: “companheiros”. Por favor, não sejam meus imitadores, como eu não fui dos vencedores do Antigo Testamento, como José, Davi, Salomão e Daniel. Eles mentiam, roubavam, matavam, comiam a mulher do próximo quando ele estava na frente de batalha e a ética deles era construida caso a caso. Nada daquelas baboseiras inventadas por Paulo e os apóstolos, como se houvera saído da boca de Jesus, sobre submissão, amar ao próximo, verdade e ética.

As palavras que funcionam são cheias de ironia, de inverdades e são falaciosas. Vejam à sua volta quem são os vencedores. Eles não estão em Grutas ou em mosteiros. Geralmente você os encontra no comércio, na indústria, pastoreando igrejas, cumprindo mandatos públicos (políticos, funcionários, policiais, magistrados, etc), em consultórios suntuosos e em instituições financeiras. Sem falar nos artistas e suas drogas maravilhosas.

Enaquanto você continuar pensando as idiotices da dupla Don Gossett e Seligman a vida passará e você será contado entre os maltrapilhos indigentes enterrados em uma cova rasa, sem nome e muito menos flores.

6 thoughts on “Há poder em suas palavras?

  1. Eu estava pensando em comprar o lançamento da MC “Sucesso não é acidente”
    (Tommy Newberry).
    Mas agora fiquei na dúvida…
    :/

    Como diria meu velho pastor: Na dúvida, não faça. 🙂

  2. ola…
    Te indiquei ao premio dardos!

    confira:http://fernanda-princess.blogspot.com/2008/09/prmio-dardos.html

    Parabéns, seu blog é excelente!

    um abraço…

    Antes de mais nada, agradeço sua presença e comentário gentil. Deveria haver na barra lateral uma página com os prêmios faturados pela Gruta. Ela está em fase de preparação e o link nessa direção voltará. Assim, você não tinha como saber que a Gruta já recebeu a indicação, com muita honra pelo Batized in Fire.
    Entretanto, você me emociona de novo, lembrando da Gruta como digna do Prêmio Dardos e isso não tem preço. Muito Obrigado e um abraço.

  3. oi Lou…
    As palavras que funcionam são cheias de ironia, de inverdades e são falaciosas.
    gostei disso…
    sabe que é interessante falar num post sobre as palavras que funcionam e as que nao funcionam?
    que tal?
    🙂
    viajei?
    fala ai…
    beijos,
    alê

    Mãos à obra, então. Estou curioso para ler esse seu post. Cadê? 🙂 A idéia é ótima!

  4. Lou, meu amigo..

    Precisamos de mais um dia de bate papo..ainda vou me virar por aqui para dar um jeitinho nisso.

    Onde estou, tenho internet bloqueada, sinto que me rendo ao sistema, tentando conquistar o mundo, talvez perdendo minha alma. Eu devia estar pescando, mas nem tenho coragem.

    Como você, prefiro me calar, do que falar besteiras. Abrir a boca, somente com os amigos.

    Abraço apertado.

    Bate papo nosso à parte (uma ótima idéia), viver silenciosamente parece ser uma condenação não bíblica, mas implícita.

  5. Mal posso esperar por seu próximo post!

    ótimo fds Louuuu!

    Pronto! Acabei com sua ansiedade. Espero não decepcioná-la. O próximo está aí. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *