A Gruta do Lou

Gruta, matrix vergonhosa de Cristo

Dia desses mencionei dois políticos brasileiros póstumos, Juscelino Kubichek de Oliveira e Adhemar Pereira de Barros, citando-os como dois exemplos positivos em sua área de atuação. Independente de nossas opiniões, era só uma armadilha para provocar alguma discussão nesse marasmo que anda o blog. Só o Rubinho mordeu minha isca, mesmo assim, com a prudência que lhe é peculiar.

Na última sexta-feira, jantei com o Daniel Fresnot em um daqueles exóticos restaurantes franceses que ele conhece como ninguém, programa de pobre lógico e, às tantas, mandei minha isca de novo e ele caiu feito um patinho. Em segundos me lembrou o quão corruptos eram esses senhores e, em contrapartida, enalteceu os adversários deles da época, a saber, Jânio Quadros, Carvalho Pinto e Prestes Maia. Era só o que desejava ouvir.

De dentro da Gruta, nossa noção da realidade é totalmente distorcida. No meu post citado, acrescentei links nesses nomes que levariam a vítima a conhecer um pouco das realizações de cada um, segundo o Wikipédia. Claro, também não sabemos se essas informações são totalmente confiáveis, mas elas são interessantemente contrárias às do meu amigo Daniel, mais adepto dos jornais favoráveis aos fanfarrões populistas que precederam os políticos atuais. Se bem que, ele também está na Gruta e suas fontes não passam de sombras.

Quinhentos anos antes de Cristo, Platão percebeu a temerária rede de referências dele e de seus pares da época. Sem querer, profetizou a vinda do profeta de Nazaré da Galiléia, na figura do cara que escapa da caverna para conhecer a realidade luminosa e volta para ser morto pelos incrédulos prisioneiros da Gruta.

Nós não acreditamos na possibilidade da nossa visão não ser real, mas sombras deturpadas por uma luz opaca e insuficiente. Somos grutenses e não acreditamos em conspirações. Muito menos admitimos a possibilidade de um tal Reino de Deus. Entre nós, formam-se pequenas igrejas que se julgam grandes por estarem a oeste da maioria ou por caminharem sob alguns propósitos. De outro lado ajunta-se a turma da prosperidade, ficando sem eira e nem beira gente como o Brian Mclaren e eu a espera de algum sucesso da turma da emergência ou com coragem para deixar a Gruta e encarar a luz.

Mas ainda somos todos grutenses, vergonha de Cristo e desqualificados para viver à direita do mestre.

Quem nos livrará dessa gruta?

4 thoughts on “Gruta, matrix vergonhosa de Cristo

  1. Nem à direita, nem à esquerda (meu local de escolha, se pudesse), nem abaixo e muito menos acima.
    Somos todos – todos mesmo – desqualificados para viver, ponto!
    “As misericórdias do Senhor são a razão de não sermos consumidos”.
    Felizmente.

    Ele é bom, quando quer.

  2. Eu ainda ando por aqui viu… rss
    Eu não qro ser salva dessa Gruta… de algumas sim, mas dessa não! 😀

    A gente já resolveu te dar um título de sócia remida e vitalícia.

  3. Como assim…preciso ser salva novamente???
    nana nina não…
    Deus sabe das minhas intenções dentro de uma gruta.

    Não, só precisa torcer para que todas aquelas histórias do contidas no evangelho sobre um salvador e sua salvação sejam verdadeiras.

  4. Vamos acabar com esse marasmo na Guta então! Como é essa história de não sermos conspiradores ?
    Se conspiração tivesse classificação, tu estaria entre os primeiros colocados meu caro Lou.
    Esses dias tive que rir quando observei certos pensamentos grutenses num blog conservador! Falei para mim mesmo : Eita conspiração!

    Nós conspiramos e muito, apenas não acreditamos estar conspirando ou que haja conspiração por aí. Sabe aquelas histórias do Dan Brown, sobre as tais confrarias como a Opus dei, a maçonaria e os protocolos de Sião? Grutenses são crédulos, talvez as ovelhas em direção ao matadouro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *