A Gruta do Lou

Gramado

Com esse friozinho batendo à porta, Gramado e seus chocolates, mais uma sugestão para o inverno. Na falta de, você pode ler minhas bobagens ou descobrir de onde as tiro, como meu princípio do insulto.

Insultar é uma Honra

Assim como ser insultado é uma vergonha, insultar é uma honra. Por exemplo, mesmo que a verdade, o direito e a razão estejam do lado do meu adversário, não deixo de insultá-lo; desse modo, todas as suas qualidades passam a ser desconsideradas, e o direito e a honra passam a estar do meu lado. Ele, pelo contrário, perdeu provisoriamente a sua honra – até conseguir restabelecê-la, não mediante direito e razão, mas por tiros e estocadas. Logo, a rudeza é uma qualidade que, no ponto de honra, substitui ou se sobrepõe sobre as outras. O mais rude tem sempre razão: para quê tantas palavras? Qualquer estupidez, insolência, maldade que alguém possa ter feito, uma rudeza retira-lhes essa característica e elas são de imediato legitimadas. Se, numa discussão ou conversa, outro indivíduo mostra conhecimento mais correto do assunto, um amor mais austero à verdade, um juízo mais saudável, mais entendimento que nós, ou se em geral exibe méritos intelectuais que nos deixam na sombra, então podemos de imediato suprimir semelhantes superioridades e a nossa própria mesquinhez por elas revelada e sermos, por nosso turno, superiores, tornando-nos ofensivos e rudes. Pois uma rudeza derrota todo o argumento e eclipsa qualquer espírito; isso se o oponente não tomar parte nela e replicar com outra maior ainda. Não o fazendo, chegamos à vantagem no nobre desafio; desse modo, permanecemos vitoriosos e com a honra do nosso lado. Verdade, conhecimento, entendimento, inteligência e espírito têm de ser desconsiderados e acabam por ser reprimidos pela divina rudeza. Por conseguinte: as «pessoas de honra», tão logo são confrontadas com uma opinião diferente da sua ou simplesmente com um entendimento mais arguto que pode contradizê-las, preparam-se imediatamente para montar no seu cavalo de batalha, e se, numa controvérsia, lhes faltar um contra-argumento, procurarão uma rudeza, que servirá para o mesmo fim e é mais fácil de encontrar. Em seguida, vão-se triunfantes. Nesse caso, já se vê o quão é justo dizer, em louvor do princípio da honra, que ele enobrece o tom em sociedade.

Arthur Schopenhauer, in 'Aforismos para a Sabedoria de Vida'- Extraído de O Citador.

5 thoughts on “Gramado

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Essa é genial!
    Caberia como desfecho de ouro para o meu texto sobre vencer debates.
    De fato, um insulto bem formulado é valorizado como sinal de coragem, força e esperteza. Deixando o oponente na posição de tolo, fraco e cagão.
    Às vezes chega até a ser uma arma útil, mas prefiro não ser o primeiro a utilizá-la.

    Fique tranquilo, você não corre o risco de ser o primeiro a usar esse conselho. Milhares já o fizeram, inclusive euzinho aqui. Especialmente em nossas escaramuças com os ortodoxos. Sem falar no insulto vertical, muito usado para obter vantagens dos famosos e maiores. 🙂

  3. tio, por que a gruta virou caverna? foi uma mudança de categoria, uma graduação?

    chagas

    Quem está vivo… Legal ver seu perfil por aqui. Alguns posts atrás aqui tratei de responder exatamente a essa pergunta. Se você não se importar, clique e veja lá. Depois você me díz o que achou. Combinado? Abraço.

  4. Também para isso servem as palavras…
    Bom relê-lo.

    Sempre bom ver seus comentários por aqui. Salve, salve.

  5. Tá quase para um prelúdio do “Como vencer um debate”. E soa como uma verdade prática, vemos acontecendo diariamente, a imposição da voz sobre a ideia.

    A vida real está mais para o Príncipe de Maquiavel do que para Fernão Capelo Gaivota ou para o Pequeno Príncipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *