A Gruta do Lou

Gênesis

Sunrise

De repente você e ela sentaram-se, lado a lado e a música começou a tocar (era We’re all alone com a Rita Coolidge), olharam-se ternamente e tudo começou.

A turma resolveu ir à praia ver o sol nascer. Você sentou-se distante, alguns metros, da pessoa mais próxima, mas o suficiente para ficar só e o sol nasceu implacável e de forma lenta. Seus olhos encheram-se de lágrimas, elas desceram por sua face e começou seu fascínio pela criação.

Sua esposa entrou em trabalho de parto, a enfermeira avisou: estamos indo para a sala específica. Momentos de aflição e esperança. Cada vez, quando a porta se abre, o coração acelera, até sair uma senhora e perguntar por você. Sou eu, você responde. Seu filho nasceu, tudo bem com ele e com sua esposa.

Assim começou, por três vezes em sua vida, seu amor maior, inexplicável, intenso, meio unilateral, mas imenso.

Você não estava fazendo nada. Seu amigo lhe convidou para um programinha de índio: ir a uma reunião religiosa. As pessoas começaram a falar coisas estranhas, estavam na pior e viram a Deus, na pessoa de Jesus Cristo e, mesmo parecendo uma tremenda babaquice, você sentiu seu coração apertar e ali começou sua vida com o Criador e seu Filho rebelde e salvador,

Você era normal. Tinha seus probleminhas, mas nada muito grave. Na maior parte do tempo, era brisa e calmaria.

Depois de todos esses amores começados, você ganhou a tal pérola de grande valor, pela qual você vendeu tudo e a adquiriu. Quando esses amores começaram, veio com eles a dor, como você nunca havia sentido. Você nunca imaginara como tanta alegria poderia doer tanto. Dói ver seu grande amor sofrer. Você chora quando seu filho chora, você se contorce quando sua amada não sorri e quer matar-se quando sente seu Deus irado, decepcionado e triste com você e seus irmãos.

Houve outro começo, para o qual você não deu grande atenção: o seu. O amor deles por você os faz sofrer todas as vezes quando você não sorri e os fere, mortalmente, ao verem lágrimas em seus olhos.

E Ele tudo criou e viu como tudo era bom, ficou feliz. Começou aí o grande sofrimento, tal qual nem eu e nem você conheceremos, jamais. Começar, amar e sofrer, três irmãos inseparáveis, na ordem das coisas.

Taí, fui escrevendo e saiu isso aí. Não gostei. Deve ser algum tipo de vírus ou bactéria adquirido em algum blog pastoral ou passional e me fez amolecer a esse ponto. Tudo bem, estou me tratando e logo estarei bom. Me desculpem.

Acho que estou viciado em blogar todos os dias.

Lousign

2 thoughts on “Gênesis

  1. Eu então, achei lindo!
    Mas isso sou eu que tenho um coração derretido, emocional, cheio desse tipo de sentimentos e emoções parvas e inuteis, que só fazem mal. Bah!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *