A Gruta do Lou

Extra Extra, Reviravolta no Caso Cheetah

A notícia da morte de Cheetah, chimpanzé que atuou como mascote de Tarzan nos filmes da década de 30, foi colocada em dúvida por uma reportagem da agência de notícias Associated Press publicada nesta quinta-feira (29).

A morte foi anunciada na quarta por Debbie Cobb, diretora do santuário Suncoast Primate. Segundo ela, o primata teria sido comprado por seus avós por volta dos anos 1960, diretamente do ator Johnny Weissmuller. Cobb, no entanto, afirmou que os documentos que comprovariam se tratar do mesmo chimpanzé que atuou nos filmes do início da década de 30 foram destruídos em um incêndio em 1995.

Além disso, há relatos em Hollywood de que o chimpanzé que atuou nos primeiros filmes da série Tarzan chamava-se Mr. Jiggs e morreu em 1938.

Em 2008, o jornal “Washington Post” desmascarou uma alegação de que outro chimpanzé havia contracenado com Weissmuller no cinema.

De acordo com técnicos do santuário Save the Chimps, na Flórida, chimpanzés costumam ter uma média de vida em cativeiro de entre 40 e 60 anos. O mais velho de que se tem conhecimento, no entanto, já estaria com 73 anos e viveria no santuário Lion Country Safari, na Flórida.

Se for possível confirmar a autenticidade da Cheetah que morreu nesta semana, supostamente aos 80 anos, ela ficaria conhecida não apenas como o mascote de Tarzan nas telas do cinema mas também como o chimpanzé mais velho do mundo.

* Com informações da AP

Capricornio PB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *