Ex-casa da Marina

Havíamos recebido a Marina em nosso meio grutal, aceitamos inserir a propaganda da rede social dela e estávamos felizes com a idéia de uma candidata que nos parecia verdadeiramente cristã, não por causa de alguma preferência teológica orto ou heterodóxica, mas pelas lutas e preferências dela a favor da sustentabilidade do planeta e pela coragem de declarar: sim sou cristã.

Mas, ela deu azar, apesar de ser cristã e foi traída pela parceira dela, atual líder das pesquisas (sic) na corrida para a presidência da república (em vias de se transformar em mais uma dessas ditadurazinhas medíocres e sanguinolentas que, vez por outra, surgem na América Latina). A mulher abriu a boca e entregou a Marina, avisando que quando for eleita estenderá a mão à nossa ex-candidata. A mídia vendida ao governo atual até tentou consertar o fora apontando a fala para a direção do outro candidato, para o qual a mulher jamais estenderá a mão, ou se o fizer, certamente, o fará com uma arma entre os dedos, se não me engano.

O problema nem seria ela voltar ao lugar de onde saiu e nós sabíamos disso, mas é ela se prestar ao papel de “coelho” do partido do governo nessa corrida ridícula, onde não há oposição, pelo menos eu não estou vendo nenhuma.

Uma pena, ela poderia fazer a diferença e até cair no gosto popular, tornado-se uma concorrente de fato. Recebeu elogios por sua atuação e defesa da sustentabilidade e do agronegócio ético, quando esteve à frente do Ministério do Meio Ambiente, daqui e de fora, sendo apontada como uma das cinqüenta personalidades do mundo. Além disso sabe o que rolou nos bastidores, e tinha tudo para colocar as coisas em pratos limpos, impedir falácias e desmascarar os hipócritas atuais.

Eu sei, não seria fácil, uma atitude assim, implicaria em muita coragem, pois haveria necessidade de colocar a vida em risco. Só mesmo alguém com vocação para estadista e cheio de fé em Deus, poderia fazê-lo, o que não é o caso, como tem ficado claro. Chico Mendes deve estar morrendo de vergonha agora e ele nem cristão era.

Quanto a mim e, alguns grutenses, ficamos sem candidato, na verdade, creio que nunca o tivemos. Melhor, não atrapalharemos a votação em nossas sessões eleitorais. E mais, agora o IBOPE pode dizer que ela caiu nas pesquisas, sem mentir, afinal, com a nossa saída, ela deve cair pra caramba. 🙂