A Gruta do Lou

Evangelho Pós Moderno


O mundo de hoje é o resultado de mudanças drásticas, nas últimas décadas, e exige um enfrentamento compatível.

A nova realidade inclui inéditos níveis de exclusão e, mais uma vez, o evangelho transforma-se na grande esperança. Não se trata de algum novo evangelho, mas, um evangelho resultante de uma nova interpretação formada pela ponte capaz de unir as idéias e princípios originais de Jesus Cristo e expô-las à sociedade atual globalizada.

Face a esse desafio, a Igreja encontra-se em profunda crise. Seria ela a instituição indicada para essa tarefa, mas, não se encontra apta a fazê-lo e, pior, está envolvida em muitas das doenças sociais de nossos dias, como a violência, por exemplo, se não pela ação, mas pela omissão. Isso, sem falarmos na alienação e indiferença dos cristãos e seus líderes. O modelo atual da Igreja é inadequado à exigência atual.

As propostas em surgimento estão voltadas aos interesses de mercado. Outras, estão mais voltadas às questões ligadas ao relacionamento e sob forte influência da psicologia, geralmente, de matiz ultrapassada. Igualmente, muito distantes da necessidade dos nossos dias.

Tudo isso leva à uma inevitável e inadiável mudança da instituição Igreja. Tal mudança só lograria resultado positivo e prático se resultasse de um evangelho relevante e contextualizado.

Estamos vivendo em uma sociedade onde, cada vez mais, as pessoas permanecem, o maior tempo de suas vidas, fechadas em grutas onde a única porta de comunicação com o universo social é o monitor de um micro computador, conectado à grande rede mundial por banda larga.

Foi o Dr. John Stott quem nos ensinou a construir pontes através de seu excelente livro Between Two Words (Entre duas palavras), filtrando o texto original da Palavra de Deus para os nossos dias. Creio que o evangelho para ser contundente hoje, precisa ser apresentado tendo em conta as características do mundo em que vivemos.

Vivemos na era pós moderna, em um mundo globalizado em plena revolução da informática e da informação. Para apresentarmos melhor o evangelho, será necessário fazer uma outra leitura , mais despojada e independente.

Os Luteros e Calvinos da idade média foram heróis de seus mundos, mas, não fazem mais sentido nos dias de hoje. Precisamos de nossos próprios heróis, capazes de ler, interpretar segundo nosso contexto atual e apresentar um evangelho com relevância pós moderna. Estamos carentes de reformadores capazes de reformar a Reforma. Muitas palavras, crenças , conceitos e princípios perderam o sentido para nós. Nossa estrutura social mudou. A família de hoje é outra. Todos os relacionamentos carecem de novos rumos e essa tarefa cumpre ao evangelho.

Vós sois o sal da terra, mas, se o sal se tornar insípido de nada adiantará, a não ser para ser jogado no lixo.
# posted by Lou @ 2:19 AM

5 thoughts on “Evangelho Pós Moderno

  1. Amém, irmão.

    O mais curioso a respeito desse novo (e antiqüissimo) exigente conceito de igreja é ele já existe e sempre existiu – e de certa forma ninguém sabe como será.

    As crises e transformações recentes estão forçando a igreja a fazer o que deveria ser natural nela: reinventar-se a cada geração. Agora que não temos mais o privilégio de descansar sobre nossos louros; agora que as pressões nos atiram para fora das nossas acomodações institucionais; agora que estamos no bico do corvo e somos universalmente (e com algum acerto) julgados como retrógrados, incompatíveis, insensatos e ultrapassados – agora existe talvez esperança para nós.

    Quem viver verá.
    # posted by Paulo Brabo : 5/02/2006 8:13 AM

  2. É um pensamento muito relevante. Mas Lou, às vezes eu penso que as pessoas não conhecem o evangelho vigente, me incluo neste roll. Não vejo o evangelho tão descontextualizado assim, noto, isso sim, as pessoas alheias a ele.
    # posted by Lux Luxo : 5/03/2006 6:39 PM

  3. Concordo com o Vosco, digo, convosco.
    Se tão somente a Igreja ouvisse seu Mestre e entendesse que nada há de mais dinâmico, instável, flexível, adaptável que o vento, além de outras características inomináveis que somente a comparação pode dar a entender, a que o Mestre comparou os que nascem “do espírito”, então jamais consideraríamos blasfêmia a simples proposta de revisão.
    # posted by Hernan : 5/03/2006 10:41 AM

  4. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *