Enquanto você dormia, eu carregava pastas e pastas nas costas

E não é que o maledeto do provedor suspendeu a hospedagem por causa de meros dois dias de atraso no pagamento da trimestralidade? O excomungado desligava o computador e me deixava sem E-mails, todos os dias por volta das 19 horas. Reclamei duas ou três vezes, mas depois desisti, pensando que pelo preço que estava pagando não dava para reclamar muito. Esperei noventa dias pelo concerto que nunca veio. Mas eles me fritaram por causa de três dias. Será que um tráfego de mais de trezentos acessos por dia não vale nada para esses caras? Até para ser burro tem límite. Né?

Não sei que horas esse sofrimento todo acabará. Depois de trazer tudo que está no sotão e no porão, ainda precisarei completar na unha os últimos posts e comentários, pois meu back-up era do dia 02 de maio. De lá para cá, será na base de juntar os cacos, pois os infelizes nem me deram tempo de fazer um último backzinho. Mas tive o prazer de cumprir o mandamento bíblico e mandá-los para o inferno. Quem sabe, salvo a alma desses infelizes. Certo?

Estranho, meus textos devem ser uma bela m… mesmo, sorry! Estou p… da vida. Não bastasse a dureza e ainda me acontece essa, sem falar em outras bombas prestes a detonar por aí. O fato é que assisto de camarote a preferência que é dada aos medalhões. Pô! Será que a diferença é tão grande assim. Outro dia o cara replicou um post meu, só que o texto era uma poesia do Fernando Pessoa, ou seja, não foi meu texto o replicado. Bem no finzinho tinha lá, em letras minúsculas, uma referênciazinha à Gruta. Espero que não tenha feito diferença no espaço do blog do rapaz. Se ele soubesse como essas coisas me emputessem, ops! Sorry de novo. Gente não faça, é melhor, do que essa canhalhice. De patife basta eu.

Deixe-me postar logo que o pessoal está estranhando tudo isso. Depois mandamos mais alguma maldade, por aí.

Descupem eu ter nascido. Beijos a todos.