A Gruta do Lou

Eles vestem Prada

Ontem, à noite, esgotei minha paciência e resolvi dar um tempo na idéia da Revenda de Hospedagem. Tudo começou de uma conclusão lógica, os sites por mim mantidos (LHM Desenvolvimento e Projeto Coração Valente) e os blogs (este, Corinthians Yes, Guiapostal e Lou Cave) mais alguns sites que administro de clientes, consomem espaço, então poderia abrir a hospedagem, quem sabe ela se pagasse e ainda sobrasse algum para o leitinho das crianças adultas, além de dar lugar aos meus próprios rebentos?

Creio que seria mais conveniente aos blogueiros persistentes hospedarem seus blogs e ter controle de seus arquivos por diversas razões, entre elas, ninguém garante que Blogger, WordPress, Blog, etc., não resolvam cobrar seus serviços da noite para o dia e quais as implicações técnicas e financeiras de uma necessária transferência de arquivos, por essa ou outra razão. O Haloscam e o Technorati, só para citar alguns, tornaram-se serviços pagos, enquanto o Gcast resolveu descontinuar.

Nos últimos dias, descobri que o tamanho dos arquivos da Gruta tornou-se um grande obstáculo às mudanças de hosts, coisa que em situações anteriores não representava problema maior. Tudo muda muito rápido na WEB e, se temos amor às nossas obras, precisamos ter certeza de estar no controle delas.

Gastei dez dias em não conseguir transferir a Gruta para a Revenda, embora tenha desvendado o caminho e possa fazê-lo agora, e não levei mais do que dez minutos para trazer tudo de volta e em ordem para a hospedagem habitual. Só demorou um pouco, cerca de 30 minutos, para o Registro Br publicar os DNS.

Estou propenso a juntar os blogs em um único, a Gruta evidentemente, pelo menos os textos. Nunca tive qualquer desejo de falar do Corinthians de forma sectária ou desmiolada. Apenas usar a bola como uma parábola da vida, como bem nos ensinou o Pastor Irland Pereira de Azevedo, meu professor de Introdução à Filosofia. E as mazelas políticas sempre estarão em meus textos, mesmo que subliminarmente. Quanto ao Guiapostal, precisarei ouvir o Khalil.

Não tenho culpa de ser um elo (ainda que ínfimo) entre filosofia, teologia, psicologia e ginástica esportiva. O culpado é o capeta em forma de Vocacional, democracia, participação e todas essas idéias progressistas. Deus é conservador e ortodoxo, para não dizer fundamentalista e não tem culpa de nada, nunca.

Duro é o site do Projeto Coração Valente, não quero e não posso esmorecer nesse caso. O lema é Casa, carro e Projeto Coração Valente. Acho que Deus resolveu emendar o carnaval com esse fim de semana. Minha esperança era fazer novos clientes logo após a festa da carne, não só não fiz, como os atuais devem ter imitado a Cristo e o pai relapso dele. Mas as contas nunca imitam Pai, filho e espírito divinos, especialmente as do projeto.

Enquanto isso, sigo dando desculpas esfarrapadas aos credores e ouvindo o eterno conselho para arrumar um emprego. Pessoal não entende meu amor masoquista. Gosto de sofrer, por que arrumaria um emprego que me tiraria a liberdade, o pouco tempo de vida que me resta, jamais pagaria minhas contas, colocaria um beócio cronometrando o tempo que demoro no banheiro e, jamais, me faria mais feliz. Inclusive, minha caixa postal está entupida de ofertas de emprego para um senhor de 59 anos, com evidências afros,  óculos de leitura penduro no pescoço, rebelde, insubmisso, subversivo e metido a gerenciar a própria vida.

Invejo muito as pessoas que dirigem projetos sociais e são ricamente abençoados, como a Madonna e o projeto dela para crianças carentes brasileiras. Deve ser por causa da competência musical. Nunca entendi porque nasci sem o dom para a música ou alguma beleza, ao menos. Pior será descobrir, quando for tarde, que os tinha e nunca percebi.

Acho que escreverei os textos do Coração Valente e da LHM Desenvolvimento aqui e manterei as páginas com informações como subpastas, vamos ver. Comecei a Rede Gruta na tentativa de um projeto aberto, mas ainda não sei como levar isso adiante, embora deseje ver sua carinha bonita lá, também. Não é fácil ser um “alone”, especialmente nessas coisas bobas (relacionamentos, empreendimentos e finanças).

Então é isso, seguiremos com nossa Gruta, nossas compatibilidades e incompatibilidades, competências (raras) e incompetências, compartilhando nossa arte de driblar um Deus velhinho, injusto e galardoador dos que lhe puxam o saco. Bom, sempre há a possibilidade de cairem algumas migalhas das mesas dos pastores que vestem Prada. Só precisamos estar sob elas na hora certa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *