A Gruta do Lou

Deus não está, quer deixar algum recado?

Miséria pouca é bobagem, também acho. Se é para ser miserável, então é melhor em grande estilo e pompa. Já sei, somos o resultado daquilo que pensamos. Se dissermos algo ruim, ele cairá sobre nossas cabeças. Mas você há de convir que sou um miserável charmoso.

Poucos foram profetizados como um possível grande sucesso mais do que eu. Meu pai, a exemplo do Dondinho (pai do Pelé), pegou-me no colo pela primeira vez e vaticinou: esse será rei e grande. Cheguei a pesar cento e doze quilos, agora perdi uns seis, para desgosto do velho. Ainda bem que ele se foi e não tem que me ver nessa situação degradante.

Na escola primária fui uma promessa. No ginásio me desenganaram: não tem jeito esse nasceu para ser grande, enquanto a coisa caminhava mal lá em casa.

Bem fez o pai de uma ex-namorada ao alertá-la que eu não daria em nada. Talvez tenha tido alguma colaboração de minha mãe, não sei. Foi a primeira vez que alguém contrariou o “status quo” de minhas probabilidades. Bom, como todos podem ver, o homem estava certo, só não precisava ser mal educado. Azar deu a Dedé de não ter um pai assim.

Semana passada terminou melhor do que todas as outras nos últimos três meses. Pelo menos o telefone voltou e, finalmente a Banda Larga. Fiz planos de arrumar trabalho com a ajuda cibernética. Bolei um ataque agressivo e maciço via rede. Percebi que precisava lembrar ao mercado das ONGs que eu continuava vivo e capaz de envergonhar a quem ousasse cruzar meu caminho.

Escrevi posts e artigos e publiquei, logo no início desta semana. Na Gruta as reações foram as de sempre, não sei se Deus fez alguma reserva de desgraça ou o que, mas a Gruta só tem me dado alegrias, aliás, a blogosfera como um todo. Aquele negócio inventado pelo Brabo de insulto vertical, além de verdadeiro é muito engraçado. Viram a coincidência daquele personagem que chama os famosos de idiotas, até parece comigo.

Inseri meu artigo na lista dos captadores de recursos lá no Yahoo, e fiz isso cheio de coragem. Imaginei receber milhares de convites de trabalho. Caraca! O que choveu de porrada… Tinha esquecido a m… que era aquilo.

Captadores de Recursos são a ralé, a escória do sub mundo, no terceiro mundo. Gente que vive comendo estrume e se você diz: po-ha, você tá comendo coco! Eles lhe atiram pedras gritando: velho, ultrapassado, f.d.m. nós somos ladrões com muito orgulho e adoramos comer isso daqui, suma daqui e não nos envergonhe com sua ladainha descontextualizada.

Onde está o erro em ganhar dinheiro com a miséria alheia? Quem disse que desejar dinheiro é pecado. Foi ninguém menos do que Deus, sua vaca; eu deveria ter respondido para a Fernanda, aquela nojenta. Enviei E-mails para essa figura na esperança de tomar uma xícara de café com ela enquanto falaríamos de captar recursos com ética e fundamento bíblico, no final, ela me convidaria para fazer parte do time dela, sonhei. Minha inocência, apesar da legião de meus pecados, é incomensurável. Bem que o Daniel me avisou.

Na terça-feira passada, fui consertar uma conexão de rede de uma vizinha, a troco de uns trocados, mas não consegui e fiquei sem as moedas. Liguei para casa e estranhei a ligação cair na caixa-postal com a mensagem gravada dizendo: Este telefone não está recebendo chamadas e a caixa postal não recebe chamadas a cobrar.

Liguei para a Telefonica e fui informado que o telefone fora desligado, de novo, por um motivo ultrajante qualquer. A semana piorou na quarta-feira com mais E-mails agressivos por causa do meu artigo. Se quiser ler, está lá no Filantropia Br sob o título “Captação de Recursos e sua inutilidade”. Pô, não ria. Era para causar impacto. Depois escrevi mais um tentando consertar o mal feito. Não funcionou.

Sei como todos estão me olhando e imagino o que estão pensando. Em casa não está melhor e não tenho nem como sair e fazer de conta que fui fazer algo importante. Quero ver Deus dar jeito na minha vida, agora. Vamos mostra a tua força, se puder.

Powered by ScribeFire.

Capricornio PB

Share this:
Share this page via EmailShare this page via Stumble UponShare this page via Digg thisShare this page via FacebookShare this page via Twitter

3 thoughts on “Deus não está, quer deixar algum recado?

  1. Lou, voce me fez lembrar da mamae… ela sempre falava que desgraça pouca é bobagem…
    enfim…
    é a luta…
    beijos,
    alê

    Eu sabia que não era a toa que você é uma mulher sábia, sua mãe era sábia.

  2. Aí está o bom e velho Lou, em toda sua acidez.

    Da próxima vez deixo um insulto vertical.

    Insultar um maltrapilho tão querido como você me renderá boas visitas, no mínimo.

    Um abraço cara.

    Você tem autorização vitalícia para me insultar verticalmente.
    Abração

  3. LOU, qdo leio você, não me divirto e nem me escandalizo, mas aprendo. E muito.
    Oro por voces todos com muito carinho, afinal, sei bem (e na prática)o que é estar sem saída. (peguei um atalho esses dias, mas não sei não…. não está me dando segunrança).

    Quando cerca de 400 “Sem Saída” se reuniram na Caverna de Adulão” (uma Gruta) e formaram o exército de Davi, o que eles tinham em comum? Dívidas, falta de oportunidade, depressão? Algo milagroso aconteceu ali, basicamente porque uniram-se e, em sua miséria, para derrotar o inimigo junto com o rei. Tudo isso me diz muito, acho que você aprende por esse motivo e esse é o propósito da Gruta. Continuarei insistindo nisso, pois creio que nossa saída é por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.