A Gruta do Lou

Deus Inimaginável

Deus Inimaginável
Deus Inimaginável

Existem milhões de palavras escritas sobre Deus, a começar pela Bíblia. Se computássemos as frases ditas sobre Deus,  o montante de asneiras se multiplicaria exponencialmente.

A grande verdade pode ser expressa com pouquíssimas palavras: Deus é imensurável, indescritível e inimaginável.

Não há mente humana, nem a do Eistein ou a minha, capaz de conceber algo ou alguém parecido com o Senhor do Universo e criador de todas as coisas. Está para nascer o Bill Gates capaz de criar um Software que faça isso.

Achou essas declarações chocantes? Pois elas não são originais, entre os defensores dessas afirmações está ninguém menos que Jesus de Nazaré, aquele que se disse Filho de Deus. Nos evangelhos o encontramos dizendo: “Ninguém conhece o Pai, a não ser o Filho”. Repare bem, ele não fez ressalvas, disse ninguém e ponto. Sobre as palavras ditas a respeito do Divino, Paulo diria a certa altura: “Falsos mestres, sobre o que não entendem fazem ousadas asseverações”. O apóstolo também bateu duro, chamando a todos os ensinadores de Deus de Falsos, sem fazer ressalvas, tampouco. Nem a mim ele tirou dessa.

O fato é que Deus está sempre e absolutamente no inalcançável. Não possuímos inteligência e muito menos sensibilidade capaz de imaginá-lo. Nossas descrições de seu amor, bondade, paz, justiça, etc., devem soar-lhe tacanhas, se não ridículas. Os tais atributos de Deus, muito ensinados por aí, são bobagens homéricas concebidas por nossa pequenez incomensurável.

Moisés teria tido um raro vislumbre de Deus e isso tornou seu rosto resplandecente. Quando desceu do morro, não com a letra do samba, mas com as tábuas da lei, estava com cara de bobo, perplexo e jamais tentou descrever o velhinho, apesar disso.

Nem eu, que já falei com Deus diversas vezes, me arvoraria em fazê-lo. Para poder me comunicar, foi necessário que ele lançasse mão da estratégia das encarnações relâmpago, como na vez em que falou comigo em um café, lá no centro da cidade, travestido de um senhor  com cara de intelectual inglês e olhos bem azuis. Houve outra, quando o fez na pele de um menino que me deixou em dúvida se era gente ou anjo, ou seu jeito mais comum de comunicar-se através de gente como a gente em meio a uma conversa de botequim ou através de um filminho de TV qualquer.

Nesses casos, o que vi foram homens e mulheres como nós, apenas. Se ele me aparecesse do jeito que é, ou deve ser, eu estaria com cara de Dunga até agora, não que ele tenha visto Deus, pelo menos não o Criador da Vida.

Se você quiser adotar uma medida radical, coisa que nem eu seria capaz de fazer, não perca tempo com nenhuma, eu disse nenhuma, das bobagens a cerca de Deus que existem por aí, não importa se foram ditas e/ou escritas por mim, ou qualquer outro pregador metido a besta ou os falsos profetas existentes nesse mundão sem fronteiras ou cheio delas. Nenhum de nós conhece a Deus, de verdade, acredite-me.

Caso lhe convidem para ouvir alguém falar sobre Deus, não perca seu tempo, a não ser que o pregador se chame Jesus Cristo e, mesmo assim, vá com o pé atrás. Trate de gastar melhor seu tempo, talvez um concerto do cara do Supertramp, mesmo que você só possa ver pela TV, na lanchonete ao lado do auditório onde o show se der, ou algo assim. Só não aconselho shows de músicas gospel. Bom, pelo menos eu, precisaria de uma boa dose preventiva de paciência associada a muita cretinice, injetada ou fumada, antes disso.

Se há algo de Deus a dizer, preciso usar as palavras de Jeanne Guyon para dizê-lo: “Deus está nos atraindo para Ele”. Enquanto isso, nos agarramos em dogmas e descrições ditas em nome dele, sem qualquer substância, que só fazem retardar nosso encontro real com o Divino. Essas tolices concebidas por mentes finitas, no máximo maquiavélicas, nos mantém estagnados e impotentes, a espera de soluções e respostas que nunca virão. Deus só faz puxar a corda, como uma montanha feita de minério de ferro imantado, nos atrai para si, silencioso.

Ah, Senhor o meu filho, o meu pai, a minha mãezinha, as contas não pagas, meu emprego escravizante que nunca chega, um maridinho qualquer, ou uma namorada gostosona, nada, nada mesmo. Deixem os mortos enterrar seus mortos. Apenas sigam-me e não façam perguntas tolas, de preferência, escutem apenas.

Jesus Cristo só falou da chegada do Reino de Deus e de fé. “Se tiver fé como um grão de mostarda”. Essa é a postura que nos cabe em toda e qualquer situação: fé. O resto é deixar nos puxar até Ele .

Ξξξξξξ

OPS: Dois recados: 1) Aos meus credores: Tenham fé, quem espera sempre alcança. 2) Aos meus devedores: Gostaria de perdoá-los como ensinou Jesus, mas os meus credores estão nervosos, ameaçando colocar meu nome no SERASA, SCPC, cartórios, PT e todas essas porcarias ameaçadoras. Por favor, tenham misericórdia. A conta bancária é a mesma, um cliquezinho ao lado, e boa. Vamos lá, coragem. Livrar-me desses urubus será um ato de grande misericórdia, periga até, Deus reserva-lhes uma mesa bem na frente no grand show finale.

4 thoughts on “Deus Inimaginável

  1. Texto muito bom. Realmente não conhecemos Deus, apenas um tiquinho de alguns de seus atributos. Mas sabemos que Ele é amor. Só não sabemos que raios é isso.
    Ah, legal a lista de nomes “famosos” que você fez! Tem até um homônimo meu! O cara é tão legal assim? Gostaria de conhece-lo, já que não dá pra conhecer Deus, certo?

    É um cara legal sim, como cada um dos outros, inclusive eu, também. Gosto de misturar porque não aprecio essa coisa que fazem por aí, diminuindo os outros para engrandecer a si próprio, a meu ver, a verdadeira intenção de quem bate em A ou B, gratuitamente. Creio que conheceremos a Deus no tempo e segundo a vontade dele, só dele. Mas o que vemos agora não é nada perto do que veremos um dia, nisso creio com todo o meu ser.

  2. É verdade o que você escreveu Lou, mas sendo Deus tão imensurável, indescritível e inimaginável, Ele deseja revelar-se a nós e quer que O conheçamos.

    Abraço.

    Também desejo isso, ardentemente. Entretanto, por não saber quem Ele é de fato, não estou certo de seus desejos. Talvez sejam outros, diametralmente opostos ou completamente diferente do que possa imaginar.

  3. Faz mais de uma década que tomei o propósito (!) de deixar de ler livros que falem sobre Deus, e tenho sido m grande parte bem-sucedido, aleluia irmão.
    Deus me ajude a parar de escrevê-los.

    Sábia decisão. Só Deus mesmo para impedi-lo de tal desatino. Aliás, acho que farei o mesmo. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *