A Gruta do Lou

De vento e popa, ao encontro do grande triunfo

Caro Wormwood

Acho que você vai babar agora. Acredite ou não, e você sabe que eu não minto, mas os otários morderam a isca direitinho. Você não fez tudo direitinho, apenas. Mais do que isso, as coisas saíram muito melhor do que o esperado.

Imagine você, aquela aberração que inventamos para governar o Brasil acredita ser um grande estadista e um sábio homem. É verdade, sim senhor. Até mostrar a mãozinha faltando um dedo ele aprendeu rapidinho, para enganar e sensibilizar as vítimas. Ele conseguiu comprar, com ninharias, o apoio daquela grande igreja, a maior do país. Milhares de pessoas estão aos pés dele, digo, aos nossos pés agora. Basta você ir até lá, mostrar aquele seu lindo sorriso enquanto dedilha seu violão e geme como se um espírito de profeta o tivesse possuído. Não esqueça de entremear a recitação dos salmos, na desdita. Foi ótima essa sua idéia de se apossar do corpo desse músico cristão atolado nas drogas.

Agora, o que garantiu seu título de o Demônio do Mês, por três meses consecutivos, foi a maravilhosa campanha de disseminação da Dengue, na região do Rio de Janeiro. Estamos todos muito orgulhosos do seu trabalho e dedicação. Fazia tempo que não fazíamos tanto mal como agora. Essa medida pode não ser tão arrasadora como a do Word Trade Center que matou aqueles três mil, em minutos, mas é muito mais a nossa cara. Cinqüenta mil casos e todo esse sofrimento são como colírio em nossos olhos. Aleluia!

Estou adorando ver os meninos e meninas cristãos aderindo ao homossexualismo sem reservas. Esse argumento que você inventou de que esse comportamento não é opcional, mas algo do qual as pessoas não podem escapar foi ótimo. Adoro ver os meninos de mãozinhas dadas pelas ruas, sem falar no que eles fazem quando estão sozinhos no escuro. Uma maravilha.

Os viciados estão indo muito bem e fazendo adictos, cada vez mais, principalmente entre os jovens. Adoro as drogas, se bem que não sou tão trouxa de usá-las. Mas os serviços que elas nos prestam é extraordinário. A idéia das cardiopatias congênitas foi excelente. De quebra, ainda atingimos os pais, em cheio, viu aquele tal de Lou? Há vinte anos ele não nos incomoda. Mas fique atento com aquela iniciativa dele. Basta não deixar ninguém doar ao Projeto Coração Valente. Quebrado como nós o deixamos, aquilo será só mais um sonho que nunca se tornará realidade.

Outro grande destaque é nosso trabalho Junto a essas organizações de ajuda social, sobretudo as que se dizem cristãs. Você viu como eles roubam o dinheiro que seria para os pobres, comem a comida dos famintos e vestem as roupas dos maltrapilhos. Uma beleza, sem falar na mentira, falsificação de documentos e até alguns assassinatos que eles têm cometido. Vamos deixá-los bem a vontade por um tempo, quando estiverem de guarda bem baixa, os entregaremos para as autoridades arrancar-lhes a pele. Será uma grande diversão via Rede de Televisão do Inferno, com imagens geradas pela Record.

Bom, não tenho nada a reclamar, no momento. Desde que nos livramos daquelas duas monstruosas, a Lady D e a Madre Tereza de Calcutá, estamos melhor do que nunca. Espero que dessa vez estejamos definitivamente salvos de qualquer possível nova promessa capaz de estremecer aos nossos intentos e domínios. Não há em nossos computadores nenhuma nova ameaça. Estão todos sob nosso controle.

Sigamos firmes em nosso propósito de ganhar as almas desses infelizes, enquanto eles continuam perdendo tempo correndo atrás de dinheiro, cheios de hipocrisias, vaidades e prepotencias. O barba branca deve estar tiririca com nosso sucesso.

Saudações infernais a todos os membros de sua legião.

Do seu general demônio preferido

Screwtape

Cartas do Diabo

1- Onis

2- A Vitória se aproxima

3 – De vento em popa, ao encontro do grande triunfo

10 thoughts on “De vento e popa, ao encontro do grande triunfo

  1. gosto quando voce baseia seus posts no Cartas, do Lewis.
    é um dos meus livros favoritos…
    beijos,
    alê

  2. Alê

    Gosto de escrever posts tomando por base o Lewis e outros autores. É uma forma de camuflar minhas incompetências enquanto aproveito o saber desses caras fenomenais. Coisa de gente medíocre, claro. Acho que você me entende. Tenho mais de mil posts publicados via blog e ainda não precisei usar a mão esquerda para contar quantos deles foram replicados em outros blogs. Dia desses, estava com preguiça e mais deprimido do que o normal e lasquei uma poesia do Fernando Pessoa (Estou farto de semideuses) e apareceu em vários blogs, até no Pavablog, imagine? Para minha vergonha.

  3. Maurício

    Vergonha de mim mesmo, por minha incompetência. Quanto ao Fernando Pessoa, eu e meu ego somos gratos a ele por ter ajudado a nos engrandecer, como convém ao ego.

  4. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *