A Gruta do Lou

Davi, angústia e farrapos

052109-1259-daviangstia1
Cena do filme “Farrapo Humano” com Ray Milland

Parece-me importante, logo de saída, abordar nosso modelo, fonte desencadeadora desse blog. Mais do que uma simples caverna, dessas tantas existentes, mundo afora, a história de Davi e sua passagem pela Gruta de Adulão reveste-se de significado e ensinamento a todos nós.

Naquela época*, atrás de si, estava seu sogro sedento de ódio, sentimento cultivado em ciúmes e inveja desde aquele maldito dia em que, imprudentemente, Davi matou Golias, o pior inimigo de rei de fato em Israel, humilhando os exércitos do soberano, além do próprio monarca, do qual faziam parte, igualmente humilhados, seu pai e irmãos e todos homens da casa do soberano, mais seus milhares. A partir de então, Saul só viu crescer a fama e os talentos daquele homem bonito e intrigante, a quem deu uma de suas filhas para esposa, viu seu filho por ele apaixonar-se e desejou matá-lo.

Cultivando toda a angústia desse mundo, muito mais por estar diante da possibilidade de matar o rei de sua nação e isso era motivo maior de seus sentimentos negativos. Preferia morrer a cometer tal desatino, sabedor consciente de sua condição de ungido para ser o rei em lugar do pai de sua esposa. Tudo isso agravado pela total simpatia de todo o povo, coisa insuportável ao monarca, Davi fugiu para Gate a procura de Aquis, rei do pedaço. Mas o cara tinha conselheiros, nunca devemos confiar em gente dessa laia, e esses malucos disseram ao seu soberano: Não é esse Davi, o rei da terra de Israel? Não é aquele de quem cantam em suas danças:

“Saul matou seus milhares,

e Davi suas dezenas de milhares?”

Diante disso, sujo, há tempos sem tomar um mísero banhozinho, cheirando à morte presente em suas mãos ainda sujas de sangue de sua última batalha, um farrapo de gente, essa observação dos conselheiros de Áquis aumentou muito a angústia do mancebo e ele sentiu grande medo. Entre seus talentos, Davi era um tremendo ator, além de excelente músico. Era o tipo do cara por quem nutro grande inveja. Bonito, jovem, sabia cantar, tocar, representar, era bom de briga, irresistível à mulherada, espiritual, sábio e ungido de Deus para ser rei de Israel, fora mais um monte de virtudes. Então, fez-se de louco e andava pelas ruas babando, maltrapilho e dizendo frases desconexas, atitude que acabou chegando aos ouvidos do monarca local.

Com medo e muito mais angustiado, após ser avisado Davi fugiu e refugiou-se na Gruta. Hoje de manhã, ao olhar no espelho, pareceu-me ter visto o cara, por mais incrível que pareça. Pelo menos na angústia, medo e com a Gruta, nossa situação se iguala. A narrativa do texto mostra-nos a vinda de sua família para encontrá-lo neste lugar, além de todos os que estavam em dificuldades, os endividados, os descontentes e tornou-se líder deles. Eram cerca de quatrocentos homens acompanhados de suas famílias. Já imaginaram como era arretado esse cabra? Brincando, brincando, ali estavam umas duas mil pessoas e todos dispostos a seguir aquele homem angustiado, um exército de farrapos, com muito medo e perseguido pelo mais poderoso do momento e seus exércitos.

Bom moço que era, Davi resolveu levar seus pais para Mispá, em Moabe e deixá-los sob a tutela do rei local, enquanto estivesse na Gruta, ou fortaleza como passou a chamar seu refúgio. Assinalou como tempo de espera o tempo em que Deus se manifestaria sobre seu destino. Aqueles dias não foram fáceis. Eles ficaram na Gruta, sem saber o que aconteceria. A espera gera insegurança e esta a desconfiança. Davi sabia disso e clamava a Deus todas as manhãs:

“Ouve a minha oração Senhor!

Chegue a ti o meu grito de socorro!

Não escondas de mim o teu rosto quando estou atribulado.

Inclina para mim os teus ouvidos;

Quando eu clamar, responde-me depressa”.

Então, Deus se fez presente e enviou a resposta: Veio o profeta Gade e disse a Davi:

“Não fique na fortaleza, vá para Judá.”

* Texto Bíblico base: I Samuel 22: 1 e 2

Capricornio PB

4 thoughts on “Davi, angústia e farrapos

  1. Pingback: Lou Mello
  2. Pingback: Lou Mello
  3. Daqui uns dois anos, irá surgir o deserto do Lou né..rs

    À exemplo de Davi, vamos para Judá..

    Abraço

    É isso mesmo. Você está pegando o jeito cavernoso de viver a fé bíblica autêntica 🙂

  4. O pessoal por aí, achando que matar o Golias é a solução, cai na conversa dos pastores. Mal sabem que é só o princípio das dores.

    Mas eles não podem mencionar tudo. Se o fizessem estariam atirando no próprio pé. Isso me lembra uma conversa que tive com o Tio Cássio, ocasíão em que cobrei dele mais fidelidade bíblica. Nunca esqueci a resposta do velho pastor: “Se eu fizer tudo que a Bíblia diz, acabarei com a igreja.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *