A Gruta do Lou

Continue respirando

Roberto Bolaños criador e interprete do personagem Chaves e outros.

Continue respirando

(Edição Revista e devidamente avacalhada, com carinho)

Geralmente, as rubricas que escolho não são produto de algum trabalho científico ou mesmo alguma reflexão mais cuidadosa. Entretanto, acabo de criar uma com um pouco mais de cuidado. Faz tempo que venho pensando nela, se bem que o nome não tenha nada de original. Chama-se “Kit de Sobrevivência” e esse é seu primeiro post.

Considerando a similaridade de um grutense com um sobrevivente desprivilegiado, concluí, com muito esforço, que seria oportuno compartilhar certas ferramentas e conhecimentos básicos de sobrevivência para habitantes das grutas e cavernas de nossa vã existência.

Lembrei de um caso. Certa vez ao embarcar no aeroporto, a moça do Check-in me perguntou em que lugar do avião eu gostaria de viajar. Respondi, prontamente, que era na Caixa Preta e, se já estivesse ocupada, no Kit de Sobrevivência. Diante do olhar de curiosidade da jovem, expliquei: Sempre que há um acidente aéreo, esses dois lugares saem ilesos, portanto concluí serem os lugares mais seguros em um avião.

Essa primeira ferramenta de nosso Kit de Sobrevivência busquei no enredo do filme “Náufrago” (citado em post anterior, inclusive) competentemente protagonizado pelo correto Tom Hanks. Depois de toda a saga vivida pelo personagem Chuck Noland, em uma ilha deserta por quatro anos, em conseqüência de um acidente aéreo, o Chuck descobre que sua amada já era, pois casara, na dúvida dele ter morrido no tal acidente, uma vez que o seguro morreu de velho e mais vale um pássaro… vocês sabem o resto . No fim do filme ele diz ao amigo: “Descobri, enquanto estava na ilha deserta, que o mais importante era permanecer respirando, pois a maré poderia me trazer algo inesperado a qualquer momento”. Claro que esse negócio da maré de Deus parece com aquelas obviedades da Auto-Ajuda ou dos livros de vida vitoriosa.

O ponto que me parece brilhante é o negócio de continuar respirando. Perdi a conta, de quantas vezes estive no limite do insuportável e nada aconteceu, ou pior, a situação veio a se deteriorar e muito. Aprendi com os americanos a fazer um livro de orações, inclusive, comprei um livro para esse fim específico, lá nos EUA, em uma livraria Bethania qualquer da vida, sem redundâncias. Meu, a lista de orações que nunca foram atendidas dá de uns mil a zero nas atendidas. Sou um incrédulo documentado. Claro que esse trem virou mais um item na minha prateleira, dentre os que nunca mais mexi. A única coisa que funciona, meus caros amigos, é a respiração. Apesar de que, invejo esse pessoal da Universal com tanto resultado conseguido com suas correntes de oração. Só não funciona comigo, não sei por que e não perguntarei a eles.

Não temos a menor idéia do que poderá surgir, a qualquer momento. Pode ser que surpresas aconteçam, inesperadamente. Esse fluxo deve ser controlado por Deus, sei lá. Nós sabemos o que fazer, ou seja, continuar respirando, como disse o Chuck Noland. Essa é a única atitude que poderá nos dar a chance de conhecer algo inesperado enviado por Deus, em algum de seus descuidos ou distrações, as tais migalhas da mesa do Galileu, lembram?

Acho bom lembrar que, por via das dúvidas, Jesus de Nazaré avisou que somos Bem Aventurados por chorar, ser injustiçados, passar fome, etc… Enfim, se eles esquecerem de nós, definitivamente, entraremos na fila dos Bem Aventurados.

Então, se estiver numa baita enrascada, abra o Kit de Sobrevivência da Gruta e utilize o “Continue respirando”. O resto, a Deus pertence.

12 thoughts on “Continue respirando

  1. Lou, belo post pra este início de semana!
    “Acho bom lembrar que, por via das dúvidas, Jesus de Nazaré avisou que somos Bem Aventurados por chorar, ser injustiçados, passar fome, etc… Enfim, se eles esquecerem de nós, definitivamente, entraremos na fila dos Bem Aventurados.”
    Lou, nunca tionha pensado nisso (odeio filas…) mas nesta fila quero estar!!!
    beijos,
    alê

  2. É…
    Não são poucas as situções da vida em que precisamos nos concentrar justamente nisso: em continuar respirando. Do contrário, não conseguiremos dar o passo adiante, seja ele para a reflexão, para a mudança ou até mesmo para a espera, até que alguma idéia melhor apareça pelo caminho.
    Deixo o convite para conheceres nosso espaço, blog comunitário escrito à oito mãos.
    Abraço.
    http://setexsete.blogspot.com

  3. Lou, muito bom mesmo. Dá próxima vez acho que vou querer sentar na caixa preta tb. Sabe que eu nunca pensei nisso? Embora saiba que essa caixa preta sempre sai intacta dos acidentes aéreos?
    No mais Lou, estou e estamos respirando.

    Grande abraco prá vocês

  4. Alguém personificou a seguinte frase ” Palavras são como sementes, guardadas na gaveta para nada serve”. Semelhantemente, seu kit de sobrevivência.

  5. Com muita dificuldade…
    Ainda estou a respirar….
    Antes com essa dificuldade e na fila dos bem-aventurados, que tranquilamente na fila sei-lá-praonde.

  6. É meu, por via das dúvidas é melhor incluir um tanquezinho de oxigênio no “kit”. E treinar apinéia… Só por precaução…

  7. Tá bom, o Kit já tem a respiração do náufrago e o tanque e a apinéia do Rubinho.

  8. Pingback: Lou Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *