A Gruta do Lou

Capetices

Claro que não acredito em diabos, mas que eles existem não há dúvida. Pelo menos, Jesus e o apóstolo Paulo criam neles e viviam expulsando-os das pessoas. Bom, eles eram uma dupla de ignorantes. Imagine que viviam em uma época onde não havia nenhuma síndrome ou distúrbio disponíveis no mercado. Sem falar que nem psicólogos havia, tampouco. Então, resolviam o problema de gente endividada, travada, deprimida, etc., com um mero “saiam daí” ou “fora, cambada de inúteis”. E pensar que nem receitavam um simples diazepínico  ou outro paliativo qualquer.

Dentre os endemoniados bíblicos, meu preferido é aquele que vivia se jogando em qualquer fogueira que pintasse. Me faz lembrar quando entro em um Shopping Center e sinto aquela compulsão irresistível de entrar em lojas, comprando o que vir pela frente, especialmente nas mais chics. Acho que é a mesma coisa com os dependentes químicos, quando vêem uma favela ou uma boca de fumo. Pessoas abandonadas também não podem ver um psicoterapeuta disponível que logo se atiram sobre eles e assim por diante. Todos são tratados com lexotan e o resto do lixo com tarja preta.

O Tio Chico recomenda que nos apeguemos às nossas bíblias e a muita oração, quando nos sentirmos nas garras do demônio. Pode? Os pastores de classe média trataram de estudar psicologia e agora suas pregações são teses declamadas em psicologues ( uma língua estranha que não é dos anjos). Os textos dos blogues deles também. Outras manifestações diabólicas como bruxarias, macumbarias, maçonarias, satanismos etc., são encaradas como sociedades secretas. Muitos pastores fazem parte delas, inclusive alguns que, durante o dia, as combatem.

Incrível é aquela parte em que Jesus diz: Eis que vos dou autoridade sobre potestades e principados. A quem ele se dirigia? Ingênuo como sou, imagino ser alvo dessa nomeação e trato de me apegar ao meu livro santo e às minhas orações por libertações, a mim e aos meus queridos. Imagine que Jesus tratou até um epilético como endemoniado. Paciência tem limite.

Acho melhor marcar hora com meu terapeuta, devo estar pirando.

7 thoughts on “Capetices

  1. Pior quando tentar impingir na gente essa de que a única tarefa do cristão é “amar a Deus sobre todas as coisas e a ao próximo como a si mesmo”… tem coisa mais demoníaca que isso???

  2. eu já me ferrei ,tentando tirar um morrinho de terra que atrapalha a minha horta,só na base do:sai daí morrinho!!!
    Será que tô esquecendo alguma coisa?

  3. Sim, você esqueceu que Jesus e Paulo eram ignorantes para os nossos padrões e assim conseguiam remover os problemas na base do sai daí. Mas gente como você e eu trocamos nossa ignorância por conhecimento e agora é tudo que temos para remover nossos morrinhos. Eu aconselharia você a procurar um bom terapeuta, com sólida formação em psicologia ou psiquiatria, doutorado no mínimo, e fazer um bom tempo de análise com esse dito cujo. Certamente isso não removeria o morrinho de sua horta, mas certamente, você descobriria ser portadora de alguma síndrome ou distúrbio da lista que eles dispõem para oferecer aos clientes. Nesse caso, pelo menos, ficaria na moda, além de virar consumidora compulsiva de medicamentos tarja preta, claro. Fé e oração é coisa de gente ignorante.

  4. agora ferrou de vez…além do morrinho,já estou acumulando outros disturbios??? Nem tinha me dado conta…juro que ainda acredito…então me encaixo no grupo de ignorantes?
    Tá na hora de chamar o Chapolin Colorado…pirei a batatinha…

    Você deixou os ignorantes para trás há muito tempo. Lembra da árvore do conhecimento, do bem e do mal? Quem comeu do fruto dela já era. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *