A Gruta do Lou

Cadê os Pacificadores

rubens osorio :

“Pacificadores não alimentam contendas”… por outro lado, há contendas que alimentam homens, vide o pessoal da ONU no Haiti, torcendo pra paz não chegar lá, porque a “mamata” é muito boa…

Nada como um povo bem sofrido, ignorante, desprovido, etc., para servir a propósitos escusos de gente sem nenhum escrúpulo. Pior é que não é só no Haiti, não.

Esse é o comentário (e minha réplica) deixado pelo Rubinho ao post Os Pacificadores, publicado em 13 de outubro de 2008, cerca de quinze meses antes do grande terremoto devastador do Haiti, recentemente. É, a Gruta pode ser mesmo uma tribuna livre para os profetas de Deus. Estranho, mas o velhinho barba branca parece preferir profetas dissidentes, desses decididos a nem orar mais e escondidos em alguma gruta da vida – afinal de contas não adianta nada mesmo – para destilar suas orientações proféticas, para estarrecimento dos próprios, inclusive.

Ontem li, perplexo, certo texto em um blog amigo onde o autor citava a nata reacionária tupiniquim, aprovadores de última hora de Mr. Pat Robertson e suas opiniões insensatas sobre os últimos acontecimentos no Haíti. Mas se nós não formos amigos de um Rubinho e sua sensatez profética, pelo menos olhemos para a história e, se preferir, para os relatos e narrativas bíblicos e comprovaremos o acerto do profeta. Deus pode não ter muito a ver com aquilo, a não ser, estar onipotentemente vexado com todo aquele horror.

Mas o ser humano ganancioso, pecador e carente das ações pacificadoras; – de uma igreja viva e atuante, sem ortodoxias, propósitos ou prosperidades e com o poder restaurador do amor de Cristo e sua graça bacana, pacificando, restaurando, consertando; – pode ter atraido a maldição ao Haiti e não as bruxarias de um povo miserável, desnorteado e animista. Mesmo porque, Deus ama desesperadamente essa gente doente, atitude que não sou capaz de alcançar.

Ontem também, assisti a uma reportagem televisiva num desses telejornais famosos, sobre a “Polícia Pacífica”, uma modalidade policial criada por algum gênio da paz, em que os policiais agem como missionários da paz e estão apaziguando morros cariocas tomados por favelas  inundadas pelo tráfico de drogas e, pasmem, em big ones. Pô, onde estão os missionários pacificadores? Foi preciso levantar policiais para fazer o nosso trabalho? Esse mundo endoideceu ou o que? E o Obama nem pensa em missionários, só envia mais soldados para o Afeganistão, Iraque e Haiti, nosso congresso vai pensar nisso também, nos próximos cem anos.

Algumas igrejas ricas, dessas que costumo espinafrar, poderiam ressuscitar aquelas velhas práticas tolas de formar, enviar e sustentar missionários pacificadores para Jerusalém, Judéia, Samaria, Haiti e os confins da terra., sem esquecer as favelas. Poderia ser entre o show de uma banda e o próximo show de algum músico gospel da moda, mesmo. Quem sabe não pouparíamos os pequeninos de não verem a Deus e suas intransigências amorosas .

Uma coisa eu sei: Os pacificadores serão chamados filhos de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *