A Gruta do Lou

Cadê a droga do fruto?

Então Jesus, com aquela arrogância muito peculiar, dirigiu-se a uma figueira na entrada de Jerusalém, ao sentir fome. Não era tempo de a árvore dar frutos e o mestre Galileu resolveu secar a coitada da planta que não deu fruto fora de época. Tudo isso me parece muito estranho. Não é? Será que Jesus era antiecológico, autoritário, homofóbico ou coisa pior?

Para entender isso, o texto de Marcos 11 segue com outro acontecimento bizarro, para dizer o mínimo. Jesus, aquele poço de doçura e serenidade entra no templo e “roda a baiana” com os pobres ambulantes petistas que lá estavam ganhando o pão nosso de cada dia honestamente, bota os caras para correr e chuta as bancas deles para a lua, sem ajuda de ninguém. Poderoso ele né?

Não entendeu nada, certo? Então olhe o texto anterior de novo. Igreja tem que dar fruto a tempo e fora do tempo, ou no templo e fora do templo, e com isso, Jesus e o Pai dele não transigem. Não deu fruto, tá fora, cambada de inúteis egoístas.


Aviso: O texto acima contém ironias e sarcasmos, dos quais o autor não consegue abrir mão. Se não fizer o efeito desejado, consulte um médico, um padre, um pastor ou seu pai-de-santo predileto, antes de ler novamente.

1 thought on “Cadê a droga do fruto?

  1. Sempre ouvi falar de “fruto” como aqueles “frutos do Espírito” que Paulo falava, tipo amor, alegria, paz, longaminidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e domínio próprio, coisas que pouca gente ou ninguém possui, quando muito uma ou duas.
    Também Jesus vinha com aquela da palavra que ele trazia dar fruto, como semente ao encontrar terreno fértil. Parece que a lição aqui é que não é só a palavra que temos que ouvir, mas também depende de nós mesmos, salvo engano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *