Bolso Furado

Um ditado judaico:

De três maneiras se conhece um homem: Por seu copo, Por seu bolso (kissó) e Por sua ira

Nosso foco aqui é o bolso, e quão reveladora é a nossa atitude para com ele. Em todo bolso surgem questões de sobrevivência e suas fronteiras, do excedente, da posse, do poder e da insegurança. Diz essa mesma tradição: “O mais longo dos caminhos é o que leva ao bolso”. Não há como chegar ao bolso sem uma longa reflexão sobre a vida e seu sentido. Nossa relação com o bolso é reveladora de quem somos e onde estamos neste imenso Mercado de valores que é a realidade.

Nilton Bonder em “A Cabala do Dinheiro”