A Gruta do Lou

As Virgens Imprudentes

042810_1629_AsVirgensIm1

Depois de viver um momento auspicioso ontem, cá estou como se estivesse de ressaca após um porre danado. A mensagem anti álcool e drogas levada a mais de cem adolescentes do  Centro Pastoral Santa Fé, em Perus São Paulo, foi um momento de êxtase, não por tê-lo conduzido, mas pela oportunidade de esmurrar o inimigo em seu próprio campo de ação.

Enganam-se os que confundem a propagação do evangelho com qualquer movimento social, educacional, de saúde, etc. Claro, em tudo que fazemos, se há amor ágape genuíno em nós, as pessoas o perceberão. Mas o trabalho anti álcool e drogas é carnal e secular em sua essência. Entendo aqueles que pensam que essas substâncias afastam a juventude e alguma velhitude da Igreja.

Isso é verdade, entretanto, vivemos dias em que a instituição Igreja não poderia estar mais longe do evangelho. Pensando assim, a conclusão lógica é que manter os jovens longe dela seria um benefício, então.

Mas, longe de mim a idéia de ver adolescentes, jovens ou quem quer seja, sendo tragados pelo álcool e as drogas. Quantas oportunidades me forem dadas, tantas derrotas aplicarei a essas redes nojentas.

Confesso não ser bem essa a minha grande aspiração. Prefiro ler e escrever. Adoraria publicar minha lista de livros lidos nesse ano e jactar-me nesse “dolce fa niente”. Desde o natal passado, estou às voltas com três ou quatro livros, dos quais, o destaque é O Conceito de Angústia do Kierkegaard, embora seja obrigado a manter o livro do Napoleon Hill (Quem pensa enriquece) sempre aberto, como fonte de motivação para enfrentar minhas misérias financeiras.

Não é muito fácil viver nesse mundo sem uma renda compulsória, desde que a fé se foi. Se pelo menos algum desses pastores da moda fosse mais ilustrado nos meandros da autoajuda, como eu, frequentaria de bom grado sua igreja e o assistiria fazendo algo positivo às pessoas. Mesmo que a menção aos evangelhos fosse rara, afinal Jesus está perdendo o significado, mesmo. Tudo que importa é sobrepor nossos egos narcisistas.

A espiritualidade, há muito, tornou-se um reduto individualista e recluso, para mim. Pelo menos, escolho e determino meus próprios dogmas, embora sinta falta dos abraços, dos papos em volta de uma mesa qualquer lá no Pastachuta. Tivemos alguns bons momentos com a pregação e a oração também, mas foi a tanto tempo que minha memória quase não os alcança mais. Ficamos todos Diante do Trono a ver os navios com os discípulos de Cristo atravessarem o mar para lados que se perdem de nossa visão.

Meu amigo Khalil vive em Jerusalém numa atitude desesperada de manter a chama cristã acesa. Estar ao lado dele talvez fosse o meu lugar, pelo menos seria a minha escolha, caso o Barba Branca me chamasse desatinadamente para servi-lo. Quem sabe, meus pecados o impediram de tal arroubo? Vai saber.

Provavelmente estou mais para Cristovão Colombo vivendo só e esquecido até que a morte me leve, não sem antes sofrer e pagar meus horríveis castigos por ter deixado a prostituta, ou teria sido ela a me deixar? Sou tão patético que não me surpreenderia se, de repente, descobrisse que ela também me traiu. Às vezes me pergunto se não sou Oséias reencarnado. Nem preciso dizer que não estou falando de minha amada Dedé, mas das virgens imprudentes.

De qualquer maneira, o que me resta agora é manter essas minhas quixotescas propostas missionárias (falo do Coração Valente e do Cleaner Br) razoavelmente vivas, mesmo a pão e água, e descobrir como chegar ao mês que vem, perdendo o mínimo possível.

Capricornio PB

4 thoughts on “As Virgens Imprudentes

  1. Caramba !! não acredito, vc veio no meu bairro e eu não fiquei sabendo ? já falei lá no Centro Pastoral, conheço muita gente de lá. Um local muito bacana, que pena que perdi a oportunidade de conhece-lo

    Então, pena mesmo. Se eu soubesse disso teria avisado. Quem me convidou foi a Sarah Cazella e quando estávamos conversando ela citou que chegou na Gruta passando por seu blog. Mas não faltará ocasião. Nosso plano é estar em S. Paulo em definitivo, o mais breve possível e isso me possibilitará uma participação maior e encontrar mais o pessoal. Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *