A Gruta do Lou

Anjos ao pé do ouvido

103008-1403-anjosaopdo1
Anjos

Quem não gostaria de conhecer seu anjo pessoal? Alguns se contentariam em acreditar nos alados de Deus.

Constantemente, me perguntam sobre o Raniel. Até quem não crê, pergunta. Alguma novidade? E o Raniel? Vale lembrar que não se trata do meu anjo pessoal, mas do anjo do meu filho. Ficamos amigos, apesar de sermos dois seres exóticos e completamente diferentes. Ele passou a dar jeitinhos no céu para me favorecer, já que um anjo não tem permissão de atender qualquer um, segundo seu próprio critério.

Quando nasci, designaram-me um anjo, conforme já informei. Durante o tempo em que ele me protegeu, as coisas andaram muito bem e era tudo muito fácil. Até gostava de viver. Mas, devido à falta de anjos na praça e minha pouca influência junto às hostes celestiais, meu anjo foi designado à outra pessoa, um menino nascido sob o nome de Ed alguma coisa. Antes de me deixar, meu anjo chorou muito e me deu o que podia, por exemplo, abriu meus olhos para ver os alados. Desde então, os vejo por aí. Inclusive, um dos meus textos serviu de base para o filme A Cidade dos Anjos, que foi filmado sob minha descrição de como costumo vê-los, como contexto da história de amor ali contida.

Depois disso, nunca mais o vi, nem quando estive com o protegido dele. Ele apagou seu nome de minha memória e, nem que quisesse, poderia citá-lo. O Raniel não gosta de me informar sobre ele, mas diz que está de saco cheio do carinha lá, pois nada de anormal acontece com ele e é um tédio só cuidar de alguém todo certinho daquele jeito. Pior que isso, foi cuidar de Jesus, diz ele. Enquanto comigo, a diversão estava garantida.

Muitas pessoas não conseguem entender como fico sabendo coisas sobre elas. Acontece que os anjos vivem me procurando para dar recados às pessoas, geralmente, depois de terem tentado todo tipo de estratégia de comunicação, sem obterem resultados. Eles chegam bravos, batendo as asas com força, aquilo faz um barulho enorme, dizendo coisas como: aquele cara não me escuta, não me vê e, muito menos, me entende.

Às vezes eles levam semanas para conseguir alguma liberação no céu para seus protegidos e depois de todo o trabalho com transporte, viagem, brigas contra demônios, etc, o cara não recebe a coisa, simplesmente. Eles ficam danados quando a dificuldade é gerada por algum pastor ortodoxo ou idiota mesmo, coisa rara, através de algum dogma esdrúxulo qualquer ou puro egoísmo. Costuma acontecer, quando estou falando com uma pessoa sobre qualquer coisa, o anjo vem e sopra algo dela em meu ouvido.

Outro dia, um cara de moto veio me cobrar alguma dívida, dentre tantas, e o anjo dele me pediu para avisá-lo de um possível acidente para breve. Ficaria engraçado, depois daquele pilantra me ameaçar de todo tipo de retaliação, eu dizer a ele para tomar cuidado por aí. Mas isso sempre está acontecendo comigo.

Depois que meu anjo me deixou, entrei para o serviço público de atendimento angelical. Funciona, mais ou menos, como o serviço público de saúde. Você tem que pegar a fila e esperar, esperar. Quando sua vez vai chegando, o pessoal entra em greve, falta, atrasa ou o sistema cai e você volta de mão vazias para casa. Confesso ter desistido de tentar através desse meio. De certa forma, sou privilegiado em ter contato direto com o Raniel e poder ver anjos. Algumas vezes, um anjo fica tão contente por eu o ajudar, então me arruma alguma coisinha lá em cima. Já fiz cada coisa inacreditável para ajudar os alados e, certamente, daria vários livros se publicasse, mas não sei se posso fazer isso.

Para você, leitor, não importa tanto se acredita ou não em minhas palavras. Anjos não são como Cristo ou o Pai ranzinza dele, eles não dependem de sua fé para nada. Eles têm total permissão de protegê-lo e apoiá-lo quer você queira ou não. As coisas dão erradas quando você entra em luta com seu anjo e desvia daquilo que ele está tentando lhe dar ou enche a cara de cachaça e perde o trem, digo, o anjo. Como fez o velho e tolo Jacó.

Melhor parar por aqui, pois não sei direito até onde posso me abrir sobre isso. Na verdade, foi um anjo quem me solicitou escrever algo sobre isso, hoje, para ver se a pessoa a quem ele protege se toca.

8 thoughts on “Anjos ao pé do ouvido

  1. Espero é que esse outro anjo tenha sido útil e alguma coisa tenha “caído” hoje! hehehe

    Caiu.

  2. Na verdade vc acabou de publicar…
    =)

    Eu tenho um Gabriel ao meu lado, mas nem sempre ele pode ficar comigo, só fins de semana. Ele tem que esticar as asas 70 kilômetros pra me ver!

    Então você é muito mais protegida do que a maioria dos esquecidos de Deus. Em nosso caso, os anjos cobrem miriades de kilômetros para nos encontrar.

  3. Tá bom. Vou parar um pouco de fazer coquetel de calmantes.

    Com ou sem isso ele lhe protegerá. O seu já andou pedindo a minha ajuda para se comunicar com você. 🙂

  4. Em meio a internet bloqueada e a falta de tempo hábil, achei uma brecha e gostei mto do texto..

    Meu anjo pessoal ainda não voltou com as muambas que pedi para ele comprar pra mim…dizem por aí que ele me deu o cano..

    Abraços Lou

    Não escutei nada do que você disse. O que você é, me faz muito bem.

  5. As vezes acho q sou um anjo por amar e cuidar de quem se esquece de mim, tudo q eu quero é ficar perto mais ela não me ouve e nem me senti mais, seja la quem vc for diga-me o q meu anjo dis? ele quer q eu va embora ou fique…? pq se a pessoa não lembrar de mim, eu não existo, eu devo permanecer ao lado ou ir bater minhas asaz e ir p/ longe?

    Por alguma razão, só agora (11:51 do dia 10/01/10) li seu comentário/pedido. Seu anjo não apareceu por aqui, mas por suas palavras, vejo que ele conseguiu dar-lhe o recado, mas você não está acreditando. É normal, todos nós gostaríamos de manipular esses caras alados segundo nossas conveniências, mas eles são uns turrões e não nos ouvem, aparentemente, é claro. Basta seguir a mensagem em seu coração, embora ela não seja o que você gostaria e esperava. Deus te abençoe.

  6. O meu anjo eu chamo de Alex. Eu imagino ele um guerreiro atento e forte, sempre me protegendo, em guarda. Ele é enorme. Não fala comigo, só me olha e surge imediatamente sua imagem quando o chamo. Mas penso que são imagens que eu criei por achar que ele deve mesmo ser assim. O nome foi como um sopro insistente em minha cabeça, acho que está certo. Sei que ele está mais próximo e mais ativo desde que comecei a chamá-lo pelo nome. O que vc acha? – Ah, o texto é lindo…

    Entretanto, seu anjo pediu para avisá-la que Alex é um nome muito bom para você chamá-lo, ou seja, deve ser isso mesmo. Seja bem vinda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *