A Gruta do Lou

Igreja Matrix

matrix

Amanhã, será um lindo dia, da mais louca alegria pós moderna e cibernética II – A Igreja

A Globalização, em parte consequência e em parte causa, trouxe consigo uma nova era que alguns denominam revolução da informação ou revolução da informatização.

Comecei o assunto abordando a escola, espremida nesse meio, igualmente, para abordar a questão da igreja. Como se situa esse milenar braço da sociedade nesse caldeirão que se estabeleceu de forma irreversível?

Muitos, e eu incluso, têm atacado esse aparente desalinhamento da igreja com as mudanças pós-modernas, como se isso fosse possível, manifestado pelas práticas assustadoras de uma igreja, cada vez mais, televisiva e cibernética.

Nesse ponto, os que se alinharam aos acontecimentos acertaram e, ao contrario, ficaram na contramão os que insistem em manter as mesmas velhas práticas da era paleolítica ou do homem de Neanderthal, tais como a Reforma (que nunca chegou por terras brasilis) ou qualquer dessas velharias ultrapassadas.

O evangelho bom e barato é, e sempre será, o autêntico evangelho de Jesus Cristo que se encontra nos escritos conhecidos de todos. Acerta, a meu ver, o Saramago quando assim o denomina. Lutero brigou com a Igreja do Século XVI, pois ela se desviara do evangelho verdadeiro, naquele tempo.

Acompanhando as propostas de pensadores do mundo pós-moderno, onde se destacam O prof. Milton Santos, Alain Torraine, A. Giddens e muitos outros. Quem quiser mais detalhes, leia o excelente livro do meu amigo Pr. Robison Ramos “Evangelização No Mercado Pós Moderno” (alias, eu o li surrupiando temporariamente o exemplar de outro cara).

A igreja precisaria posicionar-se dentro da era em curso, não apenas isso, ela deveria decidir de que forma fazê-lo, optando por princípios bíblicos (como o evangelho de Jesus Cristo) e éticos.

Os pastores (ou apóstolos) da televisão largaram na frente inserindo-se na nova era, mas não deram a mínima para a Bíblia e a ética cristã. Como os outros segmentos (educação, mídia, governo e família) optaram pela nova moralidade promíscua, mas próspera.

Acho legal debater a violência, afinal alguém tem que incomodar aqueles que deveriam resolver o problema (resolvível se houver empenho). Mas a igreja tem questões anteriores a resolver.

Como sempre, só os pensadores de outros países (caso de Brian Maclaren) estão conseguindo perceber o que é relevante, de fato, enquanto nossos pensadores (sic) se mantém discutindo as trivialidades propostas pelo curso de nosso mundinho carnavalesco e futebolístico.

A Igreja, como a conhecemos, naqueles prédios piramidais e horrorosos (sei que tem gente que gosta) construídos aos montes pela família Tomé, é o retrato da decadência.

O velho púlpito, onde brilharam C. Spurgeon, Billy Graham, Rubens Lopes, Eneas Tognini, Caio Fábio e muitos outros dinossauros iguais, virou artigo pré-histórico e/ou peça de decoração.

A Igreja está caminhando, levada pelos ventos desse mundo globalizado, para a era da TV Digital, dos Smartphones e desse Tsunami da informação em que nos metemos.

Como sempre, caminhando na escuridão, na falta de rumo, sem eira e nem beira e aí, os espertalhões assaltam o povo sem dó e, muito menos, piedade.

Para variar, aqui em nosso Brasil que caminha para trás sob batutas nada confiáveis, a igreja aderiu, como ninguém a esses novos tempos, mas de forma inadequada, sem planejamento e ao sabor dos ventos mundanos.

Não adianta nada colocar telões dentro dos templos pirâmides. As pessoas tem receptores em suas casas, de TV e de Internet, e esses prevalecerão ou já estão prevalecendo.

A mim, agradaria uma igreja inserida no bojo da globalização, utilizando a TV Digital, a informatização da informação via Internet, firmada sobre a rocha bíblica do evangelho de Jesus Cristo, com ética e intransigentemente defensora do ser que Deus, imprudentemente, criou. Sobretudo, cumprindo a Missão dada pelo Homem de Nazaré.

§

IMPORTANTE: Por favor: mantenham viva a chama acesa em favor do Projeto Coração Valente, participando como puder. Obrigado.

lousign

1 thought on “Igreja Matrix

  1. … e eu estou a procura da igreja que apenas faça o que Cristo mandou….mas cara, ta tão difícil que acho melhor ficar em casa mesmo, lendo a Gruta(que sempre me ajuda),lendo André Werner, Mamanunes, Rubens Osório, e mais outros tantos e maravilhosos que descobri aqui, e descobrindo que há por tráz dessa telinha uma pequena igrejinha, porém, muito melhor e mais sincera que esses templos espalhafatosos apostolípticos da crentolandia desvairada que encontro por aí.
    abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *