Agenda de salvação

O que esperar para o ser humano caído? A prisão, um bom e velho asilo, as ruas, talvez a morte? Uma grande característica cristã, se não a maior, é esperar sempre o melhor a si mesmo e ao próximo.

O apóstolo Paulo, em um arroubo espiritual, disse aos Efésios: “Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade;”. Sei que isso soa muito ao gosto de Calvino, mas não posso desejar menos a ninguém.

Fomos predestinados à salvação e quando olho um ser humano maltrapilho preciso me lembrar disso. Mesmo eu, quando me vejo destroçado e desesperançado, necessito lembrar minha agenda de salvação.

Os pobres, os doentes, os africanos, nordestinos, afegãos, endividados, esquecidos, etc., têm a mesma agenda. A salvação está a espera deles e, se desejo seu bem, não posso almejar menos do que lhes está disposto.

Pastorear se trata disso, abraçar os sofredores e lembrar-lhes o que lhes está previsto. É, também, um ato de fé, sim, pois inclui certeza das coisas que não se vêem. Para uma pessoa em desespero, poucas coisas poderiam humilhar mais do que uma atitude desacreditada ou incrédula quanto ao seu futuro.

Melhor ainda, é saber que essa agenda tem a chancela divina. Dentre tanto desconhecimento a respeito de criador, sabemos isso: sua vontade para nós é nada menos do que nos salvar.

OPS: Hoje é o dia em que comemoramos a independência de nosso país. Não sei por que nesse dia há um desfile militar, quando o povo deveria ganhar as ruas e desfilar sua liberdade. Enfim…